Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Foguetes atingem a Zona Verde de Bagdá, dizem autoridades iraquianas

Reprodução Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


17/11/2020 | 17:35


Autoridades iraquianas disseram nesta terça-feira, 17, que pelo menos dois foguetes Katyusha atingiram a fortificada Zona Verde de Bagdá, sinalizando o fim de uma trégua informal anunciada em outubro por milícias apoiadas pelo Irã. No local, ficam a sede do governo do Iraque e de embaixadas estrangeiras, incluindo a americana.

Segundo a agência France Presse, os foguetes atingiram a Embaixada dos EUA. Jornalistas da agência disseram ter ouvido várias explosões, seguidas do som de outras detonações e de clarões avermelhados no céu, o que indicaria que o sistema de defesa americano C-RAM foi rapidamente ativado na sede diplomática.

Segundo a agência Associated Press, as autoridades em Bagdá disseram que ao menos dois iraquianos do serviço de segurança ficaram feridos.

Frequentes ataques contra a embaixada no ano passado levaram Washington a ameaçar fechar sua missão em Bagdá e gerou uma crise diplomática antes das eleições nos EUA.

Em meados de outubro, grupos de milícia apoiados pelo Irã anunciaram que suspenderiam temporariamente os ataques contra a presença americana no Iraque, incluindo a embaixada, com a condição de que as tropas da coalizão liderada pelos EUA se retirassem do país.

Os ataques ocorrem no mesmo dia em que o Pentágono anunciou que vai retirar 500 dos 3 mil soldados americanos que ainda estão no país e 2 mil do Afeganistão até 15 de janeiro.

Ainda hoje mais cedo, o regime iraniano afirmou que qualquer ataque por parte dos Estados Unidos ao país teria "uma resposta esmagadora". A declaração foi feita um dia após uma reportagem do New York Times revelar que Donald Trump pediu a conselheiros opções para uma ofensiva contra a principal instalação nuclear iraniana. O presidente americano, no entanto, foi dissuadido a não adotar nenhuma atitude. (Com agências internacionais)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Foguetes atingem a Zona Verde de Bagdá, dizem autoridades iraquianas


17/11/2020 | 17:35


Autoridades iraquianas disseram nesta terça-feira, 17, que pelo menos dois foguetes Katyusha atingiram a fortificada Zona Verde de Bagdá, sinalizando o fim de uma trégua informal anunciada em outubro por milícias apoiadas pelo Irã. No local, ficam a sede do governo do Iraque e de embaixadas estrangeiras, incluindo a americana.

Segundo a agência France Presse, os foguetes atingiram a Embaixada dos EUA. Jornalistas da agência disseram ter ouvido várias explosões, seguidas do som de outras detonações e de clarões avermelhados no céu, o que indicaria que o sistema de defesa americano C-RAM foi rapidamente ativado na sede diplomática.

Segundo a agência Associated Press, as autoridades em Bagdá disseram que ao menos dois iraquianos do serviço de segurança ficaram feridos.

Frequentes ataques contra a embaixada no ano passado levaram Washington a ameaçar fechar sua missão em Bagdá e gerou uma crise diplomática antes das eleições nos EUA.

Em meados de outubro, grupos de milícia apoiados pelo Irã anunciaram que suspenderiam temporariamente os ataques contra a presença americana no Iraque, incluindo a embaixada, com a condição de que as tropas da coalizão liderada pelos EUA se retirassem do país.

Os ataques ocorrem no mesmo dia em que o Pentágono anunciou que vai retirar 500 dos 3 mil soldados americanos que ainda estão no país e 2 mil do Afeganistão até 15 de janeiro.

Ainda hoje mais cedo, o regime iraniano afirmou que qualquer ataque por parte dos Estados Unidos ao país teria "uma resposta esmagadora". A declaração foi feita um dia após uma reportagem do New York Times revelar que Donald Trump pediu a conselheiros opções para uma ofensiva contra a principal instalação nuclear iraniana. O presidente americano, no entanto, foi dissuadido a não adotar nenhuma atitude. (Com agências internacionais)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;