Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Lucro da Vale cresce 76% e chega a US$ 2,9 bilhões no 3º trimestre



28/10/2020 | 20:58


A Vale reportou um lucro líquido de US$ 2,908 bilhões no terceiro trimestre de 2020, alta de 76% em relação ao mesmo período de 2019. Na comparação com o segundo trimestre do ano, o lucro foi 192% maior. O resultado da companhia seguiu favorecido pelo alto patamar de preço do minério de ferro e aumento do Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações).

Segundo a companhia, os efeitos positivos foram parcialmente compensados por maiores despesas financeiras, da maior marcação a mercado das debêntures participativas (US$ 322 milhões) e a reavaliação do valor justo das garantias financeiras emitidas pela Vale (US$ 322 milhões).

Carro-chefe da Vale, o minério ainda se mantém cotado próximo dos US$ 120 por tonelada em função do déficit entre oferta - mais restrita desde a tragédia de Brumadinho - e demanda - alavancada pela retomada econômica da China no pós-pandemia.

"Ao mesmo tempo em que continuamos firmes no compromisso com a reparação integral de Brumadinho, neste trimestre alcançamos um marco importante na estabilização da nossa produção, com o recorde histórico de produção no Sistema Norte, um grande passo para o de-risking de nossa companhia", afirmou Eduardo Bartolomeo, Diretor-Presidente da Vale, no documento que acompanha seu demonstrativo financeiro.

A geração de caixa medida pelo Ebitda ajustado cresceu 32% em um ano, para US$ 6,095 bilhões. Em relação ao segundo trimestre do ano, o crescimento foi de 81%. Já a receita operacional líquida foi de US$ 10,762 bilhões, avanço de 5% em um ano.

No terceiro trimestre a Vale produziu 88,676 milhões de toneladas de minério, alta anual de 2,3% e trimestral de 31,2%. O crescimento veio embalado pela produção recorde do Sistema Norte, onde está o megaprojeto S11D, ausência de impactos relacionados à covid-19, melhores condições pluviométricas e o retorno de operações como as de Timbopeba e Itabira, em Minas Gerais.

As vendas da commodity, entretanto, foram consideravelmente menores, de 74,2 milhões de toneladas. A diferença entre as cifras de produção e venda foi direcionada à recomposição de estoques da mineradora, que atingiram 21 milhões de toneladas, revertendo a queda após a tragédia de Brumadinho. No relatório, a companhia afirma que o desempenho deve melhorar ainda mais no quarto trimestre e que vai manter o foco na maximização de suas margens, dando prioridade a produtos blendados em seu portfólio.

O guidance de produção da Vale para 2020 foi mantido na faixa de 310-330 milhões de toneladas, com a própria companhia sinalizando que deve ficar mais perto do ponto mínimo desse intervalo. Nos primeiros nove meses do ano, a produção soma 215,9 milhões de toneladas. Após a divulgação dos dados do terceiro trimestre, cresceram as chances de a Vale atingir o piso dessa projeção, segundo analistas.

No balanço anterior a companhia já havia anunciado a tão esperada retomada do pagamento de dividendos aos acionistas, suspenso em 2019, após a tragédia de Brumadinho. A empresa informou no documento divulgado nesta quarta-feira, 28, que no terceiro trimestre distribuiu um total de US$ 3,327 bilhões em remuneração aos acionistas em relação ao desempenho da companhia no primeiro semestre e os juros sobre capital próprio anunciados em dezembro de 2019.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lucro da Vale cresce 76% e chega a US$ 2,9 bilhões no 3º trimestre


28/10/2020 | 20:58


A Vale reportou um lucro líquido de US$ 2,908 bilhões no terceiro trimestre de 2020, alta de 76% em relação ao mesmo período de 2019. Na comparação com o segundo trimestre do ano, o lucro foi 192% maior. O resultado da companhia seguiu favorecido pelo alto patamar de preço do minério de ferro e aumento do Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações).

Segundo a companhia, os efeitos positivos foram parcialmente compensados por maiores despesas financeiras, da maior marcação a mercado das debêntures participativas (US$ 322 milhões) e a reavaliação do valor justo das garantias financeiras emitidas pela Vale (US$ 322 milhões).

Carro-chefe da Vale, o minério ainda se mantém cotado próximo dos US$ 120 por tonelada em função do déficit entre oferta - mais restrita desde a tragédia de Brumadinho - e demanda - alavancada pela retomada econômica da China no pós-pandemia.

"Ao mesmo tempo em que continuamos firmes no compromisso com a reparação integral de Brumadinho, neste trimestre alcançamos um marco importante na estabilização da nossa produção, com o recorde histórico de produção no Sistema Norte, um grande passo para o de-risking de nossa companhia", afirmou Eduardo Bartolomeo, Diretor-Presidente da Vale, no documento que acompanha seu demonstrativo financeiro.

A geração de caixa medida pelo Ebitda ajustado cresceu 32% em um ano, para US$ 6,095 bilhões. Em relação ao segundo trimestre do ano, o crescimento foi de 81%. Já a receita operacional líquida foi de US$ 10,762 bilhões, avanço de 5% em um ano.

No terceiro trimestre a Vale produziu 88,676 milhões de toneladas de minério, alta anual de 2,3% e trimestral de 31,2%. O crescimento veio embalado pela produção recorde do Sistema Norte, onde está o megaprojeto S11D, ausência de impactos relacionados à covid-19, melhores condições pluviométricas e o retorno de operações como as de Timbopeba e Itabira, em Minas Gerais.

As vendas da commodity, entretanto, foram consideravelmente menores, de 74,2 milhões de toneladas. A diferença entre as cifras de produção e venda foi direcionada à recomposição de estoques da mineradora, que atingiram 21 milhões de toneladas, revertendo a queda após a tragédia de Brumadinho. No relatório, a companhia afirma que o desempenho deve melhorar ainda mais no quarto trimestre e que vai manter o foco na maximização de suas margens, dando prioridade a produtos blendados em seu portfólio.

O guidance de produção da Vale para 2020 foi mantido na faixa de 310-330 milhões de toneladas, com a própria companhia sinalizando que deve ficar mais perto do ponto mínimo desse intervalo. Nos primeiros nove meses do ano, a produção soma 215,9 milhões de toneladas. Após a divulgação dos dados do terceiro trimestre, cresceram as chances de a Vale atingir o piso dessa projeção, segundo analistas.

No balanço anterior a companhia já havia anunciado a tão esperada retomada do pagamento de dividendos aos acionistas, suspenso em 2019, após a tragédia de Brumadinho. A empresa informou no documento divulgado nesta quarta-feira, 28, que no terceiro trimestre distribuiu um total de US$ 3,327 bilhões em remuneração aos acionistas em relação ao desempenho da companhia no primeiro semestre e os juros sobre capital próprio anunciados em dezembro de 2019.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;