Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

'Com gratidão, o otimismo é sustentável', diz Michael J. Fox sobre Parkinson

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


17/11/2020 | 17:28


O ator Michael J. Fox falou sobre os efeitos da doença de Parkinson em sua vida, e como ele tenta manter seu otimismo, em uma entrevista ao Good Morning America na segunda-feira, 16. O astro da trilogia De Volta Para o Futuro também contou como foi o combate a um tumor que descobriu em 2018.

Fox está lançando um livro autobiográfico, e destacou que ele conta uma "prova severa pela qual eu passei, de um jeito improvável", se referindo ao Parkinson. Ele foi diagnosticado com a doença em 1991, quando tinha 29 anos, mas revelou que demorou sete anos para informar a família, enquanto procurava por outras opiniões de especialistas.

"Eu cheguei a uma paz em relação a isso doença de Parkinson. Ele tira um espaço mas deixa outro, para fazer outras coisas e prosperar, como golfe, ter amizades e viajar", disse o ator.

Em 2018, um tumor benigno foi identificado na coluna vertebral de Fox, que precisou fazer uma cirurgia para removê-lo: "a cirurgia não poderia reverter o dano feito, mas poderia talvez parar o tumor de progredir, mas se ela falhasse iria progredir ao ponto de eu não poder andar".

O ator contou que ainda possui dificuldades para andar devido ao tumor, o que levou a um acidente doméstico no mesmo ano em que ele fraturou o braço. "Eu tenho que pensar antes de andar, não consigo controlar meus movimentos, a direção", afirmou.

Apesar disso, Fox disse que tenta manter o otimismo, e ainda se referiu à pandemia do novo coronavírus: "Todos nós passamos por algo, estamos todos passando por algo neste ano. Mas com gratidão, o otimismo é sustentável".

Ao fim da entrevista, ele também destacou que é importante que as pessoas "vivam, amem e sejam gratas". "Falo isso entendendo que todos têm pesos para carregar e alguns são mais pesados, mas se você achar um pouco de algo para ser grato, você será capaz de continuar".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

'Com gratidão, o otimismo é sustentável', diz Michael J. Fox sobre Parkinson


17/11/2020 | 17:28


O ator Michael J. Fox falou sobre os efeitos da doença de Parkinson em sua vida, e como ele tenta manter seu otimismo, em uma entrevista ao Good Morning America na segunda-feira, 16. O astro da trilogia De Volta Para o Futuro também contou como foi o combate a um tumor que descobriu em 2018.

Fox está lançando um livro autobiográfico, e destacou que ele conta uma "prova severa pela qual eu passei, de um jeito improvável", se referindo ao Parkinson. Ele foi diagnosticado com a doença em 1991, quando tinha 29 anos, mas revelou que demorou sete anos para informar a família, enquanto procurava por outras opiniões de especialistas.

"Eu cheguei a uma paz em relação a isso doença de Parkinson. Ele tira um espaço mas deixa outro, para fazer outras coisas e prosperar, como golfe, ter amizades e viajar", disse o ator.

Em 2018, um tumor benigno foi identificado na coluna vertebral de Fox, que precisou fazer uma cirurgia para removê-lo: "a cirurgia não poderia reverter o dano feito, mas poderia talvez parar o tumor de progredir, mas se ela falhasse iria progredir ao ponto de eu não poder andar".

O ator contou que ainda possui dificuldades para andar devido ao tumor, o que levou a um acidente doméstico no mesmo ano em que ele fraturou o braço. "Eu tenho que pensar antes de andar, não consigo controlar meus movimentos, a direção", afirmou.

Apesar disso, Fox disse que tenta manter o otimismo, e ainda se referiu à pandemia do novo coronavírus: "Todos nós passamos por algo, estamos todos passando por algo neste ano. Mas com gratidão, o otimismo é sustentável".

Ao fim da entrevista, ele também destacou que é importante que as pessoas "vivam, amem e sejam gratas". "Falo isso entendendo que todos têm pesos para carregar e alguns são mais pesados, mas se você achar um pouco de algo para ser grato, você será capaz de continuar".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;