Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 13 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Tecnologia

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

8 dicas para não ser vítima de phishing

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Da Redação
Do 33Giga

04/11/2020 | 19:48


Com a Covid-19 há mais de sete meses obrigando os brasileiros a ficarem isolados em suas casas, muitos criminosos se beneficiam disso para elaborar ciberataques, seja usando nome de grandes marcas ou explorando falhas de segurança em sistemas operacionais e aplicativos, além do comportamento inseguro na internet. Com isto, a cibersegurança acaba se tornando um assunto em pauta não apenas no mundo corporativo, mas também na vida pessoal das pessoas.

Leia mais:
Dia Nacional do Livro: 15 filmes e séries na Netflix baseados em obras literárias
50 livros gratuitos para ler no e-reader ou celular
5 aplicativos para ler livros no celular

Com o home office ativo e sem previsão de término, um estudo feito pela PSafe revela que quase 30% dos entrevistados não utilizam quaisquer medidas de segurança contra ataques de phishing, que são golpes executados primariamente por e-mail, no qual o cibercriminoso tenta obter informações se passando por uma entidade confiável. Ainda, em 2020 foram detectados mais de 47 milhões de golpes de phishing, com uma a cada seis pessoas se tornando vítimas. As consequências são severas, como o furto de nomes de usuário, senhas de acesso e detalhes de cartão de crédito.

Neste momento, é comum a pergunta “como se proteger?”. O 33Giga e a Daryus Consultoria separaram oito dicas que ajudarão a ficar seguro em tentativas de invasão.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Quem é o remetente?
Ao receber comunicações eletrônicas como, por exemplo, um e-mail, SMS ou mensagem no WhatsApp/Telegram, certifique-se que o remetente é confiável. Se você tiver qualquer dúvida, não clique em links ou abra anexos sem primeiro tentar uma forma alternativa de contato, para validar o remetente. É claro, você pode usar de ferramentas de pesquisa, como o Google, para identificar exemplos de tentativas de golpes online.

Analise bem o conteúdo recebido
Antes de mais nada, é muito importante pensar antes de fornecer qualquer tipo de dado, especialmente se forem informações pessoais ou detalhes como senhas ou o número e código de segurança do seu cartão de crédito. Lembre-se que instituições sérias não pedem esse tipo de informação por e-mail, WhatsApp ou canais similares.

Na dúvida, busque o site oficial e tente entrar em contato. Tenha sempre muito cuidado com links, valide antecipadamente o redirecionamento colocando o cursor do mouse em cima e certifique-se que o site é o oficial da empresa em questão. Fique especialmente atento se o diálogo começar com um tratamento genérico, como “Sr.”, “Sra.”, “Prezado” ou com o número do celular no lugar do nome. Novamente, se você ficou em dúvida se o remetente é uma fonte confiável, busque o canal oficial da instituição, que normalmente encontra-se disponível no próprio site da empresa.

Atenção com os assuntos do momento ou de bem comum
A internet é uma rede de pesca para os cibercriminosos. Anúncios ou manchetes de matérias tendenciosas em redes sociais e sites podem ter sido criadas para induzir a vítima com maior facilidade ao ataque. Desconfie dos anúncios fora da realidade e não dê os seus dados quando solicitados. Procure em ferramentas de buscas sobre o site e os comentários de quem buscou pelo serviço.

Prefira desconfiar
Desconfiar é a palavra-chave nessas horas, mesmo que a mensagem venha de pessoas conhecidas ou familiares, pois eles podem ter sido vítimas de phishing. Não deixe a emoção tomar conta, use o senso crítico. Busque meios alternativos de contatar essas pessoas e ter a certeza de que eram elas mesmas nas mensagens de conteúdo duvidoso. Vale pecar pelo excesso.

Autenticação
Nos dias de hoje, é preciso ter uma noção básica de segurança na internet e de como os aplicativos fazem essa gestão. Verifique se o aplicativo fornece duplo fator de autenticação, a maioria das ferramentas como WhatsApp, Facebook e Instagram já permitem adotar essa medida, e é um ponto essencial para evitar que sua conta seja invadida ou clonada. Periodicamente, troque as senhas e faça disso uma rotina. Por fim, remova o seu cadastro de serviços não utilizados e use o “Just Delete Me” como auxílio de exclusão de contas.

Procedimentos
Sempre tenha uma ferramenta Antivírus Firewall e invista se necessário, mas saiba que existem várias soluções gratuitas que podem te dar um bom nível de proteção básica. A AV-Test e AV Comparatives apresentam dados de testes realizados pelas companhias de segurança e isso pode ajudar a escolher a melhor solução. Lembre-se de manter os navegadores e aplicativos sempre atualizados e, é claro, não deixe de aplicar atualizações e correções no seu sistema operacional. Para acesso mobile, prefira os navegadores que contam com bloqueador de anúncios e, novamente, não esqueça de aplicar as atualizações e correções no seu dispositivo e aplicativos.

Complementos para navegadores
Complementos para navegadores são uma das formas de melhorar a segurança. Veja algumas opções para navegar mais seguro:

HTTPS Everywhere – Ajuda a forçar os sites a utilizarem protocolo seguro (de HTTP para HTTPS) e impede o acesso às páginas em caso de protocolo inseguro;

Privacy Badger – Evita que rastreadores detectem o modo de navegação e ofereça propagandas baseada em seu uso;

Disconnect – Bloqueador de rastreadores (também bloqueia rastreadores de rede social). Pode ser utilizado como alternativa ou em conjunto ao “Privacy Badger”;

AdGuard – Ferramenta indispensável e poderosa para bloquear anúncios e páginas de phishing;

Malwarebytes Browser Guard – Ferramenta contra páginas de phishing, malware e bloqueador de anúncios. Recomenda-se o seu uso com “AdGuard”;

Netcraft – Identifica páginas de phishing baseado na reputação. A ferramenta possibilita enviar informações colaborativas e ajuda a comunidade a se proteger contra páginas maliciosas;

LastPass – Gerenciador de senhas. Ótimo para acessar as contas pelo cofre, evitando salvar senhas no navegador e digitar em campos de senha.

Serviços temporários
Ao criar um e-mail temporário utilize as ferramentas Mohmal e Temp Mail. Atenção: evite o recebimento de dados sensíveis nos e-mails temporários.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

8 dicas para não ser vítima de phishing

Da Redação
Do 33Giga

04/11/2020 | 19:48


Com a Covid-19 há mais de sete meses obrigando os brasileiros a ficarem isolados em suas casas, muitos criminosos se beneficiam disso para elaborar ciberataques, seja usando nome de grandes marcas ou explorando falhas de segurança em sistemas operacionais e aplicativos, além do comportamento inseguro na internet. Com isto, a cibersegurança acaba se tornando um assunto em pauta não apenas no mundo corporativo, mas também na vida pessoal das pessoas.

Leia mais:
Dia Nacional do Livro: 15 filmes e séries na Netflix baseados em obras literárias
50 livros gratuitos para ler no e-reader ou celular
5 aplicativos para ler livros no celular

Com o home office ativo e sem previsão de término, um estudo feito pela PSafe revela que quase 30% dos entrevistados não utilizam quaisquer medidas de segurança contra ataques de phishing, que são golpes executados primariamente por e-mail, no qual o cibercriminoso tenta obter informações se passando por uma entidade confiável. Ainda, em 2020 foram detectados mais de 47 milhões de golpes de phishing, com uma a cada seis pessoas se tornando vítimas. As consequências são severas, como o furto de nomes de usuário, senhas de acesso e detalhes de cartão de crédito.

Neste momento, é comum a pergunta “como se proteger?”. O 33Giga e a Daryus Consultoria separaram oito dicas que ajudarão a ficar seguro em tentativas de invasão.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Quem é o remetente?
Ao receber comunicações eletrônicas como, por exemplo, um e-mail, SMS ou mensagem no WhatsApp/Telegram, certifique-se que o remetente é confiável. Se você tiver qualquer dúvida, não clique em links ou abra anexos sem primeiro tentar uma forma alternativa de contato, para validar o remetente. É claro, você pode usar de ferramentas de pesquisa, como o Google, para identificar exemplos de tentativas de golpes online.

Analise bem o conteúdo recebido
Antes de mais nada, é muito importante pensar antes de fornecer qualquer tipo de dado, especialmente se forem informações pessoais ou detalhes como senhas ou o número e código de segurança do seu cartão de crédito. Lembre-se que instituições sérias não pedem esse tipo de informação por e-mail, WhatsApp ou canais similares.

Na dúvida, busque o site oficial e tente entrar em contato. Tenha sempre muito cuidado com links, valide antecipadamente o redirecionamento colocando o cursor do mouse em cima e certifique-se que o site é o oficial da empresa em questão. Fique especialmente atento se o diálogo começar com um tratamento genérico, como “Sr.”, “Sra.”, “Prezado” ou com o número do celular no lugar do nome. Novamente, se você ficou em dúvida se o remetente é uma fonte confiável, busque o canal oficial da instituição, que normalmente encontra-se disponível no próprio site da empresa.

Atenção com os assuntos do momento ou de bem comum
A internet é uma rede de pesca para os cibercriminosos. Anúncios ou manchetes de matérias tendenciosas em redes sociais e sites podem ter sido criadas para induzir a vítima com maior facilidade ao ataque. Desconfie dos anúncios fora da realidade e não dê os seus dados quando solicitados. Procure em ferramentas de buscas sobre o site e os comentários de quem buscou pelo serviço.

Prefira desconfiar
Desconfiar é a palavra-chave nessas horas, mesmo que a mensagem venha de pessoas conhecidas ou familiares, pois eles podem ter sido vítimas de phishing. Não deixe a emoção tomar conta, use o senso crítico. Busque meios alternativos de contatar essas pessoas e ter a certeza de que eram elas mesmas nas mensagens de conteúdo duvidoso. Vale pecar pelo excesso.

Autenticação
Nos dias de hoje, é preciso ter uma noção básica de segurança na internet e de como os aplicativos fazem essa gestão. Verifique se o aplicativo fornece duplo fator de autenticação, a maioria das ferramentas como WhatsApp, Facebook e Instagram já permitem adotar essa medida, e é um ponto essencial para evitar que sua conta seja invadida ou clonada. Periodicamente, troque as senhas e faça disso uma rotina. Por fim, remova o seu cadastro de serviços não utilizados e use o “Just Delete Me” como auxílio de exclusão de contas.

Procedimentos
Sempre tenha uma ferramenta Antivírus Firewall e invista se necessário, mas saiba que existem várias soluções gratuitas que podem te dar um bom nível de proteção básica. A AV-Test e AV Comparatives apresentam dados de testes realizados pelas companhias de segurança e isso pode ajudar a escolher a melhor solução. Lembre-se de manter os navegadores e aplicativos sempre atualizados e, é claro, não deixe de aplicar atualizações e correções no seu sistema operacional. Para acesso mobile, prefira os navegadores que contam com bloqueador de anúncios e, novamente, não esqueça de aplicar as atualizações e correções no seu dispositivo e aplicativos.

Complementos para navegadores
Complementos para navegadores são uma das formas de melhorar a segurança. Veja algumas opções para navegar mais seguro:

HTTPS Everywhere – Ajuda a forçar os sites a utilizarem protocolo seguro (de HTTP para HTTPS) e impede o acesso às páginas em caso de protocolo inseguro;

Privacy Badger – Evita que rastreadores detectem o modo de navegação e ofereça propagandas baseada em seu uso;

Disconnect – Bloqueador de rastreadores (também bloqueia rastreadores de rede social). Pode ser utilizado como alternativa ou em conjunto ao “Privacy Badger”;

AdGuard – Ferramenta indispensável e poderosa para bloquear anúncios e páginas de phishing;

Malwarebytes Browser Guard – Ferramenta contra páginas de phishing, malware e bloqueador de anúncios. Recomenda-se o seu uso com “AdGuard”;

Netcraft – Identifica páginas de phishing baseado na reputação. A ferramenta possibilita enviar informações colaborativas e ajuda a comunidade a se proteger contra páginas maliciosas;

LastPass – Gerenciador de senhas. Ótimo para acessar as contas pelo cofre, evitando salvar senhas no navegador e digitar em campos de senha.

Serviços temporários
Ao criar um e-mail temporário utilize as ferramentas Mohmal e Temp Mail. Atenção: evite o recebimento de dados sensíveis nos e-mails temporários.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;