Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Donisete tira Pros e tem candidatura deferida pela Justiça Eleitoral

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Registro havia sido barrado porque o partido coligado não apresentou todas as condições de participar do pleito


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

27/10/2020 | 00:03


O juiz Marcos Alexandre Santos Ambrogi, da 217ª Zona Eleitoral de Mauá, acolheu a mudança na chapa encabeçada pelo ex-prefeito Donisete Braga (PDT) e deferiu o registro de candidatura majoritária do pedetista, candidato ao Paço na eleição deste ano.

Ambrogi reviu o indeferimento aplicado ao projeto político de Donisete depois que a campanha do ex-chefe do Executivo retirou o Pros da coligação. O registro havia sido barrado justamente porque o partido coligado não apresentou todas as condições eleitorais de participar do pleito – pela legislação, problemas com siglas aliadas podem inviabilizar a chapa por completo.

Com a apresentação da candidatura de Donisete sem a presença do Pros, Ambrogi aceitou a papelada. “Os candidatos em disputa, isoladamente, foram admitidos como regulares e não eram do partido (Pros) cuja convenção se observou inválida”, escreveu o magistrado. O Pros é o antigo partido de Donisete – depois de sair do PT, o ex-prefeito migrou para o Pros e foi candidato a deputado federal, sem obter êxito. Neste pleito, o Pros sequer tinha candidato a vereador registrado.

Ao Diário, Donisete admitiu que o fato trouxe “desgaste”, mas ele avalia que há tempo de mostrar que sua candidatura está validada pela Justiça Eleitoral. “Tivemos desgaste porque (os adversários) usaram muito que a gente não seria candidato, que nós não estaríamos aptos, estaríamos fora do processo porque estaríamos indeferidos. Foi um processo administrativo do Pros e eles (rivais) apostaram que eu estaria inelegível, e isso não aconteceu.”  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Donisete tira Pros e tem candidatura deferida pela Justiça Eleitoral

Registro havia sido barrado porque o partido coligado não apresentou todas as condições de participar do pleito

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

27/10/2020 | 00:03


O juiz Marcos Alexandre Santos Ambrogi, da 217ª Zona Eleitoral de Mauá, acolheu a mudança na chapa encabeçada pelo ex-prefeito Donisete Braga (PDT) e deferiu o registro de candidatura majoritária do pedetista, candidato ao Paço na eleição deste ano.

Ambrogi reviu o indeferimento aplicado ao projeto político de Donisete depois que a campanha do ex-chefe do Executivo retirou o Pros da coligação. O registro havia sido barrado justamente porque o partido coligado não apresentou todas as condições eleitorais de participar do pleito – pela legislação, problemas com siglas aliadas podem inviabilizar a chapa por completo.

Com a apresentação da candidatura de Donisete sem a presença do Pros, Ambrogi aceitou a papelada. “Os candidatos em disputa, isoladamente, foram admitidos como regulares e não eram do partido (Pros) cuja convenção se observou inválida”, escreveu o magistrado. O Pros é o antigo partido de Donisete – depois de sair do PT, o ex-prefeito migrou para o Pros e foi candidato a deputado federal, sem obter êxito. Neste pleito, o Pros sequer tinha candidato a vereador registrado.

Ao Diário, Donisete admitiu que o fato trouxe “desgaste”, mas ele avalia que há tempo de mostrar que sua candidatura está validada pela Justiça Eleitoral. “Tivemos desgaste porque (os adversários) usaram muito que a gente não seria candidato, que nós não estaríamos aptos, estaríamos fora do processo porque estaríamos indeferidos. Foi um processo administrativo do Pros e eles (rivais) apostaram que eu estaria inelegível, e isso não aconteceu.”  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;