Política Titulo
Itamar reclama de fantasmas no Palácio da Liberdade
Do Diário OnLine
10/12/2002 | 15:15
Compartilhar notícia


Além do problema da falta de dinheiro para o pagamento do 13º salário dos servidores mineiros, o governador de Minas Gerais, Itamar Franco (sem partido), tem mais um motivo para se preocupar: fantasmas. Na segunda-feira, o ex-presidente afirmou que existem ‘almas penadas’ no Palácio da Liberdade, sede do governo do Estado.

Segundo ele, durante um encontro com um jornalista uma porta da sala de reuniões se abriu sozinha. Ao ser perguntado se já viu algum fantasma do local, o político disse que não, mas ressaltou “sente” a presença dos espíritos.

“Você não precisa ver o espectro, pode sentir o espectro. E isso a gente sente”, garantiu.

Verbas- Sobre a falta de dinheiro para o 13º, Itamar disse que espera que Fernando Henrique Cardoso edite até quarta-feira uma Medida Provisória liberando recursos para Minas Gerais. O governador exige o ressarcimento por ter usado R$ 1,2 bilhão dos cofres públicos em obras de recuperação das estradas federais que cortam Minas Gerais.

A decisão é polêmica, já que uma MP deste tipo deve abrir o precedente para que outros Estados pleiteiem o mesmo ressarcimento. Em discurso nesta terça-feira durante inauguração de uma hidrelétrica no Sul de Minas, Itamar afirmou que o ministro da Fazenda, Pedro Malan, tem “má vontade” com o acordo desejado pelos mineiros.

“Estamos a nove meses negociando e encontrando a maior má vontade do senhor ministro da Fazenda”, afirmou. Segundo Itamar, o governo de Minas apresentou 11 propostas diferentes à União para o ressarcimento das dívidas, mas nenhuma foi aceita.

A Advocacia Geral da União informou que os documentos enviados pelo governo mineiro para comprovar os gastos com estradas federais estão incompletos. Os advogados dizem que os investimentos foram feitos há muitos anos, por isso é difícil comprovar se realmente existiram.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;