Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Pandemia derruba em 28% casos de câncer de próstata

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Medo de contaminação afastou homens dos consultórios, e falta do diagnóstico precoce preocupa médicos


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

03/11/2020 | 23:55


 A pandemia do novo coronavírus derrubou em 28,2% os diagnósticos de câncer de próstata no Grande ABC de janeiro a agosto deste ano em comparação com o mesmo período de 2019. Segundo dados do Datasus – banco de dados do Ministério da Saúde –, foram 175 notificações em 2020 contra 244 no ano passado (veja dados na arte acima). Assim como acontece com o Outubro Rosa, o mês de novembro, sob a cor azul, tenta conscientizar a população masculina para o tratamento precoce da doença, que mata cerca de 40 homens por dia no Brasil. 

Os dados, obtidos pelo Diário no Datasus, mostram que a demanda dos diagnósticos durante a pandemia está represada no Grande ABC e, segundo os especialistas, pode ser dissolvida com a flexibilização da quarentena. Os médicos, no entanto, mostram preocupação com o fato de que os homens, culturalmente, vão menos aos consultórios. 

Urologista do Hospital Adventista Silvestre, Alberto Menezes acredita que o impacto em diagnósticos atrasados será negativo tanto para o câncer de próstata – ou neoplasia maligna da próstata – quanto para as demais doenças. Ele comenta que a queda nas consultas foi de pelo menos 80% no período de pandemia, quando era maior o risco de contaminação pelo coronavírus. 

“O que atendemos nesta pandemia foram as prioridades, pacientes que já estavam com diagnósticos de câncer e precisaram de atendimento para acompanhamento”, destaca. Menezes comenta que o Novembro Azul, mês da conscientização, ajuda na atenção para o diagnóstico precoce e os centros médicos sentem aumento na procura pelos exames. “Essa queda foi geral, ou seja, tanto nos consultórios quanto nos hospitais. Este mês apostamos que melhore, principalmente porque muitos homens esperaram todo esse tempo para procurar ajuda”, comenta. 

O especialista reforça que a prevenção é fundamental, já que o paciente diagnosticado precocemente com câncer de próstata não sente sintomas. “Assim como outras doenças, o câncer (de próstata) não deixou de existir, então, o melhor é realizar os exames preventivos pelo menos uma vez por ano, seja os homens acima dos 40, 45 anos com histórico familiar de câncer e a partir dos 50 (anos) se não tem histórico na família”, destaca Menezes. 

O médico patologista e gestor do Grupo Sabin, Alex Galoro, comenta que um dos exames para o diagnóstico da doença é o PSA (Antígeno Prostático Específico), identificado em amostra de sangue e que, segundo o especialista, neste ano teve redução de pelo menos 40% na procura. “O que está deixando de diagnosticar agora, quanto mais tarde descobrirmos, maiores serão as chances de complicações”, comentou Galoro. 

O especialista reforça que, mesmo aos poucos, a retomada de exames e consultas é fundamental. “Não só para os homens, mas em todas as patologistas, a retomada nos exames de rotina é importante, justamente pela prevenção e diagnóstico precoce, que seguem com todos os cuidados para os tratamentos”, finaliza Galoro. 

De acordo com dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), somente em 2020 são esperados 65.840 novos casos no País, porém, podem não ser diagnosticados a tempo por causa do isolamento físico. No Brasil, houve queda de 50% a 90% das biópsias enviadas para análise, estimando-se que entre 50 mil e 90 mil brasileiros deixaram de receber diagnóstico de câncer nesse período de pandemia.

Novembro Azul ganha ações de conscientização no Grande ABC

Como a segunda principal causa de mortalidade por câncer em homens no País, atrás apenas do câncer de pele, o tumor de próstata movimenta série de ações em novembro no Grande ABC. 

Em Santo André, a prevenção será incentivada em debates nas salas de espera nas unidades de saúde. Além disso, o prédio da Prefeitura e o espelho d’água do Paço ganharam iluminação azul para chamar atenção para a causa.

São Bernardo também intensificará as atividades. Neste mês, as 34 unidades de saúde vão oferecer exames de detecção da doença e ações educativas, além do Dia D, no dia 7, das 8h às 17h, em vários centros médicos da cidade. 

Em Mauá, o foco será na distribuição de informativos e na conscientização durante as consultas. Assim como em Ribeirão Pires, que vai oferecer orientações em todas as unidades. São Caetano ainda não possui nada programado. Diadema e Rio Grande da Serra não responderam até o fechamento desta edição. 

NAS ESTRADAS

A Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), com o apoio das 20 concessionárias que administram as rodovias paulistas, promove ações para incentivar a realização dos exames preventivos. De ontem até o dia 30 deste mês, as concessionárias exibem nos 392 painéis eletrônicos – distribuídos ao longo dos 10,8 mil quilômetros de todas rodovias do Estado – mensagens que reforçam a importância do diagnóstico precoce. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pandemia derruba em 28% casos de câncer de próstata

Medo de contaminação afastou homens dos consultórios, e falta do diagnóstico precoce preocupa médicos

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

03/11/2020 | 23:55


 A pandemia do novo coronavírus derrubou em 28,2% os diagnósticos de câncer de próstata no Grande ABC de janeiro a agosto deste ano em comparação com o mesmo período de 2019. Segundo dados do Datasus – banco de dados do Ministério da Saúde –, foram 175 notificações em 2020 contra 244 no ano passado (veja dados na arte acima). Assim como acontece com o Outubro Rosa, o mês de novembro, sob a cor azul, tenta conscientizar a população masculina para o tratamento precoce da doença, que mata cerca de 40 homens por dia no Brasil. 

Os dados, obtidos pelo Diário no Datasus, mostram que a demanda dos diagnósticos durante a pandemia está represada no Grande ABC e, segundo os especialistas, pode ser dissolvida com a flexibilização da quarentena. Os médicos, no entanto, mostram preocupação com o fato de que os homens, culturalmente, vão menos aos consultórios. 

Urologista do Hospital Adventista Silvestre, Alberto Menezes acredita que o impacto em diagnósticos atrasados será negativo tanto para o câncer de próstata – ou neoplasia maligna da próstata – quanto para as demais doenças. Ele comenta que a queda nas consultas foi de pelo menos 80% no período de pandemia, quando era maior o risco de contaminação pelo coronavírus. 

“O que atendemos nesta pandemia foram as prioridades, pacientes que já estavam com diagnósticos de câncer e precisaram de atendimento para acompanhamento”, destaca. Menezes comenta que o Novembro Azul, mês da conscientização, ajuda na atenção para o diagnóstico precoce e os centros médicos sentem aumento na procura pelos exames. “Essa queda foi geral, ou seja, tanto nos consultórios quanto nos hospitais. Este mês apostamos que melhore, principalmente porque muitos homens esperaram todo esse tempo para procurar ajuda”, comenta. 

O especialista reforça que a prevenção é fundamental, já que o paciente diagnosticado precocemente com câncer de próstata não sente sintomas. “Assim como outras doenças, o câncer (de próstata) não deixou de existir, então, o melhor é realizar os exames preventivos pelo menos uma vez por ano, seja os homens acima dos 40, 45 anos com histórico familiar de câncer e a partir dos 50 (anos) se não tem histórico na família”, destaca Menezes. 

O médico patologista e gestor do Grupo Sabin, Alex Galoro, comenta que um dos exames para o diagnóstico da doença é o PSA (Antígeno Prostático Específico), identificado em amostra de sangue e que, segundo o especialista, neste ano teve redução de pelo menos 40% na procura. “O que está deixando de diagnosticar agora, quanto mais tarde descobrirmos, maiores serão as chances de complicações”, comentou Galoro. 

O especialista reforça que, mesmo aos poucos, a retomada de exames e consultas é fundamental. “Não só para os homens, mas em todas as patologistas, a retomada nos exames de rotina é importante, justamente pela prevenção e diagnóstico precoce, que seguem com todos os cuidados para os tratamentos”, finaliza Galoro. 

De acordo com dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), somente em 2020 são esperados 65.840 novos casos no País, porém, podem não ser diagnosticados a tempo por causa do isolamento físico. No Brasil, houve queda de 50% a 90% das biópsias enviadas para análise, estimando-se que entre 50 mil e 90 mil brasileiros deixaram de receber diagnóstico de câncer nesse período de pandemia.

Novembro Azul ganha ações de conscientização no Grande ABC

Como a segunda principal causa de mortalidade por câncer em homens no País, atrás apenas do câncer de pele, o tumor de próstata movimenta série de ações em novembro no Grande ABC. 

Em Santo André, a prevenção será incentivada em debates nas salas de espera nas unidades de saúde. Além disso, o prédio da Prefeitura e o espelho d’água do Paço ganharam iluminação azul para chamar atenção para a causa.

São Bernardo também intensificará as atividades. Neste mês, as 34 unidades de saúde vão oferecer exames de detecção da doença e ações educativas, além do Dia D, no dia 7, das 8h às 17h, em vários centros médicos da cidade. 

Em Mauá, o foco será na distribuição de informativos e na conscientização durante as consultas. Assim como em Ribeirão Pires, que vai oferecer orientações em todas as unidades. São Caetano ainda não possui nada programado. Diadema e Rio Grande da Serra não responderam até o fechamento desta edição. 

NAS ESTRADAS

A Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), com o apoio das 20 concessionárias que administram as rodovias paulistas, promove ações para incentivar a realização dos exames preventivos. De ontem até o dia 30 deste mês, as concessionárias exibem nos 392 painéis eletrônicos – distribuídos ao longo dos 10,8 mil quilômetros de todas rodovias do Estado – mensagens que reforçam a importância do diagnóstico precoce. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;