Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Corinthians e Jô são condenados pela Fifa a indenizar o Nagoya Grampus



24/11/2020 | 15:01


A Fifa deu ganho de causa ao Nagoya Grampus em ação contra Jô e o Corinthians, que contratou o centroavante na sequência da sua saída do clube japonês. O time paulista e o jogador foram condenado a ressarcir a equipe asiática em cerca de US$ 3,4 milhões (aproximadamente R$ 18,3 milhões). A decisão ainda cabe recurso.

Sobre o assunto, o Corinthians confirmou ter sido notificado da decisão. Agora, então vai solicitar os detalhes do veredicto antes de tomar os próximos passos. A tendência é que o clube e Jô recorram à Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) contra a punição imposta pela Fifa.

"O Sport Club Corinthians Paulista recebeu na tarde desta terça-feira o resultado da decisão que envolve o atleta Jô e seu ex-clube, Nagoya Grampus. O clube tem dez dias para solicitar os fundamentos da decisão para a Fifa e assim tomar as providências necessárias", afirmou o clube.

Em 21 de junho, o Nagoya Grampus divulgou nota oficial em que confirmava a rescisão do contrato de Jô e alegava justa causa. Além disso, comunicou que estava levando o caso à Câmara de Resoluções de Disputas da Fifa, que agora optou pela punição ao clube paulista.

O Nagoya Grampus afirma que rescindiu com Jô por abandono de emprego, o que o levou, além de deixar de pagá-lo a partir de abril, a solicitar uma indenização. O impasse se dá porque o time japonês avalia que o atacante não poderia ter deixado o país em fevereiro, quando sofreu lesão no joelho, quando fez tratamento no Brasil, e quando as atividades no futebol local foram paralisadas por causa da pandemia do coronavírus.

Jô foi contratado pelo Nagoya Grampus por cerca de R$ 40 milhões no início de 2018 e tinha vínculo com a equipe japonesa até janeiro de 2021, tendo atuado com a camisa da equipe pela última vez em dezembro de 2019. Ele foi anunciado como reforço pelo Corinthians em 17 de junho, tendo firmado vínculo com a equipe paulista até o final de 2023.

Cria da base do Corinthians, Jô está na sua terceira passagem pelo time alvinegro. Ele estreou pela equipe profissional em 2003, quando tinha apenas 16 anos, e jogou até 2006, quando foi vendido para o CSKA Moscou, da Rússia. Retornou em 2017 para viver seu melhor momento no time que o revelou, sendo campeão do Campeonato Paulista e do Campeonato Brasileiro, do qual se tornou o primeiro artilheiro alvinegro, com 18 gols.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Corinthians e Jô são condenados pela Fifa a indenizar o Nagoya Grampus


24/11/2020 | 15:01


A Fifa deu ganho de causa ao Nagoya Grampus em ação contra Jô e o Corinthians, que contratou o centroavante na sequência da sua saída do clube japonês. O time paulista e o jogador foram condenado a ressarcir a equipe asiática em cerca de US$ 3,4 milhões (aproximadamente R$ 18,3 milhões). A decisão ainda cabe recurso.

Sobre o assunto, o Corinthians confirmou ter sido notificado da decisão. Agora, então vai solicitar os detalhes do veredicto antes de tomar os próximos passos. A tendência é que o clube e Jô recorram à Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) contra a punição imposta pela Fifa.

"O Sport Club Corinthians Paulista recebeu na tarde desta terça-feira o resultado da decisão que envolve o atleta Jô e seu ex-clube, Nagoya Grampus. O clube tem dez dias para solicitar os fundamentos da decisão para a Fifa e assim tomar as providências necessárias", afirmou o clube.

Em 21 de junho, o Nagoya Grampus divulgou nota oficial em que confirmava a rescisão do contrato de Jô e alegava justa causa. Além disso, comunicou que estava levando o caso à Câmara de Resoluções de Disputas da Fifa, que agora optou pela punição ao clube paulista.

O Nagoya Grampus afirma que rescindiu com Jô por abandono de emprego, o que o levou, além de deixar de pagá-lo a partir de abril, a solicitar uma indenização. O impasse se dá porque o time japonês avalia que o atacante não poderia ter deixado o país em fevereiro, quando sofreu lesão no joelho, quando fez tratamento no Brasil, e quando as atividades no futebol local foram paralisadas por causa da pandemia do coronavírus.

Jô foi contratado pelo Nagoya Grampus por cerca de R$ 40 milhões no início de 2018 e tinha vínculo com a equipe japonesa até janeiro de 2021, tendo atuado com a camisa da equipe pela última vez em dezembro de 2019. Ele foi anunciado como reforço pelo Corinthians em 17 de junho, tendo firmado vínculo com a equipe paulista até o final de 2023.

Cria da base do Corinthians, Jô está na sua terceira passagem pelo time alvinegro. Ele estreou pela equipe profissional em 2003, quando tinha apenas 16 anos, e jogou até 2006, quando foi vendido para o CSKA Moscou, da Rússia. Retornou em 2017 para viver seu melhor momento no time que o revelou, sendo campeão do Campeonato Paulista e do Campeonato Brasileiro, do qual se tornou o primeiro artilheiro alvinegro, com 18 gols.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;