Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Quase 2,1 milhões de eleitores definem os prefeitos da região

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sto.André e S.Bernardo veem possibilidade de término do pleito no 1º turno; em Mauá e Diadema, disputas estão acirradas e devem se arrastar até dia 29


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

14/11/2020 | 23:31


Os 2.093.026 eleitores do Grande ABC vão às urnas hoje para definir os prefeitos de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra pelos próximos quatro anos.

A pandemia de Covid-19 forçou o adiamento do pleito, cujo primeiro turno estava agendado para o dia 4 de outubro. O panorama de mortes e casos provocados pelo vírus persiste, mas decidiu-se realizar a eleição, com série de protocolos.

Na região, quatro cidades têm eleitores suficientes para a disputa ser decidida no segundo turno. Entretanto, em ao menos duas delas o panorama apresenta chance de término da corrida eleitoral ainda hoje.

São os casos de Santo André e São Bernardo. Em solo andreense, o prefeito e candidato à reeleição, Paulo Serra (PSDB), apareceu na liderança em todas as pesquisas de intenções de voto e com larga vantagem para os demais adversários. O mesmo prisma foi visto em São Bernardo, onde o também prefeito e candidato à reeleição, Orlando Morando (PSDB), vislumbra possibilidade de liquidar o pleito hoje.

Em Diadema, o ex-prefeito José de Filippi Júnior (PT) busca feito inédito na região ao atingir o quarto mandato à frente do Paço. Os levantamentos eleitorais indicam chance de a eleição diademense se encerrar hoje, mas o cenário está mais embolado.

Isso porque são 13 candidatos, número impulsionado por racha no governo de Lauro Michels (PV), atual prefeito. O verde apostou as fichas no presidente da Câmara, Pretinho do Água Santa (DEM), candidatura essa que enfrentou resistência interna. Ricardo Yoshio (PSDB), Taka Yamauchi (PSD), Ronaldo Lacerda (PDT) e Marcos Michels (PSB) mantêm esperanças de esticar a disputa até o dia 29.

Em Mauá, mesmo após duas prisões e um impeachment – todos atos revertidos judicialmente –, o prefeito Atila Jacomussi (PSB) é o favorito na eleição. Candidato à reeleição, esteve à frente em todas as pesquisas eleitorais. Entretanto, até pelo quadro político tumultuado na cidade, o eleitor de Mauá deve retornar às urnas daqui duas semanas. Marcelo Oliveira (PT), juiz João Veríssimo (PSD), José Roberto Lourencini (PSDB) e Donisete Braga (PDT) duelam pela segunda vaga.

Em São Caetano e em Ribeirão Pires, a disputa foi levada para o campo jurídico, embora, no voto, o atual prefeito são-caetanense, José Auricchio Júnior (PSDB), e o ex-prefeito ribeirão-pirense Clóvis Volpi (PL) sejam favoritos. O tucano também tenta virar prefeito pela quarta vez, enquanto Volpi busca desbancar o atual chefe do Executivo de Ribeirão, Adler Kiko Teixeira (PSDB).

Em Rio Grande da Serra, o ex-vereador Claudinho da Geladeira (Podemos), após sair do PT, vê como real a possibilidade de triunfar. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Quase 2,1 milhões de eleitores definem os prefeitos da região

Sto.André e S.Bernardo veem possibilidade de término do pleito no 1º turno; em Mauá e Diadema, disputas estão acirradas e devem se arrastar até dia 29

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

14/11/2020 | 23:31


Os 2.093.026 eleitores do Grande ABC vão às urnas hoje para definir os prefeitos de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra pelos próximos quatro anos.

A pandemia de Covid-19 forçou o adiamento do pleito, cujo primeiro turno estava agendado para o dia 4 de outubro. O panorama de mortes e casos provocados pelo vírus persiste, mas decidiu-se realizar a eleição, com série de protocolos.

Na região, quatro cidades têm eleitores suficientes para a disputa ser decidida no segundo turno. Entretanto, em ao menos duas delas o panorama apresenta chance de término da corrida eleitoral ainda hoje.

São os casos de Santo André e São Bernardo. Em solo andreense, o prefeito e candidato à reeleição, Paulo Serra (PSDB), apareceu na liderança em todas as pesquisas de intenções de voto e com larga vantagem para os demais adversários. O mesmo prisma foi visto em São Bernardo, onde o também prefeito e candidato à reeleição, Orlando Morando (PSDB), vislumbra possibilidade de liquidar o pleito hoje.

Em Diadema, o ex-prefeito José de Filippi Júnior (PT) busca feito inédito na região ao atingir o quarto mandato à frente do Paço. Os levantamentos eleitorais indicam chance de a eleição diademense se encerrar hoje, mas o cenário está mais embolado.

Isso porque são 13 candidatos, número impulsionado por racha no governo de Lauro Michels (PV), atual prefeito. O verde apostou as fichas no presidente da Câmara, Pretinho do Água Santa (DEM), candidatura essa que enfrentou resistência interna. Ricardo Yoshio (PSDB), Taka Yamauchi (PSD), Ronaldo Lacerda (PDT) e Marcos Michels (PSB) mantêm esperanças de esticar a disputa até o dia 29.

Em Mauá, mesmo após duas prisões e um impeachment – todos atos revertidos judicialmente –, o prefeito Atila Jacomussi (PSB) é o favorito na eleição. Candidato à reeleição, esteve à frente em todas as pesquisas eleitorais. Entretanto, até pelo quadro político tumultuado na cidade, o eleitor de Mauá deve retornar às urnas daqui duas semanas. Marcelo Oliveira (PT), juiz João Veríssimo (PSD), José Roberto Lourencini (PSDB) e Donisete Braga (PDT) duelam pela segunda vaga.

Em São Caetano e em Ribeirão Pires, a disputa foi levada para o campo jurídico, embora, no voto, o atual prefeito são-caetanense, José Auricchio Júnior (PSDB), e o ex-prefeito ribeirão-pirense Clóvis Volpi (PL) sejam favoritos. O tucano também tenta virar prefeito pela quarta vez, enquanto Volpi busca desbancar o atual chefe do Executivo de Ribeirão, Adler Kiko Teixeira (PSDB).

Em Rio Grande da Serra, o ex-vereador Claudinho da Geladeira (Podemos), após sair do PT, vê como real a possibilidade de triunfar. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;