Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 4 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Filippi e Atila levam na periferia, obstáculo para Taka e Marcelo

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Líderes do 1º turno em Diadema e Mauá venceram em bairros populosos, onde segundos colocados tiveram dificuldades


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

22/11/2020 | 00:01


Vencedores no primeiro turno das eleições em Diadema e em Mauá, José de Filippi Júnior (PT) e Atila Jacomussi (PSB), respectivamente, foram os mais votados em bairros das periferias das duas cidades. Foram nessas mesmas regiões onde os segundos colocados, Taka Yamauchi (PSD) e Marcelo Oliveira (PT), registraram seus piores desempenhos. Os municípios são os únicos da região em que haverá novo confronto, dia 29.

Em Diadema, Filippi venceu nas três zonas eleitorais da cidade. Em duas delas, a vantagem do petista sobre o segundo mais votado foi mais larga. As duas regiões abrangem o maior número de eleitores da cidade, moradores dos populosos bairros do Jardim Canhema, Campanário, Taboão (329ª), Serraria, Jardim Inamar e Eldorado (426ª), distritos onde há maior concentração de moradores em situação de vulnerabilidade social. Nessas regiões, Filippi abocanhou 49,7% e 44,03% dos votos, respectivamente.

Na Zona 426ª, Taka teve seu pior resultado: ficou em quarto lugar, com 10,13% (5.388 votos). Lá, o pessedista perdeu o posto do segundo lugar para, na sequência: Ricardo Yoshio (PSDB), com 22,52%; e Pretinho do Água Santa (DEM), 11,75%.

Taka registrou seu melhor desempenho na Zona 222ª, que reúne eleitores do Centro e de bairros da região central da cidade. Nessa zona, chegou mais perto de Filippi: diferença de 8.853 votos, em uma média de 26,2 mil votos nas outras duas zonas.
MAUÁ

Autodenominado como ‘prefeito do povo’, Atila também venceu nas três zonas eleitorais da cidade, mas foi na periferia que ele se saiu melhor: 41,32% dos eleitores da Zona 365ª confiaram um segundo mandato ao socialista. Da mesma forma como em Diadema, os eleitores desse distrito residem nos povoados bairros dos jardins Zaíra, Feital e Itapeva. Nessa região, Marcelo conquistou o segundo lugar (19,79%), mas com muito sufoco. Lá, a diferença de votos entre o petista e o terceiro colocado, João Veríssimo (PSD), foi de irrisórios 180 votos.

Na Zona 217ª, Marcelo viu a maioria dos eleitores ir com Atila (29,52%) e perdeu o posto de segundo lugar para Veríssimo, também em placar acirrado: 20,96% a 18,72%. No resultado total, o petista conquistou a outra vaga no segundo turno por apenas 655 votos à frente de Veríssimo.

ELEITOS
Além da vitória na votação total, os prefeitos eleitos e reeleitos das demais cidades da região venceram também em todas as zonas eleitorais de suas cidades. A acachapante vitória do andreense Paulo Serra (PSDB), por 76,88% (266.591 votos), foi repetida nas seis zonas eleitorais de Santo André.

A vereadora Bete Siraque (PT) ficou em segundo lugar no estrato geral, com 7,35% dos votos, mas só se manteve nessa mesma posição em duas zonas. Em três, foi vencida por Bruno Daniel (Psol) e, em outra, por Ailton Lima (PSB).

O patamar da vitória do prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), que foi reeleito com 67,28%, foi confirmado, na mesma proporção, nas seis zonas eleitorais do município. Reconduzido ao quarto mandato em São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB) venceu nas duas zonas eleitorais da cidade por 45%. Em Ribeirão Pires, o prefeito eleito, Clóvis Volpi (PL), também saiu vitorioso nas duas zonas. Em Rio Grande, a única zona eleitoral conferiu vitória a Claudinho da Geladeira (Podemos). 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Filippi e Atila levam na periferia, obstáculo para Taka e Marcelo

Líderes do 1º turno em Diadema e Mauá venceram em bairros populosos, onde segundos colocados tiveram dificuldades

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

22/11/2020 | 00:01


Vencedores no primeiro turno das eleições em Diadema e em Mauá, José de Filippi Júnior (PT) e Atila Jacomussi (PSB), respectivamente, foram os mais votados em bairros das periferias das duas cidades. Foram nessas mesmas regiões onde os segundos colocados, Taka Yamauchi (PSD) e Marcelo Oliveira (PT), registraram seus piores desempenhos. Os municípios são os únicos da região em que haverá novo confronto, dia 29.

Em Diadema, Filippi venceu nas três zonas eleitorais da cidade. Em duas delas, a vantagem do petista sobre o segundo mais votado foi mais larga. As duas regiões abrangem o maior número de eleitores da cidade, moradores dos populosos bairros do Jardim Canhema, Campanário, Taboão (329ª), Serraria, Jardim Inamar e Eldorado (426ª), distritos onde há maior concentração de moradores em situação de vulnerabilidade social. Nessas regiões, Filippi abocanhou 49,7% e 44,03% dos votos, respectivamente.

Na Zona 426ª, Taka teve seu pior resultado: ficou em quarto lugar, com 10,13% (5.388 votos). Lá, o pessedista perdeu o posto do segundo lugar para, na sequência: Ricardo Yoshio (PSDB), com 22,52%; e Pretinho do Água Santa (DEM), 11,75%.

Taka registrou seu melhor desempenho na Zona 222ª, que reúne eleitores do Centro e de bairros da região central da cidade. Nessa zona, chegou mais perto de Filippi: diferença de 8.853 votos, em uma média de 26,2 mil votos nas outras duas zonas.
MAUÁ

Autodenominado como ‘prefeito do povo’, Atila também venceu nas três zonas eleitorais da cidade, mas foi na periferia que ele se saiu melhor: 41,32% dos eleitores da Zona 365ª confiaram um segundo mandato ao socialista. Da mesma forma como em Diadema, os eleitores desse distrito residem nos povoados bairros dos jardins Zaíra, Feital e Itapeva. Nessa região, Marcelo conquistou o segundo lugar (19,79%), mas com muito sufoco. Lá, a diferença de votos entre o petista e o terceiro colocado, João Veríssimo (PSD), foi de irrisórios 180 votos.

Na Zona 217ª, Marcelo viu a maioria dos eleitores ir com Atila (29,52%) e perdeu o posto de segundo lugar para Veríssimo, também em placar acirrado: 20,96% a 18,72%. No resultado total, o petista conquistou a outra vaga no segundo turno por apenas 655 votos à frente de Veríssimo.

ELEITOS
Além da vitória na votação total, os prefeitos eleitos e reeleitos das demais cidades da região venceram também em todas as zonas eleitorais de suas cidades. A acachapante vitória do andreense Paulo Serra (PSDB), por 76,88% (266.591 votos), foi repetida nas seis zonas eleitorais de Santo André.

A vereadora Bete Siraque (PT) ficou em segundo lugar no estrato geral, com 7,35% dos votos, mas só se manteve nessa mesma posição em duas zonas. Em três, foi vencida por Bruno Daniel (Psol) e, em outra, por Ailton Lima (PSB).

O patamar da vitória do prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), que foi reeleito com 67,28%, foi confirmado, na mesma proporção, nas seis zonas eleitorais do município. Reconduzido ao quarto mandato em São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB) venceu nas duas zonas eleitorais da cidade por 45%. Em Ribeirão Pires, o prefeito eleito, Clóvis Volpi (PL), também saiu vitorioso nas duas zonas. Em Rio Grande, a única zona eleitoral conferiu vitória a Claudinho da Geladeira (Podemos). 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;