Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de NY avançam por estímulo fiscal e recorde dos três índices



04/12/2020 | 19:13


Os principais índices acionários das bolsas de Nova York fecharam em alta nesta sexta-feira, 30, impulsionados pelo avanço das discussões sobre um pacote de estímulo fiscal nos Estados Unidos. Uma série de sinalizações pelo acordo entre democratas e republicanos ocorreu durante a semana, e hoje a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, destacou em entrevista coletiva o avanço das negociações. Com o clima de otimismo nos mercados, os índices Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq renovaram recorde histórico de fechamento.

O índice Dow Jones subiu 0,83%, aos 30.217,67 pontos, o S&P 500 avançou 0,88%, aos 3.699,12 pontos, enquanto o Nasdaq cresceu 0,70%, a 12.464,23 pontos. O Dow Jones e o Nasdaq encerraram nas máximas do dia. Na comparação semanal, os índices registraram ganhos ainda maiores, com o Dow Jones avançando 1,03%, o S&P 500 1,67%, e o Nasdaq subindo 2,12%.

Além da sinalização de Pelosi pela evolução das negociações do pacote, o presidente eleito Joe Biden defendeu que o projeto de apoio fiscal inclua um cheque de US$ 1,2 mil a ser repassado aos americanos que enfrentam a pandemia do novo coronavírus. Do lado republicano, o diretor do Conselho Econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, afirmou em entrevista que os EUA devem dar aos desempregados um auxílio semanal de US$ 300. Os comentários do diretor vieram após os dados de emprego do país para novembro, que vieram abaixo da mediana de analistas consultados pelo Projeções Broadcast.

De acordo com avaliação do Commerzbank, o dado fraco de emprego divulgado mais cedo pressiona ainda mais as autoridades americanas a adotar medidas fiscais e monetárias de estímulo econômico. O banco alemão projeta que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) deve aumentar o volume do seu programa de compra de títulos em breve, enquanto o pacote fiscal a ser aprovado no país deve girar em torno de US$ 900 bilhões.

O mercado também repercutiu a decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+), que irá aumentar gradativamente a sua produção da commodity no ano que vem, mantendo parcialmente os cortes adotados em 2020. A ação da Occidental Petroleum (+13.42%) e da Marathon Oil (+10,66%) estiveram entre as maiores altas do S&P 500 no pregão de hoje, enquanto no Dow Jones a Chevron avançou 3,58%.

A tônica otimista das bolsas nova-iorquinas superou, inclusive, um novo recorde de casos diários do novo coronavírus nos EUA, segundo autoridades locais.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas de NY avançam por estímulo fiscal e recorde dos três índices


04/12/2020 | 19:13


Os principais índices acionários das bolsas de Nova York fecharam em alta nesta sexta-feira, 30, impulsionados pelo avanço das discussões sobre um pacote de estímulo fiscal nos Estados Unidos. Uma série de sinalizações pelo acordo entre democratas e republicanos ocorreu durante a semana, e hoje a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, destacou em entrevista coletiva o avanço das negociações. Com o clima de otimismo nos mercados, os índices Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq renovaram recorde histórico de fechamento.

O índice Dow Jones subiu 0,83%, aos 30.217,67 pontos, o S&P 500 avançou 0,88%, aos 3.699,12 pontos, enquanto o Nasdaq cresceu 0,70%, a 12.464,23 pontos. O Dow Jones e o Nasdaq encerraram nas máximas do dia. Na comparação semanal, os índices registraram ganhos ainda maiores, com o Dow Jones avançando 1,03%, o S&P 500 1,67%, e o Nasdaq subindo 2,12%.

Além da sinalização de Pelosi pela evolução das negociações do pacote, o presidente eleito Joe Biden defendeu que o projeto de apoio fiscal inclua um cheque de US$ 1,2 mil a ser repassado aos americanos que enfrentam a pandemia do novo coronavírus. Do lado republicano, o diretor do Conselho Econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, afirmou em entrevista que os EUA devem dar aos desempregados um auxílio semanal de US$ 300. Os comentários do diretor vieram após os dados de emprego do país para novembro, que vieram abaixo da mediana de analistas consultados pelo Projeções Broadcast.

De acordo com avaliação do Commerzbank, o dado fraco de emprego divulgado mais cedo pressiona ainda mais as autoridades americanas a adotar medidas fiscais e monetárias de estímulo econômico. O banco alemão projeta que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) deve aumentar o volume do seu programa de compra de títulos em breve, enquanto o pacote fiscal a ser aprovado no país deve girar em torno de US$ 900 bilhões.

O mercado também repercutiu a decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+), que irá aumentar gradativamente a sua produção da commodity no ano que vem, mantendo parcialmente os cortes adotados em 2020. A ação da Occidental Petroleum (+13.42%) e da Marathon Oil (+10,66%) estiveram entre as maiores altas do S&P 500 no pregão de hoje, enquanto no Dow Jones a Chevron avançou 3,58%.

A tônica otimista das bolsas nova-iorquinas superou, inclusive, um novo recorde de casos diários do novo coronavírus nos EUA, segundo autoridades locais.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;