Fechar
Publicidade

Sábado, 17 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Morre a atriz Nicette Bruno aos 87 anos, vítima de Covid-19

Reprodução Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ela estava internada desde o dia 26 de na Casa de Saúde São José, no Rio



20/12/2020 | 14:21


A atriz Nicette Bruno morreu aos 87 anos no final da manhã deste domingo, 20, em decorrência do novo coronavírus. Ela estava internada desde o dia 26 de na Casa de Saúde São José, no Rio, que confirmou a morte da atriz.

Nicette Bruno nasceu em Niterói, no Estado do Rio, filha única de Sinésio Campos Xavier e da atriz Eleonor Bruno, em 1933. Seguir a carreira artística foi quase uma imposição familiar. Estudou balé, piano. Aos 11 anos, entrou para o grupo de teatro da Associação Cristã de Moços, depois foi para o Teatro do Estudante do lendário Paschoal Carlos Magno.

Aos 14 anos, já era profissional na Cia. de Dulcina de Morais. Estreou numa montagem de Romeu e Julieta, o clássico de Shakespeare.

Em 1947, foi premiada por sua atuação na peça A Filha de Iório, de Gabriel D''Annunzio. Seguiram-se participações em montagens de Nelson Rodrigues (Anjo Negro) e Oscar Wilde (O Fantasma de Canterville).

Aos 17 anos, fundou em São Paulo o Teatro de Alumínio. Novo sucesso como Antônia em Pedro Mico, de Antonio Callado.

A primeira novela Nicette foi Os Fantoches, de Ivani Ribeiro, em 1967.

No cinemas, atuou em Querida Susana, de Alberto Pieralisi, Canto da Saudade, de Alberto Cavalcanti, e A Guerra dos Rocha, de José Fernando.

Em 2001, distante da TV, voltou como a Dona Benta na segunda versão de O Sítio do Pica-pau Amarelo. Foram quatro anos consecutivos no ar. E voltou às novelas - Alma Gêmea, O Profeta, Tititi, Salve Jorge, Joia Rara, I Love Paraisópolis, Éramos Seis.

O teatro permaneceu em sua vida - Perdas e Ganhos, O Que Terá Acontecido a Baby Jane? O monólogo de Lya Luft foi dirigido por Beth Goulart, uma dos três filhos que Nicette teve com Paulo Goulart, com quem foi casada por 60 anos, até a morte dele em 2014. Todos - Barbara Bruno, Paulo Goulart Filho e Beth - seguiram a carreira artística, uma tradição da família.

Nas redes sociais, artistas, familiares e colegas lamentaram a morte de Nicette Bruno. No Instagram, a filha Beth iniciou a postagem com a frase "Minha mãe, minha vida, meu amor". "''ORAÇÃO PARA NICETE'' e para todos os doentes de covid, fortalecimento para os familiares e para as equipes de saúde que estão trabalhando incansavelmente. Gratidão a todos"

No Twitter, o escritor, novelista e dramaturgo Walcyr Carrasco lamentou a morte da atriz com a seguinte mensagem: "A nossa querida Nicette Bruno nos deixou hoje. Mais uma vítima da covid. Nicette fez história na televisão brasileira. Tive o privilégio de trabalhar com ela. Aos familiares, amigos e fãs, deixo meu apoio e o meu carinho. Descanse em paz! #nicettebruno #rip"

O jornalista e apresentador Serginho Groisman, também no Twitter, seguiu com o seguinte comentário: "Que pena, que triste. Nicette Bruno uma mulher forte e gentil morreu hoje vitima de covid. Fica meu abraço para a família de lindos artistas. Que descanse em paz!"



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Morre a atriz Nicette Bruno aos 87 anos, vítima de Covid-19

Ela estava internada desde o dia 26 de na Casa de Saúde São José, no Rio


20/12/2020 | 14:21


A atriz Nicette Bruno morreu aos 87 anos no final da manhã deste domingo, 20, em decorrência do novo coronavírus. Ela estava internada desde o dia 26 de na Casa de Saúde São José, no Rio, que confirmou a morte da atriz.

Nicette Bruno nasceu em Niterói, no Estado do Rio, filha única de Sinésio Campos Xavier e da atriz Eleonor Bruno, em 1933. Seguir a carreira artística foi quase uma imposição familiar. Estudou balé, piano. Aos 11 anos, entrou para o grupo de teatro da Associação Cristã de Moços, depois foi para o Teatro do Estudante do lendário Paschoal Carlos Magno.

Aos 14 anos, já era profissional na Cia. de Dulcina de Morais. Estreou numa montagem de Romeu e Julieta, o clássico de Shakespeare.

Em 1947, foi premiada por sua atuação na peça A Filha de Iório, de Gabriel D''Annunzio. Seguiram-se participações em montagens de Nelson Rodrigues (Anjo Negro) e Oscar Wilde (O Fantasma de Canterville).

Aos 17 anos, fundou em São Paulo o Teatro de Alumínio. Novo sucesso como Antônia em Pedro Mico, de Antonio Callado.

A primeira novela Nicette foi Os Fantoches, de Ivani Ribeiro, em 1967.

No cinemas, atuou em Querida Susana, de Alberto Pieralisi, Canto da Saudade, de Alberto Cavalcanti, e A Guerra dos Rocha, de José Fernando.

Em 2001, distante da TV, voltou como a Dona Benta na segunda versão de O Sítio do Pica-pau Amarelo. Foram quatro anos consecutivos no ar. E voltou às novelas - Alma Gêmea, O Profeta, Tititi, Salve Jorge, Joia Rara, I Love Paraisópolis, Éramos Seis.

O teatro permaneceu em sua vida - Perdas e Ganhos, O Que Terá Acontecido a Baby Jane? O monólogo de Lya Luft foi dirigido por Beth Goulart, uma dos três filhos que Nicette teve com Paulo Goulart, com quem foi casada por 60 anos, até a morte dele em 2014. Todos - Barbara Bruno, Paulo Goulart Filho e Beth - seguiram a carreira artística, uma tradição da família.

Nas redes sociais, artistas, familiares e colegas lamentaram a morte de Nicette Bruno. No Instagram, a filha Beth iniciou a postagem com a frase "Minha mãe, minha vida, meu amor". "''ORAÇÃO PARA NICETE'' e para todos os doentes de covid, fortalecimento para os familiares e para as equipes de saúde que estão trabalhando incansavelmente. Gratidão a todos"

No Twitter, o escritor, novelista e dramaturgo Walcyr Carrasco lamentou a morte da atriz com a seguinte mensagem: "A nossa querida Nicette Bruno nos deixou hoje. Mais uma vítima da covid. Nicette fez história na televisão brasileira. Tive o privilégio de trabalhar com ela. Aos familiares, amigos e fãs, deixo meu apoio e o meu carinho. Descanse em paz! #nicettebruno #rip"

O jornalista e apresentador Serginho Groisman, também no Twitter, seguiu com o seguinte comentário: "Que pena, que triste. Nicette Bruno uma mulher forte e gentil morreu hoje vitima de covid. Fica meu abraço para a família de lindos artistas. Que descanse em paz!"

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;