Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Love´s in the air

Britain on View/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Heloísa Cestari
Do Diário do Grande ABC

12/05/2011 | 07:00


No embalo do clima love is in the air deixado pelo casamento, uma série de roteiros turísticos desponta como testemunha dos oito anos de romance entre William e Kate Middleton.

O mais emblemático deles fica na Escócia. Foi lá que os dois se conheceram, como estudantes da Universidade de St. Andrew, a mais antiga da Escócia, fundada em 1413. E não é para menos: a instituição tem fama de possuir atributos, digamos, afrodisíacos. De acordo com o jornal londrino Daily Mirror, um em cada dez graduandos encontra seu par ideal ali e se casa.

A explicação seria o fato de a cidade ser pequena, propícia para envolver os alunos em um ambiente mais amigável. Mas quem visita St. Andrews logo percebe que não é só isso que inspira o amor. Grande ou diminuto, o local transborda romantismo, seja nas ruas de pedra, cercadas por muros cobertos de hera, seja nas praias ou em animados pubs, como o Ma Bells Bistro Bar, do St. Andrew's Golf Hotel, o pub predileto do príncipe William durante sua estada na Escócia, onde, ao que consta, ele costumava beber cidra com seus seguranças.

Mas o cardápio também oferece um extenso leque de cervejas artesanais e importadas, além de destilados, coquetéis e sanduíches. Os astros de cinema Hugh Grant e Bill Murray também são fãs do bar, mas o local é simples, com hambúrgueres no cardápio e um séquito de estudantes.

Dizem que os alunos da universidade, durante as conversas de bar, chamavam William de Steve para que os jornalistas não soubessem quando estavam se referindo ao príncipe.

Foi esse ambiente de cumplicidade que levou William a declarar, em fevereiro, que St. Andrew's é, "de longe, a melhor universidade do mundo". Os moradores se acostumaram a vê-lo andando de bicicleta e aproveitando a vida social com os amigos. Não só no Ma Bells como também no West Port Bar, na South Street. Para manter a privacidade, William sempre sentava em uma mesa atrás da pilastra.

Para refeições especiais ao lado de Kate, eles seguiam para o Seafood Restaurant. Como o próprio nome indica, este restaurante voltado para o mar, com janelas do chão ao teto, tem os peixes e frutos do mar como as grandes vedetes do cardápio.

É bem verdade que, em St. Andrews, a fama de reduto do golfe rouba a cena na maior parte do tempo. Afinal, foi lá que o Royal e o Ancient Golf Club se encontraram pela primeira vez, em 1754, e é nos gramados do Old Course que os golfistas mais consagrados do planeta se reúnem até hoje para disputar o tradicional Campeonato Aberto Britânico.

Essas e outras histórias podem ser conferidas no Museu Britânico do Golfe, que conta 500 anos do esporte por meio de apresentações multimídia.

Mas nem só de livros e tacadas vive St. Andrews. As praias também merecem atenção. Especialmente a de West Sands, que serviu de cenário para a abertura do filme Carruagens de Fogo. Quando ficavam na casa da Hope Street, William e Kate costumavam caminhar pela St. Andrew's West Sands. A localização lhes permitia passear pelo castelo e pela catedral de St. Andrew's, ao passo que a bela Tentsmuir Forest proporcionava certa privacidade em contato com a natureza.

O casal também gostava de explorar lugares da Escócia aos fins de semana. Depois de seus exames finais, o casal e alguns amigos viajavam para Mull, uma ilha nas Hébridas Interiores, acessível apenas de balsa. Os namorados se hospedavam em Victoria Cottage, poucos minutos a pé da colorida zona portuária de Tobermory. E atenção, fãs da realeza: a casa de campo em que eles se hospedavam está à venda (veja o site www.bellingram.co.uk/properties/show/503). Custa 219 mil libras (cerca de R$ 575 mil).

 

Anglesey: o doce lar de Kate e William

 

Não à toa, o mais novo casal da monarquia britânica escolheu Anglesey como morada. Além do ambiente reservado, tomado por paisagens bucólicas e apenas uma ou outra casa perdida em meio aos extensos pastos, este longínquo recanto no País de Gales serve de base para a Força Aérea Real, onde William trabalha como piloto de operações de resgate. Como se isso não fosse suficiente, o arquipélago ainda abriga a pequena Llanddwyn, lar de Saint Dwynwen, a santa padroeira dos galeses apaixonados.

White Eagle, em Rhoscolyn, fica perto da base da Força Aérea Real e tem William e Kate como clientes. Quando estão lá, ela opta por peixe e salada com vinho branco e William prefere cerveja e hambúrguer caseiro.

Também conhecido como Môn Mam Cymru (Mãe de Gales), Anglesey hospeda cerca de 1 milhão de visitantes ao ano. Outro meio milhão de turistas vai lá só para passar o dia. Uma pena visto que há tanto o que se fazer por lá. Uma rota de 200 quilômetros pela Via Costeira de Anglesey revela dunas, campos verdejantes, pântanos e falésias. E com um pouco de sorte ainda avistam-se esquilos vermelhos.

Em meio a cenários tão diversificados, castelos e mansões despontam para dar um charme a mais. Destaque para Beaumaris, que abriga a última fortaleza galesa do rei Edward I, hoje declarada patrimônio da humanidade, e uma filial do Waitrose, onde Kate pode ser vista fazendo compras de supermercado.

Também pertence a Anglesey a estação de trem com o nome mais longo da Europa. Trata-se da Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwll-llantysiliogogogoch - que significa "Igreja de Santa Maria no vale da aveleira branca perto do redemoinho ligeiro e da igreja de São Tysilio da gruta vermelha".

O nome é normalmente abreviado para Llanfairpwll ou Llanfair PG. Dizem que a denominação completa foi criação de um alfaiate local, que queria colocar a aldeia no mapa em meados de 1800. Resta desejar que o casamento real e o amor entre Kate e William dure tanto quanto a pronúncia da estação...

 

A badalada vida de solteiro em Londres

 

Apesar da pompa que envolve a Família Real, o príncipe William sempre foi visto em lugares populares de Londres. Recentemente, ele chegou de moto ao pub Prince Albert, na Zona Sul da capital. Depois de um jogo de futebol com seus amigos, devorou um cheeseburger, seguido de uma torta de maçã, enquanto assistia a uma partida de futebol na televisão.

Os habitantes de Bucklebury, cidadezinha onde Kate mora com a família em Berkshire, também estão acostumados a ver o casal, seja entrando no Old Boot Inn (o pub local), ou na agência de correio. Os pais de Kate também têm um apartamento no bairro londrino de Chelsea, onde ela é vista com frequência fazendo compras na Kings Road - tanto na loja de departamentos Peter Jones como na Bluebird.

Quer se parecer com Kate? Ela cuida dos cabelos no salão das celebridades, Richard Ward, no novo complexo comercial Duke of York, ao lado da Kings Road, e geralmente faz pedicure e manicure ao mesmo tempo. Seu cabeleireiro é James Pryce. Uma sessão de transformação total, com duração de três horas e meia, custa 299 libras (R$ 785). A Kings Road também abriga filiais das lojas favoritas de Kate, incluindo Reiss, Whistles e Jigsaw.

William é bastante conservador quando se trata de roupas. Como seu pai, ele prefere os alfaiates de Savile Row, em Londres. A maioria de seus ternos é de Ede & Ravenscroft ou de Turnbull & Asser, e os sapatos são de Lobb.

Kate e William já foram vistos jantando no Franco, localizado na Jermyn Street. Outro endereço britânico famoso quando se trata de exclusividade, este restaurante discreto fica aberto do café da manhã até o jantar, e serve culinária italiana em ambiente romântico. Kate também já almoçou com Camilla, a duquesa da Cornualha, no Koffmans, o restaurante do Hotel Berkeley em Knightsbridge.

Para uma saída noturna, a Boujis, em South Kensington, é a boate preferida da realeza há muito tempo. Trata-se de um complexo de bares e pistas de dança, regularmente frequentado pelos integrantes jovens da realeza. Nos últimos anos, os príncipes William e Harry também frequentaram o Mahiki, bem próximo de Piccadilly, a uma pequena distância do palácio St. James e da Clarence House, casa do pai deles. Pode ser difícil passar para o lado de dentro da corda de veludo - um cargo importante ou um grande sucesso de Hollywood no currículo ajuda - mas depois que se está lá dentro, depara-se com um estilo kitsch e divertido, com tema havaiano que inclui coquetéis e decoração praiana.

O príncipe Harry ficou responsável pela festa de despedida de solteiro do irmão - a festa que os homens tradicionalmente organizam antes do casamento - e conseguiu manter tudo em segredo. Mas no ano passado, William foi flagrado no balneário praiano de Blackpool, Lancashire, onde aproveitou para dar uma volta no Ice Blast e no Big Dipper durante a festa de despedida de solteiro de um amigo. Ele também visitou a baía de Watergate, na Cornualha, para desfrutar de um fim de semana de surfe. (Do Visit Britain)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Love´s in the air

Heloísa Cestari
Do Diário do Grande ABC

12/05/2011 | 07:00


No embalo do clima love is in the air deixado pelo casamento, uma série de roteiros turísticos desponta como testemunha dos oito anos de romance entre William e Kate Middleton.

O mais emblemático deles fica na Escócia. Foi lá que os dois se conheceram, como estudantes da Universidade de St. Andrew, a mais antiga da Escócia, fundada em 1413. E não é para menos: a instituição tem fama de possuir atributos, digamos, afrodisíacos. De acordo com o jornal londrino Daily Mirror, um em cada dez graduandos encontra seu par ideal ali e se casa.

A explicação seria o fato de a cidade ser pequena, propícia para envolver os alunos em um ambiente mais amigável. Mas quem visita St. Andrews logo percebe que não é só isso que inspira o amor. Grande ou diminuto, o local transborda romantismo, seja nas ruas de pedra, cercadas por muros cobertos de hera, seja nas praias ou em animados pubs, como o Ma Bells Bistro Bar, do St. Andrew's Golf Hotel, o pub predileto do príncipe William durante sua estada na Escócia, onde, ao que consta, ele costumava beber cidra com seus seguranças.

Mas o cardápio também oferece um extenso leque de cervejas artesanais e importadas, além de destilados, coquetéis e sanduíches. Os astros de cinema Hugh Grant e Bill Murray também são fãs do bar, mas o local é simples, com hambúrgueres no cardápio e um séquito de estudantes.

Dizem que os alunos da universidade, durante as conversas de bar, chamavam William de Steve para que os jornalistas não soubessem quando estavam se referindo ao príncipe.

Foi esse ambiente de cumplicidade que levou William a declarar, em fevereiro, que St. Andrew's é, "de longe, a melhor universidade do mundo". Os moradores se acostumaram a vê-lo andando de bicicleta e aproveitando a vida social com os amigos. Não só no Ma Bells como também no West Port Bar, na South Street. Para manter a privacidade, William sempre sentava em uma mesa atrás da pilastra.

Para refeições especiais ao lado de Kate, eles seguiam para o Seafood Restaurant. Como o próprio nome indica, este restaurante voltado para o mar, com janelas do chão ao teto, tem os peixes e frutos do mar como as grandes vedetes do cardápio.

É bem verdade que, em St. Andrews, a fama de reduto do golfe rouba a cena na maior parte do tempo. Afinal, foi lá que o Royal e o Ancient Golf Club se encontraram pela primeira vez, em 1754, e é nos gramados do Old Course que os golfistas mais consagrados do planeta se reúnem até hoje para disputar o tradicional Campeonato Aberto Britânico.

Essas e outras histórias podem ser conferidas no Museu Britânico do Golfe, que conta 500 anos do esporte por meio de apresentações multimídia.

Mas nem só de livros e tacadas vive St. Andrews. As praias também merecem atenção. Especialmente a de West Sands, que serviu de cenário para a abertura do filme Carruagens de Fogo. Quando ficavam na casa da Hope Street, William e Kate costumavam caminhar pela St. Andrew's West Sands. A localização lhes permitia passear pelo castelo e pela catedral de St. Andrew's, ao passo que a bela Tentsmuir Forest proporcionava certa privacidade em contato com a natureza.

O casal também gostava de explorar lugares da Escócia aos fins de semana. Depois de seus exames finais, o casal e alguns amigos viajavam para Mull, uma ilha nas Hébridas Interiores, acessível apenas de balsa. Os namorados se hospedavam em Victoria Cottage, poucos minutos a pé da colorida zona portuária de Tobermory. E atenção, fãs da realeza: a casa de campo em que eles se hospedavam está à venda (veja o site www.bellingram.co.uk/properties/show/503). Custa 219 mil libras (cerca de R$ 575 mil).

 

Anglesey: o doce lar de Kate e William

 

Não à toa, o mais novo casal da monarquia britânica escolheu Anglesey como morada. Além do ambiente reservado, tomado por paisagens bucólicas e apenas uma ou outra casa perdida em meio aos extensos pastos, este longínquo recanto no País de Gales serve de base para a Força Aérea Real, onde William trabalha como piloto de operações de resgate. Como se isso não fosse suficiente, o arquipélago ainda abriga a pequena Llanddwyn, lar de Saint Dwynwen, a santa padroeira dos galeses apaixonados.

White Eagle, em Rhoscolyn, fica perto da base da Força Aérea Real e tem William e Kate como clientes. Quando estão lá, ela opta por peixe e salada com vinho branco e William prefere cerveja e hambúrguer caseiro.

Também conhecido como Môn Mam Cymru (Mãe de Gales), Anglesey hospeda cerca de 1 milhão de visitantes ao ano. Outro meio milhão de turistas vai lá só para passar o dia. Uma pena visto que há tanto o que se fazer por lá. Uma rota de 200 quilômetros pela Via Costeira de Anglesey revela dunas, campos verdejantes, pântanos e falésias. E com um pouco de sorte ainda avistam-se esquilos vermelhos.

Em meio a cenários tão diversificados, castelos e mansões despontam para dar um charme a mais. Destaque para Beaumaris, que abriga a última fortaleza galesa do rei Edward I, hoje declarada patrimônio da humanidade, e uma filial do Waitrose, onde Kate pode ser vista fazendo compras de supermercado.

Também pertence a Anglesey a estação de trem com o nome mais longo da Europa. Trata-se da Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwll-llantysiliogogogoch - que significa "Igreja de Santa Maria no vale da aveleira branca perto do redemoinho ligeiro e da igreja de São Tysilio da gruta vermelha".

O nome é normalmente abreviado para Llanfairpwll ou Llanfair PG. Dizem que a denominação completa foi criação de um alfaiate local, que queria colocar a aldeia no mapa em meados de 1800. Resta desejar que o casamento real e o amor entre Kate e William dure tanto quanto a pronúncia da estação...

 

A badalada vida de solteiro em Londres

 

Apesar da pompa que envolve a Família Real, o príncipe William sempre foi visto em lugares populares de Londres. Recentemente, ele chegou de moto ao pub Prince Albert, na Zona Sul da capital. Depois de um jogo de futebol com seus amigos, devorou um cheeseburger, seguido de uma torta de maçã, enquanto assistia a uma partida de futebol na televisão.

Os habitantes de Bucklebury, cidadezinha onde Kate mora com a família em Berkshire, também estão acostumados a ver o casal, seja entrando no Old Boot Inn (o pub local), ou na agência de correio. Os pais de Kate também têm um apartamento no bairro londrino de Chelsea, onde ela é vista com frequência fazendo compras na Kings Road - tanto na loja de departamentos Peter Jones como na Bluebird.

Quer se parecer com Kate? Ela cuida dos cabelos no salão das celebridades, Richard Ward, no novo complexo comercial Duke of York, ao lado da Kings Road, e geralmente faz pedicure e manicure ao mesmo tempo. Seu cabeleireiro é James Pryce. Uma sessão de transformação total, com duração de três horas e meia, custa 299 libras (R$ 785). A Kings Road também abriga filiais das lojas favoritas de Kate, incluindo Reiss, Whistles e Jigsaw.

William é bastante conservador quando se trata de roupas. Como seu pai, ele prefere os alfaiates de Savile Row, em Londres. A maioria de seus ternos é de Ede & Ravenscroft ou de Turnbull & Asser, e os sapatos são de Lobb.

Kate e William já foram vistos jantando no Franco, localizado na Jermyn Street. Outro endereço britânico famoso quando se trata de exclusividade, este restaurante discreto fica aberto do café da manhã até o jantar, e serve culinária italiana em ambiente romântico. Kate também já almoçou com Camilla, a duquesa da Cornualha, no Koffmans, o restaurante do Hotel Berkeley em Knightsbridge.

Para uma saída noturna, a Boujis, em South Kensington, é a boate preferida da realeza há muito tempo. Trata-se de um complexo de bares e pistas de dança, regularmente frequentado pelos integrantes jovens da realeza. Nos últimos anos, os príncipes William e Harry também frequentaram o Mahiki, bem próximo de Piccadilly, a uma pequena distância do palácio St. James e da Clarence House, casa do pai deles. Pode ser difícil passar para o lado de dentro da corda de veludo - um cargo importante ou um grande sucesso de Hollywood no currículo ajuda - mas depois que se está lá dentro, depara-se com um estilo kitsch e divertido, com tema havaiano que inclui coquetéis e decoração praiana.

O príncipe Harry ficou responsável pela festa de despedida de solteiro do irmão - a festa que os homens tradicionalmente organizam antes do casamento - e conseguiu manter tudo em segredo. Mas no ano passado, William foi flagrado no balneário praiano de Blackpool, Lancashire, onde aproveitou para dar uma volta no Ice Blast e no Big Dipper durante a festa de despedida de solteiro de um amigo. Ele também visitou a baía de Watergate, na Cornualha, para desfrutar de um fim de semana de surfe. (Do Visit Britain)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;