Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Faturamento do setor de máquinas cresce 9,8% em setembro, diz Abimaq



28/10/2020 | 15:01


O faturamento líquido total do setor de máquinas e equipamentos cresceu 9,8% em setembro comparativamente a agosto, segundo informou nesta quarta-feira, 28, a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). O faturamento líquido total engloba as receitas obtidas com as vendas no mercado interno e no exterior já descontadas as despesas correntes do setor.

No confronto de setembro com idêntico mês no ano passado, o faturamento líquido total do setor avançou 13,3%. No acumulado do ano, período que compreende os meses de janeiro a setembro, o faturamento líquido do setor de máquinas e equipamentos recuou 1,3%.

O faturamento líquido interno do setor, que são as receitas obtidas no mercado interno descontado as despesas correntes do setor de máquinas e equipamentos, cresceu 8,4% em setembro ante agosto. Na comparação com setembro do ano passado, o faturamento líquido interno do setor cresceu 22,2%. No acumulado do ano até setembro houve de 3,5%.

O consumo aparente de máquinas e equipamentos também cresceu em setembro à razão de 5,1% na comparação com agosto. O consumo aparente de um bem é o total da sua produção adicionada das importações e subtraída das exportações.

Na comparação de setembro deste ano com o mesmo mês do ano passado, o consumo aparente de máquinas e equipamentos cresceu 13,8% e no acumulado do ano até setembro cresceu 7,4%.

Saldo comercial

O saldo comercial da indústria de máquinas e equipamentos brasileira encerrou o mês de setembro registrando um déficit 11,7% maior que em agosto, segundo apurou a Abimaq. No mês passado, o déficit comercial do setor - exportações menos importações - somou US$ 662,65 milhões.

Na comparação com setembro do ano passado, o déficit comercial do setor de máquinas e equipamentos cresceu 0,5% e no acumulado do ano, 23,2%. Em valores, o saldo comercial do setor é negativo em US$ 6,051 bilhões.

O déficit comercial da indústria de máquinas e equipamentos em setembro decorre de um total de US$ 1,110 bilhão em importações e exportações de US$ 648,11 milhões. Sobre agosto, as exportações de setembro cresceram 17,3%. Recuaram 23,7% em relação com setembro do ano passado e caíram 27,7% no acumulado do ano até setembro.

Já as importações cresceram 3,2% na comparação com agosto, recuaram 15,2% no confronto de setembro com o mesmo mês passado e caiu 7,4% no acumulado do ano até setembro.

Emprego

O quadro de empregados na indústria de máquinas e equipamentos ao final de setembro registrava 314,809 trabalhadores. Esse número é 2% superior ao registrado em agosto e 2,3% acima do quadro de funcionários empregados pelo setor no mesmo mês do ano passado.

No acumulado do ano, o nível de empregados na indústria de máquinas e equipamentos acumula ligeiro crescimento de 0,5%, indicando que todos os empregos destruídos pelo momento mais agudo da pandemia já foi recuperado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Faturamento do setor de máquinas cresce 9,8% em setembro, diz Abimaq


28/10/2020 | 15:01


O faturamento líquido total do setor de máquinas e equipamentos cresceu 9,8% em setembro comparativamente a agosto, segundo informou nesta quarta-feira, 28, a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). O faturamento líquido total engloba as receitas obtidas com as vendas no mercado interno e no exterior já descontadas as despesas correntes do setor.

No confronto de setembro com idêntico mês no ano passado, o faturamento líquido total do setor avançou 13,3%. No acumulado do ano, período que compreende os meses de janeiro a setembro, o faturamento líquido do setor de máquinas e equipamentos recuou 1,3%.

O faturamento líquido interno do setor, que são as receitas obtidas no mercado interno descontado as despesas correntes do setor de máquinas e equipamentos, cresceu 8,4% em setembro ante agosto. Na comparação com setembro do ano passado, o faturamento líquido interno do setor cresceu 22,2%. No acumulado do ano até setembro houve de 3,5%.

O consumo aparente de máquinas e equipamentos também cresceu em setembro à razão de 5,1% na comparação com agosto. O consumo aparente de um bem é o total da sua produção adicionada das importações e subtraída das exportações.

Na comparação de setembro deste ano com o mesmo mês do ano passado, o consumo aparente de máquinas e equipamentos cresceu 13,8% e no acumulado do ano até setembro cresceu 7,4%.

Saldo comercial

O saldo comercial da indústria de máquinas e equipamentos brasileira encerrou o mês de setembro registrando um déficit 11,7% maior que em agosto, segundo apurou a Abimaq. No mês passado, o déficit comercial do setor - exportações menos importações - somou US$ 662,65 milhões.

Na comparação com setembro do ano passado, o déficit comercial do setor de máquinas e equipamentos cresceu 0,5% e no acumulado do ano, 23,2%. Em valores, o saldo comercial do setor é negativo em US$ 6,051 bilhões.

O déficit comercial da indústria de máquinas e equipamentos em setembro decorre de um total de US$ 1,110 bilhão em importações e exportações de US$ 648,11 milhões. Sobre agosto, as exportações de setembro cresceram 17,3%. Recuaram 23,7% em relação com setembro do ano passado e caíram 27,7% no acumulado do ano até setembro.

Já as importações cresceram 3,2% na comparação com agosto, recuaram 15,2% no confronto de setembro com o mesmo mês passado e caiu 7,4% no acumulado do ano até setembro.

Emprego

O quadro de empregados na indústria de máquinas e equipamentos ao final de setembro registrava 314,809 trabalhadores. Esse número é 2% superior ao registrado em agosto e 2,3% acima do quadro de funcionários empregados pelo setor no mesmo mês do ano passado.

No acumulado do ano, o nível de empregados na indústria de máquinas e equipamentos acumula ligeiro crescimento de 0,5%, indicando que todos os empregos destruídos pelo momento mais agudo da pandemia já foi recuperado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;