Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fuga do risco impulsiona taxas futuras de juros a novas máximas antes de Copom



28/10/2020 | 09:53


Conforme previsto, os juros futuros engatam o movimento de alta novamente nesta manhã de quarta-feira, com alta mais acentuada nos longos, gerando maior inclinação da curva, em meio à aversão a risco global e às preocupações internas com ruídos políticos, fiscal, andamento das reformas e inflação. O movimento, alinhado à alta forte do dólar ante o real, tende a dar o tom aos negócios ao longo do dia, uma vez que a decisão do Copom só será conhecida após o fechamento dos mercados.

Às 9h25 desta quarta, o DI para janeiro de 2027 batia máxima de 7,64%, de 7,49% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2023 exibia máxima de 5,06%, de 4,93%, enquanto o vencimento para janeiro de 2022 estava em 3,51%, de 3,44% terça-feira no ajuste. O dólar à vista subia para máxima de R$ 5,7565, com alta de 1,30%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fuga do risco impulsiona taxas futuras de juros a novas máximas antes de Copom


28/10/2020 | 09:53


Conforme previsto, os juros futuros engatam o movimento de alta novamente nesta manhã de quarta-feira, com alta mais acentuada nos longos, gerando maior inclinação da curva, em meio à aversão a risco global e às preocupações internas com ruídos políticos, fiscal, andamento das reformas e inflação. O movimento, alinhado à alta forte do dólar ante o real, tende a dar o tom aos negócios ao longo do dia, uma vez que a decisão do Copom só será conhecida após o fechamento dos mercados.

Às 9h25 desta quarta, o DI para janeiro de 2027 batia máxima de 7,64%, de 7,49% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2023 exibia máxima de 5,06%, de 4,93%, enquanto o vencimento para janeiro de 2022 estava em 3,51%, de 3,44% terça-feira no ajuste. O dólar à vista subia para máxima de R$ 5,7565, com alta de 1,30%.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;