Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 26 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Tesouro dos EUA pede que Congresso empreste mais US$ 300 bi a pequenas empresas



01/12/2020 | 14:55


O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, pediu ao Congresso mais US$ 300 bilhões para o programa de empréstimos a pequenas empresas (PPP, na sigla em inglês). Em audiência no comitê bancário do Senado americano, nesta terça-feira, 1º de dezembro, Mnuchin também se defendeu das críticas de parlamentares democratas por ter decidido não estender para 2021 alguns programas de empréstimos emergenciais que eram operados em parceria com o Federal Reserve (Fed, o banco central americano).

No discurso preparado para a audiência, divulgado ontem, ele já havia defendido um pacote fiscal direcionado como melhor instrumento de resposta à crise.

Em resposta a uma pergunta hoje, ele exemplificou que, na visão dele, o setor de restaurantes precisa de subsídios e não de empréstimos. "A minha decisão de encerrar os programas de emergência não foi econômica", declarou, ressaltando o prazo estabelecido para vigência dos empréstimos, que é o final deste ano.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tesouro dos EUA pede que Congresso empreste mais US$ 300 bi a pequenas empresas


01/12/2020 | 14:55


O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, pediu ao Congresso mais US$ 300 bilhões para o programa de empréstimos a pequenas empresas (PPP, na sigla em inglês). Em audiência no comitê bancário do Senado americano, nesta terça-feira, 1º de dezembro, Mnuchin também se defendeu das críticas de parlamentares democratas por ter decidido não estender para 2021 alguns programas de empréstimos emergenciais que eram operados em parceria com o Federal Reserve (Fed, o banco central americano).

No discurso preparado para a audiência, divulgado ontem, ele já havia defendido um pacote fiscal direcionado como melhor instrumento de resposta à crise.

Em resposta a uma pergunta hoje, ele exemplificou que, na visão dele, o setor de restaurantes precisa de subsídios e não de empréstimos. "A minha decisão de encerrar os programas de emergência não foi econômica", declarou, ressaltando o prazo estabelecido para vigência dos empréstimos, que é o final deste ano.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;