Fechar
Publicidade

Domingo, 11 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Cerca de 150 pessoas fazem novo protesto contra mudança na Faculdade de Direito

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Manifestação começou em frente à instituição, no Jardim do Mar; alunos, ex-estudantes e professores criticam Morando e proposta de alteração na autarquia


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

18/12/2020 | 20:28


Cerca de 150 pessoas entre alunos, ex-alunos, ex-professores é funcionários da Faculdade de Direito de São Bernardo realizaram passeata em protesto à aprovação do projeto de lei que transforma a autarquia em empresa pública.

Os manifestantes se reuniram em frente à faculdade, no Jardim do Mar, e desceram pela Avenida Lucas Nogueira Garcez em direção ao prédio do Executivo, no Centro, onde haveria concentração.

Os alunos relatam apreensão, pois entendem que o projeto abre caminho para que a instituição, uma das mais tradicionais do Grande ABC, seja privatizada. Apesar da grande maioria das pessoas estar utilizando máscaras, os manifestantes não respeitaram o distanciamento social.

“Esse projeto abre pode sucatear o ensino na faculdade”, declarou Pedro Tenan, representante do centro acadêmico 20 de Agosto.

Munidos de faixas, cartazes e entoando gritos, os manifestantes chegaram ao Paço por volta das 20h10. “Orlando fascistinha, a (Faculdade de) Direito vai botar você na linha”, cantavam os manifestantes. Os alunos receberam apoio de representantes dos alunos da USPe também de estudantes secundaristas.

Única vereadora a votar contra a propositura, Ana Nice (PT) também comparei eu a manifestação. “Entrei com mandado de segurança contra esse projeto de lei. O prefeito tem desmontado as políticas públicas, principalmente da educação”, disse a petista.

RODRIGO GAGO
Diretor da Faculdade de Direito de São Bernardo, Rodrigo Gago declarou que se reuniu na manhã desta sexta-feira com o prefeito Orlando Morando (PSDB) e disse ter ouvido do tucano que “nada vai mudar com relação à instituição” e que “não haverá privatização”.

Em vídeo, Gago buscou pacificar o clima, em ebulição desde a aprovação do projeto de lei que altera a estrutura da autarquia. “Tive audiência com o prefeito e ele me esclareceu que nada muda em relação à faculdade, aos servidores e alunado. Nem ao nosso campus, que está sendo remodelado para que possam voltar com saúde no próximo ano letivo”, citou.

Gago afirmou que, segundo Morando, o objetivo do governo é “ampliar a atuação da municipalidade nos cursos de ensino superior” e que haverá montagem de comitê para estruturar esse projeto.

“Será formada comissão que estudará e apresentará a ele (prefeito) um plano para projeto de lei para criação de uma empresa pública, que atuará em diversas frentes, com diversos cursos e em diferentes campi. Não somos contrários a uma maior atuação da municipalidade e investimento no ensino superior”, avisou. “A faculdade preservará sua autonomia, sua fonte de recurso está mantida e pertenceremos a algo maior, um centro educacional. não haverá participação da iniciativa privada em nenhum desses cursos, me afiançou o prefeito Orlando Morando. Nenhum prejuízo seja trazido à nossa comunidade.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cerca de 150 pessoas fazem novo protesto contra mudança na Faculdade de Direito

Manifestação começou em frente à instituição, no Jardim do Mar; alunos, ex-estudantes e professores criticam Morando e proposta de alteração na autarquia

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

18/12/2020 | 20:28


Cerca de 150 pessoas entre alunos, ex-alunos, ex-professores é funcionários da Faculdade de Direito de São Bernardo realizaram passeata em protesto à aprovação do projeto de lei que transforma a autarquia em empresa pública.

Os manifestantes se reuniram em frente à faculdade, no Jardim do Mar, e desceram pela Avenida Lucas Nogueira Garcez em direção ao prédio do Executivo, no Centro, onde haveria concentração.

Os alunos relatam apreensão, pois entendem que o projeto abre caminho para que a instituição, uma das mais tradicionais do Grande ABC, seja privatizada. Apesar da grande maioria das pessoas estar utilizando máscaras, os manifestantes não respeitaram o distanciamento social.

“Esse projeto abre pode sucatear o ensino na faculdade”, declarou Pedro Tenan, representante do centro acadêmico 20 de Agosto.

Munidos de faixas, cartazes e entoando gritos, os manifestantes chegaram ao Paço por volta das 20h10. “Orlando fascistinha, a (Faculdade de) Direito vai botar você na linha”, cantavam os manifestantes. Os alunos receberam apoio de representantes dos alunos da USPe também de estudantes secundaristas.

Única vereadora a votar contra a propositura, Ana Nice (PT) também comparei eu a manifestação. “Entrei com mandado de segurança contra esse projeto de lei. O prefeito tem desmontado as políticas públicas, principalmente da educação”, disse a petista.

RODRIGO GAGO
Diretor da Faculdade de Direito de São Bernardo, Rodrigo Gago declarou que se reuniu na manhã desta sexta-feira com o prefeito Orlando Morando (PSDB) e disse ter ouvido do tucano que “nada vai mudar com relação à instituição” e que “não haverá privatização”.

Em vídeo, Gago buscou pacificar o clima, em ebulição desde a aprovação do projeto de lei que altera a estrutura da autarquia. “Tive audiência com o prefeito e ele me esclareceu que nada muda em relação à faculdade, aos servidores e alunado. Nem ao nosso campus, que está sendo remodelado para que possam voltar com saúde no próximo ano letivo”, citou.

Gago afirmou que, segundo Morando, o objetivo do governo é “ampliar a atuação da municipalidade nos cursos de ensino superior” e que haverá montagem de comitê para estruturar esse projeto.

“Será formada comissão que estudará e apresentará a ele (prefeito) um plano para projeto de lei para criação de uma empresa pública, que atuará em diversas frentes, com diversos cursos e em diferentes campi. Não somos contrários a uma maior atuação da municipalidade e investimento no ensino superior”, avisou. “A faculdade preservará sua autonomia, sua fonte de recurso está mantida e pertenceremos a algo maior, um centro educacional. não haverá participação da iniciativa privada em nenhum desses cursos, me afiançou o prefeito Orlando Morando. Nenhum prejuízo seja trazido à nossa comunidade.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;