Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Tedros Adhanom afirma que vacina não resolverá vulnerabilidades

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


09/11/2020 | 10:47


O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, afirmou nesta segunda-feira que uma vacina contra a covid-19 é necessária com urgência, mas ressaltou que um imunizante por si só não resolverá todas as vulnerabilidades da crise global. O comentário foi feito na abertura da Assembleia Mundial da Saúde, antes do anúncio sobre a eficácia da vacina desenvolvida pela Pfizer em parceria com a BioNTech.

"Uma vacina não pode resolver o subinvestimento global em funções essenciais de saúde pública e sistemas de saúde resilientes, nem a necessidade urgente de uma abordagem que englobe humanos, animais e o planeta que compartilhamos", afirmou o diretor. Tedros ainda indicou que 186 países já participam da iniciativa Covax para a distribuição de vacinas.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, comemorou o anúncio da Pfizer e da BioNTech de que a vacina experimental que desenvolvem em conjunto se mostrou 90% eficaz na prevenção do coronavírus. No entanto, o democrata ponderou que a notícia não encerra a luta contra a doença. "É importante entender que o fim da batalha contra a covid-19 ainda está a meses de distância", destacou, em comunicado.

Biden ressaltou que, mesmo que o imunizador seja aprovado neste mês, a vacinação em massa só deve acontecer nos EUA "daqui a muitos meses". De acordo com ele, nesse período, americanos terão que continuar dependendo do uso de máscaras, do distanciamento social e de outros medidas para garantir segurança. "A notícia de hoje é ótima, mas não muda esse fato", argumentou.

O futuro presidente lembrou que mais de mil pessoas morrem todos os dias vítimas do vírus e alertou que a situação vai piorar se não houver progressos na política de uso de máscaras e outras ações. "Essa é a realidade de agora e dos próximos meses", concluiu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tedros Adhanom afirma que vacina não resolverá vulnerabilidades


09/11/2020 | 10:47


O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, afirmou nesta segunda-feira que uma vacina contra a covid-19 é necessária com urgência, mas ressaltou que um imunizante por si só não resolverá todas as vulnerabilidades da crise global. O comentário foi feito na abertura da Assembleia Mundial da Saúde, antes do anúncio sobre a eficácia da vacina desenvolvida pela Pfizer em parceria com a BioNTech.

"Uma vacina não pode resolver o subinvestimento global em funções essenciais de saúde pública e sistemas de saúde resilientes, nem a necessidade urgente de uma abordagem que englobe humanos, animais e o planeta que compartilhamos", afirmou o diretor. Tedros ainda indicou que 186 países já participam da iniciativa Covax para a distribuição de vacinas.

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, comemorou o anúncio da Pfizer e da BioNTech de que a vacina experimental que desenvolvem em conjunto se mostrou 90% eficaz na prevenção do coronavírus. No entanto, o democrata ponderou que a notícia não encerra a luta contra a doença. "É importante entender que o fim da batalha contra a covid-19 ainda está a meses de distância", destacou, em comunicado.

Biden ressaltou que, mesmo que o imunizador seja aprovado neste mês, a vacinação em massa só deve acontecer nos EUA "daqui a muitos meses". De acordo com ele, nesse período, americanos terão que continuar dependendo do uso de máscaras, do distanciamento social e de outros medidas para garantir segurança. "A notícia de hoje é ótima, mas não muda esse fato", argumentou.

O futuro presidente lembrou que mais de mil pessoas morrem todos os dias vítimas do vírus e alertou que a situação vai piorar se não houver progressos na política de uso de máscaras e outras ações. "Essa é a realidade de agora e dos próximos meses", concluiu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;