Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Ladeira em São Bernardo causa 17 acidentes no ano

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Yasmin Assagra

28/11/2020 | 10:42


Os moradores da Rua Alto da Bela Vista, na Vila São Pedro, em São Bernardo, pedem socorro. Isso porque, no local, existe ladeira muito íngreme e, por causa disso, foram pelo menos 17 acidentes só neste ano. O que favorece as colisões é o fato de ser via de mão dupla, o que vira desafio para carros e, principalmente, caminhões.

Os principais acidentes acontecem na altura do número 157, trecho onde geralmente os veículos perdem a força quando estão subindo e acabam deslizando ou até capotando. Ali está a casa da atendente de pastelaria Brenda Mendes Borges, 22 anos, que relata que a sua residência já foi atingida sete vezes apenas neste ano. “Na metade da rua os veículos já não têm mais força para continuar e travam, aí que acontecem os acidentes. Os carros tombam, deslizam ou capotam, atingindo quem estiver por perto. Hoje, muito difícil ficarmos na calçada ou até na garagem”, lamenta Brenda. 

O último acidente ocorreu no dia 23 de novembro, por volta das 12h. Naquele dia a rua estava molhada e um caminhão escorregou próximo ao número 180 e deslizou até a casa de Brenda, batendo em seu portão. Além de caminhão, vans escolares, ônibus e até motos também já perderam o controle no local. Segundo relatos, apesar dos sustos, ainda não houve vítimas com ferimentos graves.

Outro problema citado pelos moradores é a falta de qualidade do asfalto. Eles observam que o piso é parecido com um cimento que, quando chove, fica ainda mais escorregadio. “Tenho certeza que melhoraria e muito essa questão. Sabemos que é uma subida e é perigosa, mas pelo menos um asfalto melhor evitaria muitos acidentes por aí”, comenta Brenda. 

A imprudência dos motoristas também contribui para os acidentes. Segundo os moradores, desde o começo do ano a Prefeitura espalhou placas pela rua explicando que caminhões – ou veículos maiores – estavam proibidos de passar pelo local, o que não é obedecido. “É claro que é necessária a colaboração de todos. Uma das últimas vezes, inclusive, um caminhão, de porte pequeno, tombou, pois, além de estar nessa subida, estava carregando com cimento e argamassa. Impossível aguentar, tombou para trás”, lembra Brenda. 

Agora, os munícipes pedem por fiscalização e por limitador de altura, no início e no fim da rua. “Muitos motoristas acabam utilizando os aplicativos e cortam o caminho por aqui. Estão, as placas que deviam alertar esses motoristas acabam não valendo de nada”, destaca a mãe de Brenda, a autônoma Francisca Mendes Leal, 49. Elas pensam em se mudar o quanto antes. “Não é fácil fazer isso, até pelo cenário de crise que todo País está passando, mas é uma de nossas metas, com certeza. Não dá mais”, finaliza Francisca.

A Prefeitura de São Bernardo, por meio da Secretaria de Transportes e Vias Públicas, informa que “a rua possui placas de sinalização indicando a proibição de circulação deste tipo de veículo (de grande porte), assim como placa que informa que a via é íngreme. No entanto, com a reincidência de ocorrências, o departamento de trânsito estuda a viabilidade de executar intervenções no local para o afunilamento do acesso à via, permitindo, assim, que apenas veículos de passeio passem pelo local”, explicou o Paço, em nota. “Quanto ao asfalto, a Secretaria de Serviços Urbanos mantém em análise a implantação de novo asfalto em diversas vias do bairro, por meio do programa Asfalto Novo. Atualmente, o local recebe serviços de Tapa Buraco, que consiste em recuperar partes danificadas da via”, finalizou a Prefeitura. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ladeira em São Bernardo causa 17 acidentes no ano

Yasmin Assagra

28/11/2020 | 10:42


Os moradores da Rua Alto da Bela Vista, na Vila São Pedro, em São Bernardo, pedem socorro. Isso porque, no local, existe ladeira muito íngreme e, por causa disso, foram pelo menos 17 acidentes só neste ano. O que favorece as colisões é o fato de ser via de mão dupla, o que vira desafio para carros e, principalmente, caminhões.

Os principais acidentes acontecem na altura do número 157, trecho onde geralmente os veículos perdem a força quando estão subindo e acabam deslizando ou até capotando. Ali está a casa da atendente de pastelaria Brenda Mendes Borges, 22 anos, que relata que a sua residência já foi atingida sete vezes apenas neste ano. “Na metade da rua os veículos já não têm mais força para continuar e travam, aí que acontecem os acidentes. Os carros tombam, deslizam ou capotam, atingindo quem estiver por perto. Hoje, muito difícil ficarmos na calçada ou até na garagem”, lamenta Brenda. 

O último acidente ocorreu no dia 23 de novembro, por volta das 12h. Naquele dia a rua estava molhada e um caminhão escorregou próximo ao número 180 e deslizou até a casa de Brenda, batendo em seu portão. Além de caminhão, vans escolares, ônibus e até motos também já perderam o controle no local. Segundo relatos, apesar dos sustos, ainda não houve vítimas com ferimentos graves.

Outro problema citado pelos moradores é a falta de qualidade do asfalto. Eles observam que o piso é parecido com um cimento que, quando chove, fica ainda mais escorregadio. “Tenho certeza que melhoraria e muito essa questão. Sabemos que é uma subida e é perigosa, mas pelo menos um asfalto melhor evitaria muitos acidentes por aí”, comenta Brenda. 

A imprudência dos motoristas também contribui para os acidentes. Segundo os moradores, desde o começo do ano a Prefeitura espalhou placas pela rua explicando que caminhões – ou veículos maiores – estavam proibidos de passar pelo local, o que não é obedecido. “É claro que é necessária a colaboração de todos. Uma das últimas vezes, inclusive, um caminhão, de porte pequeno, tombou, pois, além de estar nessa subida, estava carregando com cimento e argamassa. Impossível aguentar, tombou para trás”, lembra Brenda. 

Agora, os munícipes pedem por fiscalização e por limitador de altura, no início e no fim da rua. “Muitos motoristas acabam utilizando os aplicativos e cortam o caminho por aqui. Estão, as placas que deviam alertar esses motoristas acabam não valendo de nada”, destaca a mãe de Brenda, a autônoma Francisca Mendes Leal, 49. Elas pensam em se mudar o quanto antes. “Não é fácil fazer isso, até pelo cenário de crise que todo País está passando, mas é uma de nossas metas, com certeza. Não dá mais”, finaliza Francisca.

A Prefeitura de São Bernardo, por meio da Secretaria de Transportes e Vias Públicas, informa que “a rua possui placas de sinalização indicando a proibição de circulação deste tipo de veículo (de grande porte), assim como placa que informa que a via é íngreme. No entanto, com a reincidência de ocorrências, o departamento de trânsito estuda a viabilidade de executar intervenções no local para o afunilamento do acesso à via, permitindo, assim, que apenas veículos de passeio passem pelo local”, explicou o Paço, em nota. “Quanto ao asfalto, a Secretaria de Serviços Urbanos mantém em análise a implantação de novo asfalto em diversas vias do bairro, por meio do programa Asfalto Novo. Atualmente, o local recebe serviços de Tapa Buraco, que consiste em recuperar partes danificadas da via”, finalizou a Prefeitura. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;