Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Senado aprova projeto para aumentar pena a crime cometido por discriminação

Reprodução Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


25/11/2020 | 20:14


O Senado aprovou um projeto aumentando a pena para crimes cometidos por discriminação no Brasil. A proposta foi apresentada pelo senador Paulo Paim (PT-RS) em 2015 e foi resgatada após a morte de João Alberto Silveira Freitas, homem negro espancado por dois seguranças em uma unidade do Carrefour na zona norte de Porto Alegre.

O projeto, que dependerá de votação na Câmara dos Deputados, altera o Código Penal e coloca o crime cometido "por motivo de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional" como um agravante da pena, assim como há outros previstos na legislação, entre eles o motivo fútil ou torpe.

Na prática, o agravante aumenta a pena do acusado em caso de condenação judicial. "O projeto demonstra que o Senado da República está se colocando junto à sociedade, que não concorda com racismo, com preconceito, como manda a nossa própria Constituição", afirmou Paulo Paim, senador negro e um dos titulares do Rio Grande do Sul na Casa.

A legislação atual prevê como crime injúria pela referência à raça ou cor da pessoa. O projeto acrescenta o agravante de discriminação para todos os tipos de crimes, que pode, por exemplo, aumentar a pena em caso de agressão ou homicídio.

"Cada vez que aquela mão se levantava era uma raiva, era um crime, era a certeza da impunidade e temos que fazer face a isso com esse projeto", discursou a senadora Rose de Freitas (Pode-ES), citando o caso de Porto Alegre.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Senado aprova projeto para aumentar pena a crime cometido por discriminação


25/11/2020 | 20:14


O Senado aprovou um projeto aumentando a pena para crimes cometidos por discriminação no Brasil. A proposta foi apresentada pelo senador Paulo Paim (PT-RS) em 2015 e foi resgatada após a morte de João Alberto Silveira Freitas, homem negro espancado por dois seguranças em uma unidade do Carrefour na zona norte de Porto Alegre.

O projeto, que dependerá de votação na Câmara dos Deputados, altera o Código Penal e coloca o crime cometido "por motivo de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional" como um agravante da pena, assim como há outros previstos na legislação, entre eles o motivo fútil ou torpe.

Na prática, o agravante aumenta a pena do acusado em caso de condenação judicial. "O projeto demonstra que o Senado da República está se colocando junto à sociedade, que não concorda com racismo, com preconceito, como manda a nossa própria Constituição", afirmou Paulo Paim, senador negro e um dos titulares do Rio Grande do Sul na Casa.

A legislação atual prevê como crime injúria pela referência à raça ou cor da pessoa. O projeto acrescenta o agravante de discriminação para todos os tipos de crimes, que pode, por exemplo, aumentar a pena em caso de agressão ou homicídio.

"Cada vez que aquela mão se levantava era uma raiva, era um crime, era a certeza da impunidade e temos que fazer face a isso com esse projeto", discursou a senadora Rose de Freitas (Pode-ES), citando o caso de Porto Alegre.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;