Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 23 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Mato alto toma conta do pátio de veículos em Ribeirão Pires

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Vizinhos reclamam que equipamento não tem manutenção há pelo menos dois anos; carros estão sendo saqueados


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

31/10/2020 | 00:01


O pátio municipal de veículos de Ribeirão Pires, localizado na Rua Capitão José Gallo, na Vila Belmiro, causa indignação em quem mora nos arredores. Há algum tempo o local apresenta série de problemas, como mato alto, que encobre até os carros, falta de limpeza, que favorece a presença de ratos e moscas, além de iluminação precária. Nas últimas semanas, segundo os moradores, o equipamento tem sido alvo de ações de ladrões, que estão furtando peças dos automóveis.

Os munícipes garantem que a falta de manutenção não é culpa da pandemia da Covid-19 e que a situação se arrasta há pelo menos dois anos. Mecânico e morador da região, Vinícius Rodrigues, 32 anos, reclama que o cenário de abandono só foi piorando e os moradores não têm esperanças de melhoria. “Aqui perto do pátio tem uma escola e uma creche, além do ponto de ônibus logo em frente (ao pátio), ou seja, muitas pessoas passam por aqui e se arriscam. De manhã ou de tarde, já vimos ratos passeando pela calçada, além de acumular água parada, que acaba se tornando foco para o mosquito da dengue”, comenta.

Outra moradora, que preferiu não se identificar, disse que já fez vários pedidos para que a Prefeitura faça a manutenção no equipamento, mas não teve resposta. “Nós escutamos e vemos também GCMs (Guardas-Civis Municipais) passando por aqui, principalmente de tarde e à noite. Mas, sem iluminação, como os funcionários conseguem fazer ronda nesse pátio? Sei que sempre fica um segurança na guarita, mas é impossível, não tem reforço para ajudá-lo”, lamenta a moradora.

O local não tem câmeras de monitoramento e isso facilitou o furto de itens de pelo menos dois veículos em outubro. No início do mês, um morador que não foi identificado foi retirar seu veículo do pátio e percebeu que o interior havia sido mexido e desmontado, até mesmo o volante sumiu. No dia 21, outro caso parecido. O morador, que também não teve seu nome revelado, foi buscar seu carro apreendido e notou que o veículo estava sem o volante, banco traseiro, bateria e setas, além da lanterna, fiação e o capô do carro, que estavam totalmente danificados. Os munícipes e comerciantes confirmam que casos como esses não são surpresa e têm acontecido com frequência.

A moradora da rua ressalta que o medo de morar próximo ao pátio tem aumentado. “Praticamente, (o local) está abandonado. Não sabemos quem está lá dentro, quem fica lá só esperando para assaltar. O local está tão precário que os guinchos precisam deixar os carros na porta porque não conseguem acessar os fundos do pátio”. comentou.

A Prefeitura foi procurada pela equipe de reportagem para comentar o assunto, mas alegou que, por causa do Dia do Servidor Público, que normalmente é comemorado no dia 28, mas foi deslocado para ontem, não conseguiria responder a demanda. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mato alto toma conta do pátio de veículos em Ribeirão Pires

Vizinhos reclamam que equipamento não tem manutenção há pelo menos dois anos; carros estão sendo saqueados

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

31/10/2020 | 00:01


O pátio municipal de veículos de Ribeirão Pires, localizado na Rua Capitão José Gallo, na Vila Belmiro, causa indignação em quem mora nos arredores. Há algum tempo o local apresenta série de problemas, como mato alto, que encobre até os carros, falta de limpeza, que favorece a presença de ratos e moscas, além de iluminação precária. Nas últimas semanas, segundo os moradores, o equipamento tem sido alvo de ações de ladrões, que estão furtando peças dos automóveis.

Os munícipes garantem que a falta de manutenção não é culpa da pandemia da Covid-19 e que a situação se arrasta há pelo menos dois anos. Mecânico e morador da região, Vinícius Rodrigues, 32 anos, reclama que o cenário de abandono só foi piorando e os moradores não têm esperanças de melhoria. “Aqui perto do pátio tem uma escola e uma creche, além do ponto de ônibus logo em frente (ao pátio), ou seja, muitas pessoas passam por aqui e se arriscam. De manhã ou de tarde, já vimos ratos passeando pela calçada, além de acumular água parada, que acaba se tornando foco para o mosquito da dengue”, comenta.

Outra moradora, que preferiu não se identificar, disse que já fez vários pedidos para que a Prefeitura faça a manutenção no equipamento, mas não teve resposta. “Nós escutamos e vemos também GCMs (Guardas-Civis Municipais) passando por aqui, principalmente de tarde e à noite. Mas, sem iluminação, como os funcionários conseguem fazer ronda nesse pátio? Sei que sempre fica um segurança na guarita, mas é impossível, não tem reforço para ajudá-lo”, lamenta a moradora.

O local não tem câmeras de monitoramento e isso facilitou o furto de itens de pelo menos dois veículos em outubro. No início do mês, um morador que não foi identificado foi retirar seu veículo do pátio e percebeu que o interior havia sido mexido e desmontado, até mesmo o volante sumiu. No dia 21, outro caso parecido. O morador, que também não teve seu nome revelado, foi buscar seu carro apreendido e notou que o veículo estava sem o volante, banco traseiro, bateria e setas, além da lanterna, fiação e o capô do carro, que estavam totalmente danificados. Os munícipes e comerciantes confirmam que casos como esses não são surpresa e têm acontecido com frequência.

A moradora da rua ressalta que o medo de morar próximo ao pátio tem aumentado. “Praticamente, (o local) está abandonado. Não sabemos quem está lá dentro, quem fica lá só esperando para assaltar. O local está tão precário que os guinchos precisam deixar os carros na porta porque não conseguem acessar os fundos do pátio”. comentou.

A Prefeitura foi procurada pela equipe de reportagem para comentar o assunto, mas alegou que, por causa do Dia do Servidor Público, que normalmente é comemorado no dia 28, mas foi deslocado para ontem, não conseguiria responder a demanda. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;