Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Maioria das Bolsas da Europa fecha em baixa com preocupação com covid-19



29/10/2020 | 14:13


Os mercados acionários europeus fecharam em queda, com exceção de Frankfurt. Investidores continuavam a monitorar a segunda onda da covid-19 e seus impactos na região, com um quadro em geral negativo mesmo diante de promessas de mais relaxamento monetário em breve pelo Banco Central Europeu (BCE). O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,12%, em 341,76 pontos.

As praças europeias ensaiaram uma recuperação, após fortes perdas no dia anterior, quando restrições à atividade em importantes economias para conter o novo coronavírus pesaram.

Frankfurt ainda conseguiu subir nesta quinta-feira, com o índice DAX em alta de 0,32%, em 11.598,07 pontos. Nas demais bolsas, porém, o mau humor se estendeu.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 registrou baixa de 0,02%, em 5.581,75 pontos. O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou comunicado, no qual cortou projeções para a economia do Reino Unido e ainda alertou para riscos de piora, como a covid-19 e as dificuldades na negociação de um acordo comercial com a União Europeia.

Uma fonte próxima do governo do Reino Unido afirmou à repórter Célia Froufe, ex-correspondente do Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) no país, que a administração estuda um eventual lockdown nacional para conter a covid-19.

Na política monetária, o BCE manteve os juros, como esperado, mas deu sinalização clara de que haverá ajustes em dezembro, com "recalibragem dos instrumentos". Presidente da instituição, Christine Lagarde destacou que os indicadores apontam para desaceleração na zona do euro no quarto trimestre, com as consequências do covid-19 provavelmente adentrando o ano de 2021.

O ING considerou em relatório que o BCE trouxe uma "grande surpresa" na reunião desta quinta, com a força e o escopo do compromisso assumido para dezembro. Os analistas em geral concordaram que a sinalização de mais relaxamento ainda neste ano foi bastante explícita. O Erste Group comenta agora que a questão é saber a extensão desse relaxamento.

Em Paris, o índice CAC 40 caiu 0,03%, a 4.569,67 pontos.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB teve baixa de 0,14%, a 17.872,28 pontos.

Em Madri, o índice Ibex 35 caiu 0,97%, para 6.411,80 pontos.

Em Lisboa, o índice PSI 20 fechou em queda de 0,66%, em 3.863,20 pontos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Maioria das Bolsas da Europa fecha em baixa com preocupação com covid-19


29/10/2020 | 14:13


Os mercados acionários europeus fecharam em queda, com exceção de Frankfurt. Investidores continuavam a monitorar a segunda onda da covid-19 e seus impactos na região, com um quadro em geral negativo mesmo diante de promessas de mais relaxamento monetário em breve pelo Banco Central Europeu (BCE). O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,12%, em 341,76 pontos.

As praças europeias ensaiaram uma recuperação, após fortes perdas no dia anterior, quando restrições à atividade em importantes economias para conter o novo coronavírus pesaram.

Frankfurt ainda conseguiu subir nesta quinta-feira, com o índice DAX em alta de 0,32%, em 11.598,07 pontos. Nas demais bolsas, porém, o mau humor se estendeu.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 registrou baixa de 0,02%, em 5.581,75 pontos. O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou comunicado, no qual cortou projeções para a economia do Reino Unido e ainda alertou para riscos de piora, como a covid-19 e as dificuldades na negociação de um acordo comercial com a União Europeia.

Uma fonte próxima do governo do Reino Unido afirmou à repórter Célia Froufe, ex-correspondente do Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) no país, que a administração estuda um eventual lockdown nacional para conter a covid-19.

Na política monetária, o BCE manteve os juros, como esperado, mas deu sinalização clara de que haverá ajustes em dezembro, com "recalibragem dos instrumentos". Presidente da instituição, Christine Lagarde destacou que os indicadores apontam para desaceleração na zona do euro no quarto trimestre, com as consequências do covid-19 provavelmente adentrando o ano de 2021.

O ING considerou em relatório que o BCE trouxe uma "grande surpresa" na reunião desta quinta, com a força e o escopo do compromisso assumido para dezembro. Os analistas em geral concordaram que a sinalização de mais relaxamento ainda neste ano foi bastante explícita. O Erste Group comenta agora que a questão é saber a extensão desse relaxamento.

Em Paris, o índice CAC 40 caiu 0,03%, a 4.569,67 pontos.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB teve baixa de 0,14%, a 17.872,28 pontos.

Em Madri, o índice Ibex 35 caiu 0,97%, para 6.411,80 pontos.

Em Lisboa, o índice PSI 20 fechou em queda de 0,66%, em 3.863,20 pontos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;