Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ásia: Bolsas fecham na maioria em baixa, ainda olhando covid-19 e acordo nos EUA



27/10/2020 | 07:21


As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira, ainda pressionadas pela disseminação da covid-19 e pela falta de um novo acordo fiscal nos EUA, e também na esteira do fraco desempenho dos mercados acionários americanos.

O índice japonês Nikkei teve perda marginal de 0,04% em Tóquio hoje, a 23.485,80 pontos, e o Hang Seng recuou 0,53% em Hong Kong, a 24.787,19 pontos - após não operar ontem devido a um feriado local -, enquanto o sul-coreano Kospi cedeu 0,56% em Seul, a 2.330,84 pontos, e o Taiex registrou modesta queda de 0,26% em Taiwan, a 12.875,01 pontos.

O viés negativo vem em meio à propagação do novo coronavírus, que na segunda-feira ultrapassou a marca de 43 milhões de infectados, com mais de 1,1 milhão de mortos. A situação é particularmente delicada na Europa e nos EUA, que vêm registrando recordes de novos casos diários.

Além disso, o governo dos EUA e a oposição permanecem num impasse em negociações por um novo pacote fiscal que ajude o país a superar os efeitos da pandemia. É incerto ainda se um acordo será fechado antes da eleição presidencial americana, que está marcada para o próximo dia 3.

Esse quadro desanimador levou as bolsas de Nova York a encerrarem os negócios de ontem com perdas de 1,6% a 2,3%.

Os mercados chineses foram exceção positiva nesta terça, com investidores à espera de novidades de uma reunião do Partido Comunista da China nesta semana para definir o plano econômico da segunda maior economia do mundo para os próximos cinco anos. O Shanghai Composto avançou 0,10%, a 3.254,32 pontos, interrompendo uma sequência de quatro pregões negativos, e o Shenzhen Composto subiu 0,54%, a 2.223,92 pontos.

Dados oficiais mostraram que o lucro de grandes empresas industriais da China teve expansão anual de 10,1% em setembro, menor do que o ganho de 19,1% visto em agosto.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho pela quarta sessão consecutiva, o que não acontecia há cinco semanas. O S&P/ASX 200 caiu 1,70% em Sydney, a 6.051,00 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ásia: Bolsas fecham na maioria em baixa, ainda olhando covid-19 e acordo nos EUA


27/10/2020 | 07:21


As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em baixa nesta terça-feira, ainda pressionadas pela disseminação da covid-19 e pela falta de um novo acordo fiscal nos EUA, e também na esteira do fraco desempenho dos mercados acionários americanos.

O índice japonês Nikkei teve perda marginal de 0,04% em Tóquio hoje, a 23.485,80 pontos, e o Hang Seng recuou 0,53% em Hong Kong, a 24.787,19 pontos - após não operar ontem devido a um feriado local -, enquanto o sul-coreano Kospi cedeu 0,56% em Seul, a 2.330,84 pontos, e o Taiex registrou modesta queda de 0,26% em Taiwan, a 12.875,01 pontos.

O viés negativo vem em meio à propagação do novo coronavírus, que na segunda-feira ultrapassou a marca de 43 milhões de infectados, com mais de 1,1 milhão de mortos. A situação é particularmente delicada na Europa e nos EUA, que vêm registrando recordes de novos casos diários.

Além disso, o governo dos EUA e a oposição permanecem num impasse em negociações por um novo pacote fiscal que ajude o país a superar os efeitos da pandemia. É incerto ainda se um acordo será fechado antes da eleição presidencial americana, que está marcada para o próximo dia 3.

Esse quadro desanimador levou as bolsas de Nova York a encerrarem os negócios de ontem com perdas de 1,6% a 2,3%.

Os mercados chineses foram exceção positiva nesta terça, com investidores à espera de novidades de uma reunião do Partido Comunista da China nesta semana para definir o plano econômico da segunda maior economia do mundo para os próximos cinco anos. O Shanghai Composto avançou 0,10%, a 3.254,32 pontos, interrompendo uma sequência de quatro pregões negativos, e o Shenzhen Composto subiu 0,54%, a 2.223,92 pontos.

Dados oficiais mostraram que o lucro de grandes empresas industriais da China teve expansão anual de 10,1% em setembro, menor do que o ganho de 19,1% visto em agosto.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho pela quarta sessão consecutiva, o que não acontecia há cinco semanas. O S&P/ASX 200 caiu 1,70% em Sydney, a 6.051,00 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;