Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

'Empresário no Brasil, via de regra, é babaca', diz Arthur do Val



03/12/2020 | 17:41


Derrotado no primeiro turno da eleição para prefeito de São Paulo neste ano, o deputado estadual Arthur do Val - Mamãe Falei (Patriota) afirmou que empresário no Brasil é, via de regra, "babaca". A declaração foi dada em conversa no canal do comediante Rafinha Bastos no Youtube.

Questionado sobre ter aparecido com 1% das intenção de voto nas primeiras pesquisas, Arthur afirmou que isso atrapalhou a captação de recursos para a campanha. Ele terminou o primeiro turno em quinto lugar, com 9,78% dos votos válidos. "Não fui levado a sério pelos empresários. Empresário no Brasil, via de regra, é babaca. Direitista tem mania de tratar empresário como herói e a esquerda trata como vilão."

Depois da declaração, Arthur foi interpelado pelo comediante: "Como você fala isso? Daqui quatro anos, você vai precisar dos caras". Arthur continuou: "Não tem problema. Eu sempre falei a real. O empresário não é vilão e não é herói. O empresário quer ganhar dinheiro e investir no que dá certo", disse. "Infelizmente no nosso País, não temos histórico de ativismo, de o empresário e da elite fazer parte da eleição. Aqui, (se você) doa para campanha, você é considerado trouxa, o que não é certo. Trouxa é pagar imposto compulsoriamente para financiar campanha de todo mundo, que você não acredita."

Arthur recebeu mais de R$ 986 mil em doações para fazer campanha; mais da metade disso (R$ 542,6 mil), via financiamento coletivo, de acordo com o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A maior doação de pessoa física foi no valor de R$ 50 mil, feita por Marcos Aurélio Basso. Jorge Mitre e Eric Philip Hime doaram R$ 30 mil.

"Não usamos fundo eleitoral, temos que buscar grana com quem tem. Você chega lá e se apresenta, o cara gosta e diz 'senta lá que eu te ligo'. Vai dar o quê para o cara de 1%? Cinco mil. Aí, chega no Bruno Covas (PSDB, prefeito reeleito) e doa R$ 100 mil, R$ 200 mil. O que aconteceu comigo foi isso". Rafinha comentou: "Ele quer investir em quem vai ter possibilidade de ganhar para depois bater na sua porta quando precisar". "Exatamente", respondeu o deputado.

Minutos após a declaração sobre o empresariado, Arthur afirmou: "O brasileiro é muito trabalhador. É empreendedor e não aproveitamos esse potencial. Quando vem alguém de fato para mostrar um projeto que para em pé e tem coerêcia, começa a dar liga. Acho que a gente vai mudar o País. Nós, brasileiros de bem."

Na conversa com Rafinha, Arthur disse ainda que, depois do resultado da eleição, passou a se sentir "respeitado". "Perdi muito voto para (Márcio) França (PSB) e (Celso) Russomanno (Republicanos) porque achamavam que eu não tinha chance".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Empresário no Brasil, via de regra, é babaca', diz Arthur do Val


03/12/2020 | 17:41


Derrotado no primeiro turno da eleição para prefeito de São Paulo neste ano, o deputado estadual Arthur do Val - Mamãe Falei (Patriota) afirmou que empresário no Brasil é, via de regra, "babaca". A declaração foi dada em conversa no canal do comediante Rafinha Bastos no Youtube.

Questionado sobre ter aparecido com 1% das intenção de voto nas primeiras pesquisas, Arthur afirmou que isso atrapalhou a captação de recursos para a campanha. Ele terminou o primeiro turno em quinto lugar, com 9,78% dos votos válidos. "Não fui levado a sério pelos empresários. Empresário no Brasil, via de regra, é babaca. Direitista tem mania de tratar empresário como herói e a esquerda trata como vilão."

Depois da declaração, Arthur foi interpelado pelo comediante: "Como você fala isso? Daqui quatro anos, você vai precisar dos caras". Arthur continuou: "Não tem problema. Eu sempre falei a real. O empresário não é vilão e não é herói. O empresário quer ganhar dinheiro e investir no que dá certo", disse. "Infelizmente no nosso País, não temos histórico de ativismo, de o empresário e da elite fazer parte da eleição. Aqui, (se você) doa para campanha, você é considerado trouxa, o que não é certo. Trouxa é pagar imposto compulsoriamente para financiar campanha de todo mundo, que você não acredita."

Arthur recebeu mais de R$ 986 mil em doações para fazer campanha; mais da metade disso (R$ 542,6 mil), via financiamento coletivo, de acordo com o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A maior doação de pessoa física foi no valor de R$ 50 mil, feita por Marcos Aurélio Basso. Jorge Mitre e Eric Philip Hime doaram R$ 30 mil.

"Não usamos fundo eleitoral, temos que buscar grana com quem tem. Você chega lá e se apresenta, o cara gosta e diz 'senta lá que eu te ligo'. Vai dar o quê para o cara de 1%? Cinco mil. Aí, chega no Bruno Covas (PSDB, prefeito reeleito) e doa R$ 100 mil, R$ 200 mil. O que aconteceu comigo foi isso". Rafinha comentou: "Ele quer investir em quem vai ter possibilidade de ganhar para depois bater na sua porta quando precisar". "Exatamente", respondeu o deputado.

Minutos após a declaração sobre o empresariado, Arthur afirmou: "O brasileiro é muito trabalhador. É empreendedor e não aproveitamos esse potencial. Quando vem alguém de fato para mostrar um projeto que para em pé e tem coerêcia, começa a dar liga. Acho que a gente vai mudar o País. Nós, brasileiros de bem."

Na conversa com Rafinha, Arthur disse ainda que, depois do resultado da eleição, passou a se sentir "respeitado". "Perdi muito voto para (Márcio) França (PSB) e (Celso) Russomanno (Republicanos) porque achamavam que eu não tinha chance".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;