Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Atual presidente, Thomas Bach é anunciado como candidato único ao cargo no COI



01/12/2020 | 10:02


O alemão Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) desde 2013, foi anunciado nesta terça-feira como candidato único ao cargo da entidade para o quadriênio 2021-2025. O dirigente, que já tinha manifestado em julho a intenção de se candidatar, deverá ser eleito na Assembleia Geral, que será realizada entre 10 e 12 de março, em Atenas, na Grécia, e sua posse acontecerá oficialmente após os Jogos de Tóquio-2020, adiados para o próximo ano devido à pandemia de covid-19.

De acordo com a carta olímpica, os presidentes podem cumprir um primeiro mandato de oito anos, prorrogável por mais quatro, não podendo exceder os 12 anos na liderança do COI.

Bach, de 66 anos, sucedeu na presidência o belga Jacques Rogge, que liderou o COI entre 2001 e 2013 e foi o primeiro a cumprir a regra da limitação de mandatos, depois de o espanhol Juan Antonio Samaranch ter estado à frente da entidade durante 21 anos, entre 1980 e 2001.

Nascido em Wurzburgo, Bach, que é o nono presidente da história do COI, é formado em direito, foi campeão olímpico de esgrima nos Jogos Olímpicos de Montreal-1976, no Canadá, e integra a entidade desde 1991.

Bach liderou a Confederação Alemã de Desportos Olímpicos entre 2006 e 2013, deixando o cargo quando foi eleito presidente do COI, em uma eleição na qual se apresentaram mais cinco candidatos, entre eles o ucraniano Sergey Bubka, campeão no salto com vara.

O alemão encarou desafios à frente da entidade como o escândalo do doping institucionalizado na Rússia e o adiamento da Olimpíada de Tóquio por causa da pandemia do novo coronavírus, algo inédito na história olímpica. Por outro lado, orquestrou a nomeação conjunta de Paris e Los Angeles como sedes dos Jogos de 2024 e 2028, respectivamente, em feito também inédito.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atual presidente, Thomas Bach é anunciado como candidato único ao cargo no COI


01/12/2020 | 10:02


O alemão Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) desde 2013, foi anunciado nesta terça-feira como candidato único ao cargo da entidade para o quadriênio 2021-2025. O dirigente, que já tinha manifestado em julho a intenção de se candidatar, deverá ser eleito na Assembleia Geral, que será realizada entre 10 e 12 de março, em Atenas, na Grécia, e sua posse acontecerá oficialmente após os Jogos de Tóquio-2020, adiados para o próximo ano devido à pandemia de covid-19.

De acordo com a carta olímpica, os presidentes podem cumprir um primeiro mandato de oito anos, prorrogável por mais quatro, não podendo exceder os 12 anos na liderança do COI.

Bach, de 66 anos, sucedeu na presidência o belga Jacques Rogge, que liderou o COI entre 2001 e 2013 e foi o primeiro a cumprir a regra da limitação de mandatos, depois de o espanhol Juan Antonio Samaranch ter estado à frente da entidade durante 21 anos, entre 1980 e 2001.

Nascido em Wurzburgo, Bach, que é o nono presidente da história do COI, é formado em direito, foi campeão olímpico de esgrima nos Jogos Olímpicos de Montreal-1976, no Canadá, e integra a entidade desde 1991.

Bach liderou a Confederação Alemã de Desportos Olímpicos entre 2006 e 2013, deixando o cargo quando foi eleito presidente do COI, em uma eleição na qual se apresentaram mais cinco candidatos, entre eles o ucraniano Sergey Bubka, campeão no salto com vara.

O alemão encarou desafios à frente da entidade como o escândalo do doping institucionalizado na Rússia e o adiamento da Olimpíada de Tóquio por causa da pandemia do novo coronavírus, algo inédito na história olímpica. Por outro lado, orquestrou a nomeação conjunta de Paris e Los Angeles como sedes dos Jogos de 2024 e 2028, respectivamente, em feito também inédito.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;