Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 6 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sérgio Ricardo avalia temporada do Tigre

São Bernardo FC/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Auxiliar de Marcelo Veiga fala sobre resultados do ano e exalta ‘resgate da credibilidade’


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

18/12/2020 | 00:01


A temporada 2020 terminou de maneira melancólica para o São Bernardo FC. Afinal, apesar do alto investimento, o time foi eliminado nas semifinais das duas competições que participou, perdendo a chance tanto de ser promovido na Série A-2 quanto de regressar ao cenário nacional via Copa Paulista. Nesta segunda, entretanto, a queda para a Portuguesa, anteontem, tem direta relação com a morte do técnico Marcelo Veiga, na antevéspera, vítima da Covid-19.

Segundo o auxiliar e braço direito de Veiga, Sérgio Ricardo, que ficou em seu lugar desde o afastamento do treinador, na segunda rodada da Copa Paulista, a equipe estava muito abalada, situação perceptível no comportamento aurinegro nos dez primeiros minutos, quando sofreu dois gols – e poderia ter levado mais.

“Não serve de desculpa mas é fator muito importante, que determina. Entrar sabendo que o companheiro não vai mais estar junto, nosso time sentiu muito. Foi a primeira vez que nos dez primeiros minutos o time estava dormindo em campo”, observou Sérgio Ricardo. “Não foi o resultado que a gente queria e almejou. Traçamos meta de chegar à final, mas não foi possível. Jogo muito difícil emocionalmente, nunca vi na vida e nunca participei, mas, pelo menos a equipe honrou a camisa do São Bernardo. Saímos para o time (Lusa) que provavelmente será o campeão”, afirmou.

Nas redes sociais, torcedores e simpatizantes do Tigre reclamaram da realização do jogo, apontando falta de sensibilidade da FPF (Federação Paulista de Futebol). Seja como for, o duelo foi disputado, a Portuguesa avançou para a final contra o Marília e o São Bernardo FC entrou em férias, com retorno marcado para 11 de janeiro, em Atibaia, onde iniciará a preparação à A-2.

Em resumida avaliação da temporada, o técnico interino disse que, apesar de não alcançar os objetivos, “resgatamos o nome do São Bernardo FC, o que foi o mais importante”. “Time que estava sem credibilidade, que no ano passado brigou até a última rodada para não cair. Este ano não corremos nenhum risco de rebaixamento, na Copinha (Paulista) lideramos o grupo, então o balanço é positivo e serve de lição para vir mais forte ainda no ano que vem. Honramos as cores. Torcedor tem de estar orgulhoso do time. Lógico, chateado por não conseguir acesso ou faixa, mas chegamos até o fim com muito respeito”, concluiu Sérgio Ricardo.

O Tigre já tem uma espinha dorsal para 2021: 18 jogadores têm contrato para a A-2, casos de Allan Dias, Gamaroni, Lucas Ferron, Gionotti, Gabriel Gasparotto, Italo, Junior Souza, Leandro Amaro, Marcelinho, Lucas Mota, Natan, Nicolas, Pará, Robert Fischer, Rodrigo Souza, Thawan, Thiago Primão e Thomas. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sérgio Ricardo avalia temporada do Tigre

Auxiliar de Marcelo Veiga fala sobre resultados do ano e exalta ‘resgate da credibilidade’

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

18/12/2020 | 00:01


A temporada 2020 terminou de maneira melancólica para o São Bernardo FC. Afinal, apesar do alto investimento, o time foi eliminado nas semifinais das duas competições que participou, perdendo a chance tanto de ser promovido na Série A-2 quanto de regressar ao cenário nacional via Copa Paulista. Nesta segunda, entretanto, a queda para a Portuguesa, anteontem, tem direta relação com a morte do técnico Marcelo Veiga, na antevéspera, vítima da Covid-19.

Segundo o auxiliar e braço direito de Veiga, Sérgio Ricardo, que ficou em seu lugar desde o afastamento do treinador, na segunda rodada da Copa Paulista, a equipe estava muito abalada, situação perceptível no comportamento aurinegro nos dez primeiros minutos, quando sofreu dois gols – e poderia ter levado mais.

“Não serve de desculpa mas é fator muito importante, que determina. Entrar sabendo que o companheiro não vai mais estar junto, nosso time sentiu muito. Foi a primeira vez que nos dez primeiros minutos o time estava dormindo em campo”, observou Sérgio Ricardo. “Não foi o resultado que a gente queria e almejou. Traçamos meta de chegar à final, mas não foi possível. Jogo muito difícil emocionalmente, nunca vi na vida e nunca participei, mas, pelo menos a equipe honrou a camisa do São Bernardo. Saímos para o time (Lusa) que provavelmente será o campeão”, afirmou.

Nas redes sociais, torcedores e simpatizantes do Tigre reclamaram da realização do jogo, apontando falta de sensibilidade da FPF (Federação Paulista de Futebol). Seja como for, o duelo foi disputado, a Portuguesa avançou para a final contra o Marília e o São Bernardo FC entrou em férias, com retorno marcado para 11 de janeiro, em Atibaia, onde iniciará a preparação à A-2.

Em resumida avaliação da temporada, o técnico interino disse que, apesar de não alcançar os objetivos, “resgatamos o nome do São Bernardo FC, o que foi o mais importante”. “Time que estava sem credibilidade, que no ano passado brigou até a última rodada para não cair. Este ano não corremos nenhum risco de rebaixamento, na Copinha (Paulista) lideramos o grupo, então o balanço é positivo e serve de lição para vir mais forte ainda no ano que vem. Honramos as cores. Torcedor tem de estar orgulhoso do time. Lógico, chateado por não conseguir acesso ou faixa, mas chegamos até o fim com muito respeito”, concluiu Sérgio Ricardo.

O Tigre já tem uma espinha dorsal para 2021: 18 jogadores têm contrato para a A-2, casos de Allan Dias, Gamaroni, Lucas Ferron, Gionotti, Gabriel Gasparotto, Italo, Junior Souza, Leandro Amaro, Marcelinho, Lucas Mota, Natan, Nicolas, Pará, Robert Fischer, Rodrigo Souza, Thawan, Thiago Primão e Thomas. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;