Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Indústria tem ganho acumulado de 39,0% e opera 1,4% acima do nível pré-pandemia

Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


02/12/2020 | 11:50


A alta de 1,1% na produção industrial em outubro ante setembro fez o setor acumular 39,0% de crescimento em seis meses, resultado mais do que suficiente para recuperar a perda de 27,1% registrada em março e abril, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A indústria opera 1,4% acima do nível de fevereiro, pré-pandemia. A produção está no nível mais elevado desde julho de 2018.

Os seis meses seguidos de crescimentos formam a maior sequência de resultados positivos desde o período que se estendeu de janeiro de 2009 a janeiro de 2010, quando a indústria acumulou um ganho de 20,2% nos 13 meses de taxas positivas, passado o pior momento do impacto da crise financeira internacional.

"Agora há um ganho acumulado maior", lembrou André Macedo, gerente da Pesquisa Industrial Mensal do IBGE. "Nessa sequência de seis meses de resultados positivos, se a gente supera o patamar de fevereiro, de pré-pandemia, isso mostra que a gente tem algum grau de recuperação. As medidas de auxílio emergencial foram importantes nesse momento, mas ainda tem algum grau a ser recuperado. Antes da pandemia, o setor industrial tinha alguma perda em relação ao seu maior patamar da série histórica. Há um distanciamento importante em relação ao ponto mais elevado da série", ponderou.

Apesar da melhora, a indústria ainda está 14,9% abaixo do patamar recorde alcançado em maio de 2011.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Indústria tem ganho acumulado de 39,0% e opera 1,4% acima do nível pré-pandemia


02/12/2020 | 11:50


A alta de 1,1% na produção industrial em outubro ante setembro fez o setor acumular 39,0% de crescimento em seis meses, resultado mais do que suficiente para recuperar a perda de 27,1% registrada em março e abril, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A indústria opera 1,4% acima do nível de fevereiro, pré-pandemia. A produção está no nível mais elevado desde julho de 2018.

Os seis meses seguidos de crescimentos formam a maior sequência de resultados positivos desde o período que se estendeu de janeiro de 2009 a janeiro de 2010, quando a indústria acumulou um ganho de 20,2% nos 13 meses de taxas positivas, passado o pior momento do impacto da crise financeira internacional.

"Agora há um ganho acumulado maior", lembrou André Macedo, gerente da Pesquisa Industrial Mensal do IBGE. "Nessa sequência de seis meses de resultados positivos, se a gente supera o patamar de fevereiro, de pré-pandemia, isso mostra que a gente tem algum grau de recuperação. As medidas de auxílio emergencial foram importantes nesse momento, mas ainda tem algum grau a ser recuperado. Antes da pandemia, o setor industrial tinha alguma perda em relação ao seu maior patamar da série histórica. Há um distanciamento importante em relação ao ponto mais elevado da série", ponderou.

Apesar da melhora, a indústria ainda está 14,9% abaixo do patamar recorde alcançado em maio de 2011.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;