Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Opinião: Reino Unido endurece regras para veículos automotores

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Da Redação
Do Garagem360

20/11/2020 | 11:48


*Por Vivaldo José Breternitz

O Reino Unido proibirá a venda de novos veículos com motor de combustão interna a partir de 2030, anunciou o primeiro-ministro Boris Johnson.

Também proibirá a venda de novos carros híbridos a partir de 2035. Johnson fez o anúncio como parte de um novo plano de dez pontos para uma “revolução industrial verde”.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Esta é a segunda vez que Johnson antecipa os prazos. O plano original era interromper as vendas desses veículos em 2040. Em fevereiro, Johnson mudou a meta para 2035 e agora para 2030.

Johnson está sob pressão crescente para reprimir os veículos que consomem gasolina e diesel a fim de cumprir a meta do Reino Unido de eliminar as emissões que contribuem para as mudanças climáticas até 2050.

“Embora este ano tenha tomado um caminho muito diferente daquele que esperávamos, o Reino Unido está olhando para o futuro e aproveitando a oportunidade para trazer mais verde de volta”, disse Johnson em um comunicado divulgado à imprensa; afirmou também que “a recuperação do nosso planeta e das nossas economias pode e deve andar de mãos dadas.”

LEIA MAIS: Recall da VW convoca Tiguan R-Line por problema no spoiler traseiro
Recall: Chevrolet convoca Cruze e Tracker por problema no acumulador do stop/start

Acelerar a transição total para veículos elétricos coloca o Reino Unido na vanguarda desse processo; a França tem como meta proibir a venda de novos veículos movidos a combustíveis fósseis em 2040.

A Califórnia recentemente se comprometeu a fazê-lo até 2035 e a Noruega tem uma meta mais ambiciosa, proibindo a venda de veículos desse tipo a partir de 2025.

A “revolução industrial verde” que Johnson planejou para o Reino Unido inclui uma ampla gama de iniciativas para estimular o crescimento econômico e enfrentar as mudanças climáticas.

Seu governo planeja reduzir as emissões investindo em transporte público e buscando formas de tornar aviões e navios menos poluentes. O plano também inclui esforços para diminuir as emissões de carbono, incentivando o uso de energia eólica, células de hidrogênio e energia nuclear.

Todo o plano exigirá investimentos da ordem de 16 bilhões de dólares.

*Vivaldo José Breternitz é Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Opinião: Reino Unido endurece regras para veículos automotores

Da Redação
Do Garagem360

20/11/2020 | 11:48


*Por Vivaldo José Breternitz

O Reino Unido proibirá a venda de novos veículos com motor de combustão interna a partir de 2030, anunciou o primeiro-ministro Boris Johnson.

Também proibirá a venda de novos carros híbridos a partir de 2035. Johnson fez o anúncio como parte de um novo plano de dez pontos para uma “revolução industrial verde”.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link.

Esta é a segunda vez que Johnson antecipa os prazos. O plano original era interromper as vendas desses veículos em 2040. Em fevereiro, Johnson mudou a meta para 2035 e agora para 2030.

Johnson está sob pressão crescente para reprimir os veículos que consomem gasolina e diesel a fim de cumprir a meta do Reino Unido de eliminar as emissões que contribuem para as mudanças climáticas até 2050.

“Embora este ano tenha tomado um caminho muito diferente daquele que esperávamos, o Reino Unido está olhando para o futuro e aproveitando a oportunidade para trazer mais verde de volta”, disse Johnson em um comunicado divulgado à imprensa; afirmou também que “a recuperação do nosso planeta e das nossas economias pode e deve andar de mãos dadas.”

LEIA MAIS: Recall da VW convoca Tiguan R-Line por problema no spoiler traseiro
Recall: Chevrolet convoca Cruze e Tracker por problema no acumulador do stop/start

Acelerar a transição total para veículos elétricos coloca o Reino Unido na vanguarda desse processo; a França tem como meta proibir a venda de novos veículos movidos a combustíveis fósseis em 2040.

A Califórnia recentemente se comprometeu a fazê-lo até 2035 e a Noruega tem uma meta mais ambiciosa, proibindo a venda de veículos desse tipo a partir de 2025.

A “revolução industrial verde” que Johnson planejou para o Reino Unido inclui uma ampla gama de iniciativas para estimular o crescimento econômico e enfrentar as mudanças climáticas.

Seu governo planeja reduzir as emissões investindo em transporte público e buscando formas de tornar aviões e navios menos poluentes. O plano também inclui esforços para diminuir as emissões de carbono, incentivando o uso de energia eólica, células de hidrogênio e energia nuclear.

Todo o plano exigirá investimentos da ordem de 16 bilhões de dólares.

*Vivaldo José Breternitz é Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;