Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 9 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

SP anuncia chegada das primeiras doses da Coronavac e início das obras da fábrica do Butantan

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Governo chinês autorizou importação da vacina; primeiro lote com 120 mil doses chegam ao País dia 20


Vanessa Soares
Do dgabc.com.br

09/11/2020 | 12:52


Em coletiva de imprensa realizada no início da tarde desta segunda-feira (9), nas instalações do Instituto Butantan, o governador João Doria (PSDB), anunciou que no dia 20 de novembro chegam as primeiras doses da Coronavac ao Brasil, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. “Nós já tínhamos comentado isso anteriormente, mas agora é oficial porque as autoridades sanitárias chinesas deram autorização para a importação”, explicou o governador.

Neste primeiro lote serão 120 mil vacinas e a expectativa é que até 30 de dezembro chegue ao País o total de 6 milhões de doses, além de insumos para a produção de outras 40 milhões. “Será o primeiro País do continente americano a receber doses do imunizante”, afirmou. Doria explicou ainda que mesmo com a chegada do imunizante, será necessário aguardar a autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para aplicação na população. Expectativa do governo paulista é que assim que houver a liberação as vacinas sejam aplicadas na população de São Paulo e posteriormente distribuída para todo o País.

Além disso, Doria também anunciou o início das obras da fábrica para produção das vacinas contra Covid-19 no instituto Butantan. “É um dia histórico para São Paulo e para o Brasil. É um passo fundamental que consolida o Instituto Butantan e o Brasil na corrida contra o coronavírus”, afirmou.

As obras tiveram início no último dia 2 e estão sendo realizadas em um prédio já existente no Instituto Butantan que passa por adaptações para instalação da fábrica, que terá 10.000 m² e capacidade de produzir 100 milhões de doses por ano. A previsão é que a construção das instalações terá duração de 10 meses e o local esteja pronto em setembro de 2021.

O investimento será e R$ 140 milhões para construção será feito por 24 empresas do setor privado, nacionais e multinacionais, por meio de parceria público-privada. Segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, o projeto teve o cuidado de prever que assim que a demanda da vacina diminuir, o local facilmente se adapta para produção de outros imunizantes.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

SP anuncia chegada das primeiras doses da Coronavac e início das obras da fábrica do Butantan

Governo chinês autorizou importação da vacina; primeiro lote com 120 mil doses chegam ao País dia 20

Vanessa Soares
Do dgabc.com.br

09/11/2020 | 12:52


Em coletiva de imprensa realizada no início da tarde desta segunda-feira (9), nas instalações do Instituto Butantan, o governador João Doria (PSDB), anunciou que no dia 20 de novembro chegam as primeiras doses da Coronavac ao Brasil, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. “Nós já tínhamos comentado isso anteriormente, mas agora é oficial porque as autoridades sanitárias chinesas deram autorização para a importação”, explicou o governador.

Neste primeiro lote serão 120 mil vacinas e a expectativa é que até 30 de dezembro chegue ao País o total de 6 milhões de doses, além de insumos para a produção de outras 40 milhões. “Será o primeiro País do continente americano a receber doses do imunizante”, afirmou. Doria explicou ainda que mesmo com a chegada do imunizante, será necessário aguardar a autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para aplicação na população. Expectativa do governo paulista é que assim que houver a liberação as vacinas sejam aplicadas na população de São Paulo e posteriormente distribuída para todo o País.

Além disso, Doria também anunciou o início das obras da fábrica para produção das vacinas contra Covid-19 no instituto Butantan. “É um dia histórico para São Paulo e para o Brasil. É um passo fundamental que consolida o Instituto Butantan e o Brasil na corrida contra o coronavírus”, afirmou.

As obras tiveram início no último dia 2 e estão sendo realizadas em um prédio já existente no Instituto Butantan que passa por adaptações para instalação da fábrica, que terá 10.000 m² e capacidade de produzir 100 milhões de doses por ano. A previsão é que a construção das instalações terá duração de 10 meses e o local esteja pronto em setembro de 2021.

O investimento será e R$ 140 milhões para construção será feito por 24 empresas do setor privado, nacionais e multinacionais, por meio de parceria público-privada. Segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, o projeto teve o cuidado de prever que assim que a demanda da vacina diminuir, o local facilmente se adapta para produção de outros imunizantes.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;