Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas da Europa sobem com expectativas por estímulo nos EUA e acordo pós-Brexit



04/12/2020 | 15:32


Os principais índices acionários da Europa fecharam em alta nesta sexta-feira, em dia de otimismo nos mercados, que acompanharam as negociações por estímulos fiscais nos Estados Unidos e a possibilidade do acordo comercial pós-Brexit entre o Reino Unido e a União Europeia estar próximo de ser fechado. Segundo afirmou de forma anônima um dirigente da UE à Reuters, um acordo com os britânicos é "iminente" e deve sair já no fim de semana.

O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 0,59% ao fim do pregão desta sexta, fechando aos 394,04 pontos. Já o ganho semanal foi de 0,21%.

Em Londres, o índice FTSE 100 avançou 0,92%, aos 6.550,23 pontos, impulsionado por ações de empresas petrolíferas após a decisão da Organização dos Países Exportadores e aliados (Opep+) de aumentar gradualmente a produção da commodity em 2021. A British Petroleum teve a maior alta da bolsa londrina nesta sexta, de 3,92%, seguida da Shell, que avançou 3,21%. No acumulado semanal, o FTSE 100 avançou 2,87%.

A Glencore também ajudou a impulsionar o índice londrino. A ação da mineradora em Londres fechou em alta de 3,10%, após anúncio da sucessão de comando da empresa, que passará a ser chefiada pelo atual chefe do setor de carvão da Glencore, Gary Nagle.

A decisão da Opep+ também beneficiou as ações das Bolsas de Paris, cujo índice CAC 40 fechou em alta de 0,62%, aos 5.609,15 pontos, com ganho semanal de 0,20%. A Total SE, empresa petroquímica listada em Paris, fechou em alta de 3,36%.

No cenário interno, além do Brexit, investidores europeus monitoraram os impasses envolvendo a resistência de Hungria e Polônia contra o plano orçamentário europeu para o período de 2021 a 2027. De acordo com o comissário para Economia da UE, Paolo Gentiloni, o orçamento entrará em vigor mesmo sem a aprovação dos países divergentes. A Capital Economics aposta que o entrave será resolvido "de uma forma ou de outra".

O índice italiano FTSE MIB, de Milão, avançou 0,78%, aos 22.178,80 pontos, mas retraiu 0,78% na semana.

Já o DAX de Frankfurt, na Alemanha, teve a menor alta entre os principais índices europeus nesta sexta, ao fechar com variação positiva de 0,35%, aos 13.298,96 pontos, mas também com recuo semanal, de 0,28%.

Na Espanha, o setor bancário foi o destaque entre as ações listadas no Ibex 35 de Madri, que fechou na máxima do dia com ganhos de 1,49%, aos 8.322,90 pontos. O Santander e o BBVA acumularam a maior alta do índice nesta sexta, com avanços de 5,71% e 5,54%, respectivamente. Já o BankInter terminou o pregão com alta de 3,51%. O índice teve alta de 1,61% desde a última sexta-feira.

Por fim, em Lisboa, o PSI 20 teve alta de 1,37%, logo abaixo das bolsas de Madri, e no acumulado semanal avançou 1,10%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas da Europa sobem com expectativas por estímulo nos EUA e acordo pós-Brexit


04/12/2020 | 15:32


Os principais índices acionários da Europa fecharam em alta nesta sexta-feira, em dia de otimismo nos mercados, que acompanharam as negociações por estímulos fiscais nos Estados Unidos e a possibilidade do acordo comercial pós-Brexit entre o Reino Unido e a União Europeia estar próximo de ser fechado. Segundo afirmou de forma anônima um dirigente da UE à Reuters, um acordo com os britânicos é "iminente" e deve sair já no fim de semana.

O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 0,59% ao fim do pregão desta sexta, fechando aos 394,04 pontos. Já o ganho semanal foi de 0,21%.

Em Londres, o índice FTSE 100 avançou 0,92%, aos 6.550,23 pontos, impulsionado por ações de empresas petrolíferas após a decisão da Organização dos Países Exportadores e aliados (Opep+) de aumentar gradualmente a produção da commodity em 2021. A British Petroleum teve a maior alta da bolsa londrina nesta sexta, de 3,92%, seguida da Shell, que avançou 3,21%. No acumulado semanal, o FTSE 100 avançou 2,87%.

A Glencore também ajudou a impulsionar o índice londrino. A ação da mineradora em Londres fechou em alta de 3,10%, após anúncio da sucessão de comando da empresa, que passará a ser chefiada pelo atual chefe do setor de carvão da Glencore, Gary Nagle.

A decisão da Opep+ também beneficiou as ações das Bolsas de Paris, cujo índice CAC 40 fechou em alta de 0,62%, aos 5.609,15 pontos, com ganho semanal de 0,20%. A Total SE, empresa petroquímica listada em Paris, fechou em alta de 3,36%.

No cenário interno, além do Brexit, investidores europeus monitoraram os impasses envolvendo a resistência de Hungria e Polônia contra o plano orçamentário europeu para o período de 2021 a 2027. De acordo com o comissário para Economia da UE, Paolo Gentiloni, o orçamento entrará em vigor mesmo sem a aprovação dos países divergentes. A Capital Economics aposta que o entrave será resolvido "de uma forma ou de outra".

O índice italiano FTSE MIB, de Milão, avançou 0,78%, aos 22.178,80 pontos, mas retraiu 0,78% na semana.

Já o DAX de Frankfurt, na Alemanha, teve a menor alta entre os principais índices europeus nesta sexta, ao fechar com variação positiva de 0,35%, aos 13.298,96 pontos, mas também com recuo semanal, de 0,28%.

Na Espanha, o setor bancário foi o destaque entre as ações listadas no Ibex 35 de Madri, que fechou na máxima do dia com ganhos de 1,49%, aos 8.322,90 pontos. O Santander e o BBVA acumularam a maior alta do índice nesta sexta, com avanços de 5,71% e 5,54%, respectivamente. Já o BankInter terminou o pregão com alta de 3,51%. O índice teve alta de 1,61% desde a última sexta-feira.

Por fim, em Lisboa, o PSI 20 teve alta de 1,37%, logo abaixo das bolsas de Madri, e no acumulado semanal avançou 1,10%.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;