Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Guardas-civis reclamam de estado de deterioração das bases

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sindicato afirma que notificou a administração sobre os problemas


Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

03/11/2020 | 00:04


O Sindserv-SBC (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Bernardo) aguarda desde o início do mês passado por solução para problemas estruturais na base da GCM (Guarda Civil Municipal), localizada na Praça Samuel Sabatini, no Centro. Os funcionários relataram ao sindicato problemas como vazamentos de esgoto. Apesar de transcorridos mais de 30 dias desde a queixa, a administração ainda não tomou providências.

Nas unidades do Taboão, Vila São Pedro e da Guarda Ambiental, no Riacho Grande, também existem queixas como vazamentos e infiltrações. Uma das principais reclamações, de acordo com o diretor de assuntos jurídicos do Sindserv-SBC, Celio Vieira, foi a incorporação do galpão que era utilizado pelos trabalhadores que construíram o Piscinão do Paço – onde não existem chuveiros, por exemplo – às instalações da base do centro.

“Aquela base foi onde tudo começou, então ela tem um valor sentimental para todos os GCMs das primeiras turmas”, explicou Vieira. “Hoje é a secretaria (de Segurança Urbana) e os guardas que ali ficavam foram colocados no barracão do Paço”, completou. Ainda de acordo com o sindicalista, o governo tem proibido a entrada do sindicato nas bases das GCM. “Querem esconder o abandono”, concluiu.

O diretor afirmou também que desde o meio do ano, os 77 GCMs que foram contratados aguardam pela entrega dos uniformes. O Diário mostrou em 7 de julho que estava sendo realizada campanha entre os integrantes da guarda para doação de peças de uniformes usados aos novatos. “Há cerca de quatro anos não recebemos uniformes novos”, pontuou Vieira.

A Prefeitura de São Bernardo informou, por nota, que a transferência da inspetoria Centro para a Esplanada do Paço trouxe melhores condições de trabalho aos guardas, oferecendo banheiros, vestiário, sala de instrução e preleção, academia, escritórios, entre outras acomodações. Que um problema pontual de entupimento na rede de esgoto foi detectado no local e um processo licitatório foi aberto para os devidos reparos, que terão início em novembro.

Ainda de acordo com a nota, a inspetoria da Vila São Pedro também passou por mudanças de sede, saindo de estrutura antiga para novo espaço mais adequado. Já a base da Guarda Ambiental passou por grande reforma visando melhorar a estrutura de trabalho. “Não há registro ou reclamação de deterioração no local, tampouco na inspetoria do Taboão”, alegou o comunicado.

A administração também informou que os GCMs contratados em julho receberam todas as peças do uniforme para o desempenho de suas funções logo após o término do curso e dos respectivos estágios. “Os itens dos demais guardas foram comprados em processo licitatório, com previsão de entrega para o início de novembro”, concluiu a nota.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Guardas-civis reclamam de estado de deterioração das bases

Sindicato afirma que notificou a administração sobre os problemas

Aline Melo
Do Diário do Grande ABC

03/11/2020 | 00:04


O Sindserv-SBC (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Bernardo) aguarda desde o início do mês passado por solução para problemas estruturais na base da GCM (Guarda Civil Municipal), localizada na Praça Samuel Sabatini, no Centro. Os funcionários relataram ao sindicato problemas como vazamentos de esgoto. Apesar de transcorridos mais de 30 dias desde a queixa, a administração ainda não tomou providências.

Nas unidades do Taboão, Vila São Pedro e da Guarda Ambiental, no Riacho Grande, também existem queixas como vazamentos e infiltrações. Uma das principais reclamações, de acordo com o diretor de assuntos jurídicos do Sindserv-SBC, Celio Vieira, foi a incorporação do galpão que era utilizado pelos trabalhadores que construíram o Piscinão do Paço – onde não existem chuveiros, por exemplo – às instalações da base do centro.

“Aquela base foi onde tudo começou, então ela tem um valor sentimental para todos os GCMs das primeiras turmas”, explicou Vieira. “Hoje é a secretaria (de Segurança Urbana) e os guardas que ali ficavam foram colocados no barracão do Paço”, completou. Ainda de acordo com o sindicalista, o governo tem proibido a entrada do sindicato nas bases das GCM. “Querem esconder o abandono”, concluiu.

O diretor afirmou também que desde o meio do ano, os 77 GCMs que foram contratados aguardam pela entrega dos uniformes. O Diário mostrou em 7 de julho que estava sendo realizada campanha entre os integrantes da guarda para doação de peças de uniformes usados aos novatos. “Há cerca de quatro anos não recebemos uniformes novos”, pontuou Vieira.

A Prefeitura de São Bernardo informou, por nota, que a transferência da inspetoria Centro para a Esplanada do Paço trouxe melhores condições de trabalho aos guardas, oferecendo banheiros, vestiário, sala de instrução e preleção, academia, escritórios, entre outras acomodações. Que um problema pontual de entupimento na rede de esgoto foi detectado no local e um processo licitatório foi aberto para os devidos reparos, que terão início em novembro.

Ainda de acordo com a nota, a inspetoria da Vila São Pedro também passou por mudanças de sede, saindo de estrutura antiga para novo espaço mais adequado. Já a base da Guarda Ambiental passou por grande reforma visando melhorar a estrutura de trabalho. “Não há registro ou reclamação de deterioração no local, tampouco na inspetoria do Taboão”, alegou o comunicado.

A administração também informou que os GCMs contratados em julho receberam todas as peças do uniforme para o desempenho de suas funções logo após o término do curso e dos respectivos estágios. “Os itens dos demais guardas foram comprados em processo licitatório, com previsão de entrega para o início de novembro”, concluiu a nota.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;