Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Secretaria de Cultura de São Paulo tem programação especial para o feriado

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Museus, oficinas culturais, Sala São Paulo e outros equipamentos do Estado têm eventos presenciais e online


Da Redação

30/10/2020 | 15:41


Quem estiver com vontade de aproveitar uma programação cultural durante o feriado opção não falta. As instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo funcionarão normalmente durante o final de semana do feriado de Finados (2/11), com eventos culturais nos museus, oficinas culturais, Biblioteca Parque Villa-Lobos e na Sala São Paulo. Além das atividades presenciais, a plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa, gerida pela Organização Social Amigos da Arte, oferecerá programação de alta qualidade para quem preferir ficar em casa.

Para as iniciativas presenciais, é preciso ter atenção aos protocolos de saúde em função da pandemia do coronavírus. Todos os equipamentos estão adaptados para receber o público, que devem verificar a disponibilidade de ingressos pelos sites das instituições.

Confira os destaques da programação:
Na Oficina Oswald de Andrade, amanhã, dia 31, às 11h, os artistas da exposição Ecos do Efêmero irão realizar uma Live, que será transmitida na página do Instagram do equipamento, com Lucas Gervilla. Também no dia 31 acontecerá a transmissão ao vivo com a artista Ina Iê em Híbrida: Arte, Vida e Transformação na Oficina Alfredo Volpi, às 20h, pelo Instagram @umabixa. O evento será online no link.

Também amanhã, o público poderá conferir a contação de histórias online na Biblioteca Parque Villa-Lobos, às 16h. O Grupo Êba se apresenta para contar narrativas da tradição oral, com interpretação na língua brasileira de sinais, trazendo contos da lenda sul-africana de Mazanendaba, que viajou em busca das histórias que sumiram da cabeça do seu povo. Inscrições devem ser realizadas pelo site. Para participar, acesse www.bvl.org.br/inscricao. Vagas limitadas.

Na Casa Mário de Andrade, o público pode conferir o Clube de Leitura Casa Mário de Andrade IV. No encontro virtual, os participantes terão oportunidade de conhecer a tradição do cordel, gênero literário que foi reconhecido, em 2018, como patrimônio imaterial pelo IPHAN. A cada encontro, um autor convidado fará uma breve apresentação de sua trajetória, seguida da leitura de uma de suas obras. No dia 31 de outubro, às 16h30, a cordelista e escritora EdiMaria comenta seu cordel Helena Mirelles. A atividade será desenvolvida na plataforma Google Hangouts Meet. Para realizar sua inscrição clique aqui.

Para quem quiser diversão sem sair de casa, a dica é a plataforma #CulturaEmCasa. Os internautas poderão curtir música, teatro, dança, literatura, entrevistas e muito mais. O cantor Fauzi Beydoun, vocalista, guitarrista e principal compositor do grupo Tribo de Jah, se apresenta no sábado, às 21h30. Já no domingo, a dica é a comédia “As Aventuras de Tia Suelly”, com a atriz Suzana Pires, que apresenta um spin off de “De perto ela não é normal”. Mais informações no site: https://culturaemcasa.com.br/#categoria-cultura.

No domingo, dia 1º de novembro, a Sala São Paulo apresenta a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo acompanhada da OJESP e Classe de regência da Academia da OSESP, com regência e violino de Cláudio Cruz, no concerto matinal, às 11h. Ingressos gratuitos. Mais informações no site: http://www.salasaopaulo.art.br/concertoseingressos/programacao.aspx.

A Estação Pinacoteca realiza a exposição inédita Joan Jonas: Cinco Décadas, primeira mostra individual na América do Sul da pioneira da videoarte e da performance, e Hudinilson Jr.: Explícito. A entrada é gratuita, mediante agendamento prévio, no site: www.pinacoteca.org.br.

No Memorial da Resistência de São Paulo, a exposição “Orgulho e Resistências: LGBTs na ditadura” trata das relações entre autoritarismo e diversidade sexual e de gênero. A mostra é realizada em parceria com o Museu da Diversidade Sexual. O público terá aceso a obras literárias, cartazes de peças de teatro, músicas, filmes, fotografias e materiais que confrontavam a censura na época, além de documentos oficiais da ditadura. Dentre os destaques estão fotografias de Vânia Toledo e um desenho inédito da cartunista Laerte Coutinho que abordam a pluralidade de gêneros. Aberto de quarta a segunda, das 14h às 18h. Com entrada gratuita mediante agendamento prévio: www.memorialdaresistenciasp.org.br.

O Museu de Arte Sacra de São Paulo também oferece exposições para quem quiser conhecer o local, bem como o acervo. A mostra “Nós da Etiópia - Recortes de uma viagem”, composta por 30 imagens do fotógrafo Daniel Taveira, que realizou uma viagem ao país, traz representações fidedignas da diversidade humana, abundante em cores e formas da região. Aberto de terça-feira a domingo, das 10 às 17h. O ingresso custa R$ 6,00 (Inteira) e R$ 3,00 (meia) e é gratuito aos sábados.

No Museu Catavento, as crianças poderão desbravar o conhecimento por meio do acervo do espaço e visitando as exposições Astronomia, Terra, Vida e Engenho. As visitas precisam ser agendadas previamente. Serão atendidos grupos de 10 pessoas, a cada 10 minutos, e a visita terá duração de 1h50. Mais informações no site: http://www.cataventocultural.org.br. O Museu funciona de quarta a domingo, das 10h às 16h. O ingresso custa R$ 10,00 (Inteira) e R$ 5,00 (meia).

Com uma nova instalação ao ar livre, no jardim do complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, o Museu da Imigração apresenta a mostra “Respiro”. A exposição propõe uma experiência que relaciona o isolamento social com os sentimentos da pessoa que migra e se encontra afastada de seus lugares, afetos e rotinas. Os visitantes poderão prestigiar, também, a exposição de longa duração “Migrar: experiências, memórias e identidades” e a instalação videográfica “SobreNomes” – resultado de uma campanha interativa que captou mais de 1.600 registros no fim de 2019. A instituição funciona de quinta a domingo, das 11h às 17h. Informações no site: http://museudaimigracao.org.br/. O ingresso custa R$ 10,00 (Inteira) e R$ 5,00 (meia), gratuito aos sábados.

No Museu da Casa Brasileira, os visitantes poderão conferir as exposições: ‘Casas do Brasil: Conexões Paulistanas’, um trabalho realizado pelo fotógrafo Marcos Freire ao longo de sete anos no território paulistano. Com curadoria da designer gráfica Didiana Prata, a mostra apresenta um olhar singular sobre os 94 subdistritos da cidade de São Paulo; ‘Campos de Altitude’, da fotógrafa carioca Kitty Paranaguá. Uma exposição em conjunto com a Janaina Torres Galeria e que foi inspirada pelo trabalho ‘Câmara Escura’, de Abelardo Morell; e a mostra ‘Urbanismo Ecológico 2020’ que ocupará o hall e o jardim do Museu - uma parceria do MCB com a Escola de Design da Universidade de Harvard. Entrada gratuita aos finais de semana e feriados. Mais informações: www.mcb.org.br. O Museu funciona de terça a domingo, das 11h às 15h.

Já o Museu Casa de Portinari, localizado em Brodowski, oferece aos visitantes um passeio pela história e trajetória do renomado artista brasileiro Candido Portinari, de terça a domingo, das 10h às 16h, mediante agendamento prévio. Entrada gratuita. Mais informações no site: https://www.museucasadeportinari.org.br/.

No Museu Índia Vanuíre, em Tupã, os visitantes poderão apreciar a exposição temporária Ató Jagí Burum Krenak – Tecendo Saberes do Povo Krenak, que apresenta o trabalho do povo Krenak da T.I. Vanuíre, que há duas décadas mantém a revitalização de sua cultura, costume e língua materna de forma construtiva. Na mostra, são exibidos em vitrines, painéis, vídeos e fotos o processo de produção de 28 objetos confeccionados especialmente para a mostra. Entrada gratuita. O espaço abre de terça a domingo, das 10h às 16h. Mais informações https://www.museuindiavanuire.org.br/ .

Para quem vai para Campos do Jordão, o Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro é uma ótima opção. No local, os visitantes podem caminhar observando as esculturas do artista que leva o nome do Museu e, ao mesmo tempo, a natureza. A disposição das obras permite uma forte interação, fazendo com que as pessoas sintam a mensagem da artista em cada uma de suas esculturas, podendo reinterpretá-las a partir de novos pontos de vista. São 43 esculturas de bronze, 40 de cimento branco e 2 de granito. Entrada gratuita, mediante agendamento prévio. O espaço funciona de terça a domingo das 10h às 16h. Mais informações: https://www.museufelicialeirner.org.br/

O Museu do Café, localizado em Santos, é um dos principais pontos turísticos da cidade e passa por um processo de conservação e recuperação das fachadas, aprovado pelas três instâncias de preservação de patrimônio (IPHAN, Condephaat e Condepasa). Está aberto à visitação do público de quinta a domingo, das 11h às 17h, mediante agendamento prévio. O edifício suntuoso foi inaugurado em 1922, como parte das comemorações do centenário da independência do Brasil, que abrigava a Bolsa Oficial, construída para centralizar, organizar e controlar as operações cafeeiras. Entrada gratuita aos sábados. Mais informações: http://www.museudocafe.org.br/



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Secretaria de Cultura de São Paulo tem programação especial para o feriado

Museus, oficinas culturais, Sala São Paulo e outros equipamentos do Estado têm eventos presenciais e online

Da Redação

30/10/2020 | 15:41


Quem estiver com vontade de aproveitar uma programação cultural durante o feriado opção não falta. As instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo funcionarão normalmente durante o final de semana do feriado de Finados (2/11), com eventos culturais nos museus, oficinas culturais, Biblioteca Parque Villa-Lobos e na Sala São Paulo. Além das atividades presenciais, a plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa, gerida pela Organização Social Amigos da Arte, oferecerá programação de alta qualidade para quem preferir ficar em casa.

Para as iniciativas presenciais, é preciso ter atenção aos protocolos de saúde em função da pandemia do coronavírus. Todos os equipamentos estão adaptados para receber o público, que devem verificar a disponibilidade de ingressos pelos sites das instituições.

Confira os destaques da programação:
Na Oficina Oswald de Andrade, amanhã, dia 31, às 11h, os artistas da exposição Ecos do Efêmero irão realizar uma Live, que será transmitida na página do Instagram do equipamento, com Lucas Gervilla. Também no dia 31 acontecerá a transmissão ao vivo com a artista Ina Iê em Híbrida: Arte, Vida e Transformação na Oficina Alfredo Volpi, às 20h, pelo Instagram @umabixa. O evento será online no link.

Também amanhã, o público poderá conferir a contação de histórias online na Biblioteca Parque Villa-Lobos, às 16h. O Grupo Êba se apresenta para contar narrativas da tradição oral, com interpretação na língua brasileira de sinais, trazendo contos da lenda sul-africana de Mazanendaba, que viajou em busca das histórias que sumiram da cabeça do seu povo. Inscrições devem ser realizadas pelo site. Para participar, acesse www.bvl.org.br/inscricao. Vagas limitadas.

Na Casa Mário de Andrade, o público pode conferir o Clube de Leitura Casa Mário de Andrade IV. No encontro virtual, os participantes terão oportunidade de conhecer a tradição do cordel, gênero literário que foi reconhecido, em 2018, como patrimônio imaterial pelo IPHAN. A cada encontro, um autor convidado fará uma breve apresentação de sua trajetória, seguida da leitura de uma de suas obras. No dia 31 de outubro, às 16h30, a cordelista e escritora EdiMaria comenta seu cordel Helena Mirelles. A atividade será desenvolvida na plataforma Google Hangouts Meet. Para realizar sua inscrição clique aqui.

Para quem quiser diversão sem sair de casa, a dica é a plataforma #CulturaEmCasa. Os internautas poderão curtir música, teatro, dança, literatura, entrevistas e muito mais. O cantor Fauzi Beydoun, vocalista, guitarrista e principal compositor do grupo Tribo de Jah, se apresenta no sábado, às 21h30. Já no domingo, a dica é a comédia “As Aventuras de Tia Suelly”, com a atriz Suzana Pires, que apresenta um spin off de “De perto ela não é normal”. Mais informações no site: https://culturaemcasa.com.br/#categoria-cultura.

No domingo, dia 1º de novembro, a Sala São Paulo apresenta a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo acompanhada da OJESP e Classe de regência da Academia da OSESP, com regência e violino de Cláudio Cruz, no concerto matinal, às 11h. Ingressos gratuitos. Mais informações no site: http://www.salasaopaulo.art.br/concertoseingressos/programacao.aspx.

A Estação Pinacoteca realiza a exposição inédita Joan Jonas: Cinco Décadas, primeira mostra individual na América do Sul da pioneira da videoarte e da performance, e Hudinilson Jr.: Explícito. A entrada é gratuita, mediante agendamento prévio, no site: www.pinacoteca.org.br.

No Memorial da Resistência de São Paulo, a exposição “Orgulho e Resistências: LGBTs na ditadura” trata das relações entre autoritarismo e diversidade sexual e de gênero. A mostra é realizada em parceria com o Museu da Diversidade Sexual. O público terá aceso a obras literárias, cartazes de peças de teatro, músicas, filmes, fotografias e materiais que confrontavam a censura na época, além de documentos oficiais da ditadura. Dentre os destaques estão fotografias de Vânia Toledo e um desenho inédito da cartunista Laerte Coutinho que abordam a pluralidade de gêneros. Aberto de quarta a segunda, das 14h às 18h. Com entrada gratuita mediante agendamento prévio: www.memorialdaresistenciasp.org.br.

O Museu de Arte Sacra de São Paulo também oferece exposições para quem quiser conhecer o local, bem como o acervo. A mostra “Nós da Etiópia - Recortes de uma viagem”, composta por 30 imagens do fotógrafo Daniel Taveira, que realizou uma viagem ao país, traz representações fidedignas da diversidade humana, abundante em cores e formas da região. Aberto de terça-feira a domingo, das 10 às 17h. O ingresso custa R$ 6,00 (Inteira) e R$ 3,00 (meia) e é gratuito aos sábados.

No Museu Catavento, as crianças poderão desbravar o conhecimento por meio do acervo do espaço e visitando as exposições Astronomia, Terra, Vida e Engenho. As visitas precisam ser agendadas previamente. Serão atendidos grupos de 10 pessoas, a cada 10 minutos, e a visita terá duração de 1h50. Mais informações no site: http://www.cataventocultural.org.br. O Museu funciona de quarta a domingo, das 10h às 16h. O ingresso custa R$ 10,00 (Inteira) e R$ 5,00 (meia).

Com uma nova instalação ao ar livre, no jardim do complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás, o Museu da Imigração apresenta a mostra “Respiro”. A exposição propõe uma experiência que relaciona o isolamento social com os sentimentos da pessoa que migra e se encontra afastada de seus lugares, afetos e rotinas. Os visitantes poderão prestigiar, também, a exposição de longa duração “Migrar: experiências, memórias e identidades” e a instalação videográfica “SobreNomes” – resultado de uma campanha interativa que captou mais de 1.600 registros no fim de 2019. A instituição funciona de quinta a domingo, das 11h às 17h. Informações no site: http://museudaimigracao.org.br/. O ingresso custa R$ 10,00 (Inteira) e R$ 5,00 (meia), gratuito aos sábados.

No Museu da Casa Brasileira, os visitantes poderão conferir as exposições: ‘Casas do Brasil: Conexões Paulistanas’, um trabalho realizado pelo fotógrafo Marcos Freire ao longo de sete anos no território paulistano. Com curadoria da designer gráfica Didiana Prata, a mostra apresenta um olhar singular sobre os 94 subdistritos da cidade de São Paulo; ‘Campos de Altitude’, da fotógrafa carioca Kitty Paranaguá. Uma exposição em conjunto com a Janaina Torres Galeria e que foi inspirada pelo trabalho ‘Câmara Escura’, de Abelardo Morell; e a mostra ‘Urbanismo Ecológico 2020’ que ocupará o hall e o jardim do Museu - uma parceria do MCB com a Escola de Design da Universidade de Harvard. Entrada gratuita aos finais de semana e feriados. Mais informações: www.mcb.org.br. O Museu funciona de terça a domingo, das 11h às 15h.

Já o Museu Casa de Portinari, localizado em Brodowski, oferece aos visitantes um passeio pela história e trajetória do renomado artista brasileiro Candido Portinari, de terça a domingo, das 10h às 16h, mediante agendamento prévio. Entrada gratuita. Mais informações no site: https://www.museucasadeportinari.org.br/.

No Museu Índia Vanuíre, em Tupã, os visitantes poderão apreciar a exposição temporária Ató Jagí Burum Krenak – Tecendo Saberes do Povo Krenak, que apresenta o trabalho do povo Krenak da T.I. Vanuíre, que há duas décadas mantém a revitalização de sua cultura, costume e língua materna de forma construtiva. Na mostra, são exibidos em vitrines, painéis, vídeos e fotos o processo de produção de 28 objetos confeccionados especialmente para a mostra. Entrada gratuita. O espaço abre de terça a domingo, das 10h às 16h. Mais informações https://www.museuindiavanuire.org.br/ .

Para quem vai para Campos do Jordão, o Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro é uma ótima opção. No local, os visitantes podem caminhar observando as esculturas do artista que leva o nome do Museu e, ao mesmo tempo, a natureza. A disposição das obras permite uma forte interação, fazendo com que as pessoas sintam a mensagem da artista em cada uma de suas esculturas, podendo reinterpretá-las a partir de novos pontos de vista. São 43 esculturas de bronze, 40 de cimento branco e 2 de granito. Entrada gratuita, mediante agendamento prévio. O espaço funciona de terça a domingo das 10h às 16h. Mais informações: https://www.museufelicialeirner.org.br/

O Museu do Café, localizado em Santos, é um dos principais pontos turísticos da cidade e passa por um processo de conservação e recuperação das fachadas, aprovado pelas três instâncias de preservação de patrimônio (IPHAN, Condephaat e Condepasa). Está aberto à visitação do público de quinta a domingo, das 11h às 17h, mediante agendamento prévio. O edifício suntuoso foi inaugurado em 1922, como parte das comemorações do centenário da independência do Brasil, que abrigava a Bolsa Oficial, construída para centralizar, organizar e controlar as operações cafeeiras. Entrada gratuita aos sábados. Mais informações: http://www.museudocafe.org.br/

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;