Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 26 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Com alta de bancos, Ibovespa vai na contramão de NY e tem ganhos leves



26/10/2020 | 10:57


Após uma abertura em baixa, sintonizada com o mau humor no mercado internacional, o Índice Bovespa foi beneficiado pelo bom desempenho das ações do setor financeiro e passou a operar com ganhos leves. Os papéis do setor financeiro refletem principalmente a combinação entre preços atrativos e expectativa de resultados positivos nos balanços trimestrais do setor. Assim, esses papéis neutralizam esta manhã a queda de ações de empresas ligadas a commodities, como Petrobras, Vale e siderúrgicas, em um ambiente de cautela no mercado internacional.

As bolsas de Nova York confirmaram o que já apontavam os índices futuros e abriram o dia em queda. No radar do investidor internacional, estão a proximidade da eleição presidencial americana, a falta de acordo para um novo pacote de estímulos à economia americana e o aumento do número de casos da covid-19 na Europa e nos Estados Unidos.

Às 10h40, o Ibovespa tinha alta de 0,26%, aos 101.525,99 pontos.

As units de Santander Brasil subiam 0,95%, enquanto Petrobras PN perdia 0,92%. Em Nova York, o índice Dow Jones perdia 1,16%, o S&P500 recuava 0,88% e o Nasdaq cedia 0,38%.

No noticiário corporativo, destaque para a Azul, que protocolou na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) um pedido de oferta de 1,6 milhão de debêntures conversíveis em ações preferenciais, em uma captação que pode chegar a R$ 1,6 bilhão. Os recursos da oferta serão utilizados, de acordo com a companhia aérea, para sustentação do capital de giro, expansão da atividade de logística e "outras oportunidades estratégicas".

A agenda de balanços foi iniciada nesta segunda pela Klabin, que reportou prejuízo líquido de R$ 191,217 milhões no terceiro trimestre de 2020. Com o desempenho, a empresa reverteu o lucro líquido de R$ 207,427 milhões na comparação com igual período do ano anterior. Os dados foram divulgados nesta segunda em balanço enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Ainda hoje, após o fechamento do mercado, serão conhecidos balanços da Petz e Unidas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com alta de bancos, Ibovespa vai na contramão de NY e tem ganhos leves


26/10/2020 | 10:57


Após uma abertura em baixa, sintonizada com o mau humor no mercado internacional, o Índice Bovespa foi beneficiado pelo bom desempenho das ações do setor financeiro e passou a operar com ganhos leves. Os papéis do setor financeiro refletem principalmente a combinação entre preços atrativos e expectativa de resultados positivos nos balanços trimestrais do setor. Assim, esses papéis neutralizam esta manhã a queda de ações de empresas ligadas a commodities, como Petrobras, Vale e siderúrgicas, em um ambiente de cautela no mercado internacional.

As bolsas de Nova York confirmaram o que já apontavam os índices futuros e abriram o dia em queda. No radar do investidor internacional, estão a proximidade da eleição presidencial americana, a falta de acordo para um novo pacote de estímulos à economia americana e o aumento do número de casos da covid-19 na Europa e nos Estados Unidos.

Às 10h40, o Ibovespa tinha alta de 0,26%, aos 101.525,99 pontos.

As units de Santander Brasil subiam 0,95%, enquanto Petrobras PN perdia 0,92%. Em Nova York, o índice Dow Jones perdia 1,16%, o S&P500 recuava 0,88% e o Nasdaq cedia 0,38%.

No noticiário corporativo, destaque para a Azul, que protocolou na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) um pedido de oferta de 1,6 milhão de debêntures conversíveis em ações preferenciais, em uma captação que pode chegar a R$ 1,6 bilhão. Os recursos da oferta serão utilizados, de acordo com a companhia aérea, para sustentação do capital de giro, expansão da atividade de logística e "outras oportunidades estratégicas".

A agenda de balanços foi iniciada nesta segunda pela Klabin, que reportou prejuízo líquido de R$ 191,217 milhões no terceiro trimestre de 2020. Com o desempenho, a empresa reverteu o lucro líquido de R$ 207,427 milhões na comparação com igual período do ano anterior. Os dados foram divulgados nesta segunda em balanço enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Ainda hoje, após o fechamento do mercado, serão conhecidos balanços da Petz e Unidas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;