Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 23 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Região tem 35 denúncias de pancadões por semana

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Cidades registram ao menos 287 chamados desde setembro; prefeituras fazem ações de coação


Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

31/10/2020 | 00:02


Entre setembro e a última quarta-feira, as prefeituras do Grande ABC registraram ao menos 287 chamados denunciando a ocorrência de pancadões (festas informais organizadas em vias públicas com aglomeração de pessoas e veículos com som alto), desordem ou perturbação do sossego público. Em média, foram 35 casos por fim de semana. Do total, 165 foram em Santo André, 60 em São Bernardo, 50 em Mauá e 12 em Diadema (a Prefeitura não informou o total no período solicitado pelo Diário, portanto, o número corresponde apenas ao último fim de semana).

A região está na Fase 4 (verde) do Plano São Paulo, que determina as diretrizes para a flexibilização e retomada gradual das atividades na pandemia. As sete cidades avançaram de etapa no último dia 9, contudo, a realização de festas e eventos com aglomeração de pessoas não está permitida.
Nem o isolamento físico rígido impediu a promoção dos pancadões. Conforme o Diário publicou, de março a maio, meses em que apenas serviços essenciais tinham a autorização de funcionamento, as prefeituras do Grande ABC receberam pelo menos 173 denúncias do tipo.

A Prefeitura de Santo André mantinha agenda de operações conjuntas para combater as ocorrências de perturbação do sossego e pancadões até o início da pandemia. No entanto, a GCM (Guarda Civil Municipal) passou a fiscalizar o cumprimento das medidas sanitárias e força-tarefa específica para responder a este chamados foi criada. Denúncias podem ser feitas por meio do telefone 153.

Em São Bernardo, a Prefeitura destacou que o combate às festas ilegais se dá por meio da Operação Noite Tranquila, realizada em parceria entre a GCM, a PM (Polícia Militar) e secretarias municipais. Durante este fim de semana prolongado, a GCM irá atuar preventivamente em pontos estratégicos, além do atendimento de denúncias pelo 153.

A administração de Diadema combate os pancadões por meio da Operação Casa em Ordem. Apenas no último fim de semana, as 12 ocorrências resultaram na dispersão de aproximadamente 5.000 pessoas e na apreensão de um automóvel e uma motocicleta. Um dos artifícios é o caminhão Tempestade, equipado com jato d’água para dispersar a população.

A Prefeitura de Mauá garantiu que as medidas de prevenção são feitas por equipes especializadas da Romu (Ronda Ostensiva Municipal) e da Rotam (Ronda Ostensiva Tática Metropolitana), que atendem aos chamados todos os dias da semana por meio dos telefones 153 e 4543-0354.

Em Ribeirão Pires, a Prefeitura informou que apenas duas multas por perturbação do sossego foram aplicadas neste ano. A administração de São Caetano garantiu que na cidade não há pancadões e, em setembro e outubro, não houve denúncias de perturbação do sossego ou aglomerações. A Prefeitura de Rio Grande da Serra não retornou até o fechamento desta edição. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Região tem 35 denúncias de pancadões por semana

Cidades registram ao menos 287 chamados desde setembro; prefeituras fazem ações de coação

Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

31/10/2020 | 00:02


Entre setembro e a última quarta-feira, as prefeituras do Grande ABC registraram ao menos 287 chamados denunciando a ocorrência de pancadões (festas informais organizadas em vias públicas com aglomeração de pessoas e veículos com som alto), desordem ou perturbação do sossego público. Em média, foram 35 casos por fim de semana. Do total, 165 foram em Santo André, 60 em São Bernardo, 50 em Mauá e 12 em Diadema (a Prefeitura não informou o total no período solicitado pelo Diário, portanto, o número corresponde apenas ao último fim de semana).

A região está na Fase 4 (verde) do Plano São Paulo, que determina as diretrizes para a flexibilização e retomada gradual das atividades na pandemia. As sete cidades avançaram de etapa no último dia 9, contudo, a realização de festas e eventos com aglomeração de pessoas não está permitida.
Nem o isolamento físico rígido impediu a promoção dos pancadões. Conforme o Diário publicou, de março a maio, meses em que apenas serviços essenciais tinham a autorização de funcionamento, as prefeituras do Grande ABC receberam pelo menos 173 denúncias do tipo.

A Prefeitura de Santo André mantinha agenda de operações conjuntas para combater as ocorrências de perturbação do sossego e pancadões até o início da pandemia. No entanto, a GCM (Guarda Civil Municipal) passou a fiscalizar o cumprimento das medidas sanitárias e força-tarefa específica para responder a este chamados foi criada. Denúncias podem ser feitas por meio do telefone 153.

Em São Bernardo, a Prefeitura destacou que o combate às festas ilegais se dá por meio da Operação Noite Tranquila, realizada em parceria entre a GCM, a PM (Polícia Militar) e secretarias municipais. Durante este fim de semana prolongado, a GCM irá atuar preventivamente em pontos estratégicos, além do atendimento de denúncias pelo 153.

A administração de Diadema combate os pancadões por meio da Operação Casa em Ordem. Apenas no último fim de semana, as 12 ocorrências resultaram na dispersão de aproximadamente 5.000 pessoas e na apreensão de um automóvel e uma motocicleta. Um dos artifícios é o caminhão Tempestade, equipado com jato d’água para dispersar a população.

A Prefeitura de Mauá garantiu que as medidas de prevenção são feitas por equipes especializadas da Romu (Ronda Ostensiva Municipal) e da Rotam (Ronda Ostensiva Tática Metropolitana), que atendem aos chamados todos os dias da semana por meio dos telefones 153 e 4543-0354.

Em Ribeirão Pires, a Prefeitura informou que apenas duas multas por perturbação do sossego foram aplicadas neste ano. A administração de São Caetano garantiu que na cidade não há pancadões e, em setembro e outubro, não houve denúncias de perturbação do sossego ou aglomerações. A Prefeitura de Rio Grande da Serra não retornou até o fechamento desta edição. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;