Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 25 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Decisão resulta em suspensão de debate entre prefeituráveis

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Justiça Eleitoral determina alterações no confronto; candidatos se negam a participar


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

06/11/2020 | 07:17


Decisão da Justiça Eleitoral de Diadema resultou no cancelamento do debate entre os prefeituráveis da cidade, que seria promovido ontem à noite pelo UOL, em parceria com a TVT e o Diário. Liminar ordenou mudanças no formato do confronto, mas o evento acabou não ocorrendo por opção dos próprios candidatos.

A pedido do prefeiturável do PSL, Jhonny Rich, a juíza Erika Diniz, da 329ª Zona Eleitoral, concedeu liminar determinando que o debate fosse promovido, de uma só vez, com todos os 13 prefeituráveis juntos ou que grupos fossem divididos por meio de sorteio. Por causa das medidas de distanciamento físico na pandemia de Covid-19, o debate foi dividido em dois. Um primeiro grupo debateria entre si e, em seguida, outro. O critério utilizado para agrupar os candidatos, porém, foi o desempenho de cada um nas pesquisas eleitorais, o que desagradou os prefeituráveis.

Para a juíza, o método “não encontra previsão legal”. “A Lei Eleitoral estabelece o sorteio como critério de divisão adequado”, citou a magistrada. “Diante disso, concedo em parte a liminar, para que o debate de hoje (ontem) seja realizado num único grupo, sem divisões, ou, em caso de inviabilidade, que os grupos sejam formados mediante sorteio, e não de acordo com sua colocação em pesquisa eleitoral”, ordenou.

Diante da decisão, a maioria dos prefeituráveis se negou a participar do debate alegando que a divisão afetaria a igualdade entre os concorrentes. Os candidatos declararam, inclusive, que não foram comunicados previamente sobre a divisão.

Advogado que auxilia a TVT nos debates, Cláudio Cardoso alegou que a emissora se dispôs a cumprir a decisão judicial e dividir o debate por meio de sorteio, mas que os prefeituráveis optaram por não participar. “Quem se negou a debater foram os candidatos. Não tínhamos problema nenhum em acatar a decisão e propomos realizar o sorteio. Por causa da Covid não há condições técnicas nem sanitárias de realizar o debate em um bloco único, é perigoso. Porém, dois candidatos não concordaram e convenceram a maioria a não participar”, justificou, ao emendar que não há definição se o debate será remarcado. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Decisão resulta em suspensão de debate entre prefeituráveis

Justiça Eleitoral determina alterações no confronto; candidatos se negam a participar

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

06/11/2020 | 07:17


Decisão da Justiça Eleitoral de Diadema resultou no cancelamento do debate entre os prefeituráveis da cidade, que seria promovido ontem à noite pelo UOL, em parceria com a TVT e o Diário. Liminar ordenou mudanças no formato do confronto, mas o evento acabou não ocorrendo por opção dos próprios candidatos.

A pedido do prefeiturável do PSL, Jhonny Rich, a juíza Erika Diniz, da 329ª Zona Eleitoral, concedeu liminar determinando que o debate fosse promovido, de uma só vez, com todos os 13 prefeituráveis juntos ou que grupos fossem divididos por meio de sorteio. Por causa das medidas de distanciamento físico na pandemia de Covid-19, o debate foi dividido em dois. Um primeiro grupo debateria entre si e, em seguida, outro. O critério utilizado para agrupar os candidatos, porém, foi o desempenho de cada um nas pesquisas eleitorais, o que desagradou os prefeituráveis.

Para a juíza, o método “não encontra previsão legal”. “A Lei Eleitoral estabelece o sorteio como critério de divisão adequado”, citou a magistrada. “Diante disso, concedo em parte a liminar, para que o debate de hoje (ontem) seja realizado num único grupo, sem divisões, ou, em caso de inviabilidade, que os grupos sejam formados mediante sorteio, e não de acordo com sua colocação em pesquisa eleitoral”, ordenou.

Diante da decisão, a maioria dos prefeituráveis se negou a participar do debate alegando que a divisão afetaria a igualdade entre os concorrentes. Os candidatos declararam, inclusive, que não foram comunicados previamente sobre a divisão.

Advogado que auxilia a TVT nos debates, Cláudio Cardoso alegou que a emissora se dispôs a cumprir a decisão judicial e dividir o debate por meio de sorteio, mas que os prefeituráveis optaram por não participar. “Quem se negou a debater foram os candidatos. Não tínhamos problema nenhum em acatar a decisão e propomos realizar o sorteio. Por causa da Covid não há condições técnicas nem sanitárias de realizar o debate em um bloco único, é perigoso. Porém, dois candidatos não concordaram e convenceram a maioria a não participar”, justificou, ao emendar que não há definição se o debate será remarcado. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;