Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Centro Aquático é inaugurado em Tóquio para disputa dos Jogos Olímpicos em 2021



24/10/2020 | 15:10


A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, inaugurou neste sábado o Centro Aquático para os Jogos Olímpicos. O local deveria ter sido inaugurado oficialmente em 22 de março, mas o evento foi postergado devido à pandemia de covid-19. Dias depois, veio a confirmação de que a Olimpíada seria adiada para 2021.

O Centro Aquático estava pronto desde o fim de março, mas só agora foi possível realizar a cerimônia de abertura do complexo esportivo, mesmo que sem a presença de público.

A arena tem capacidade para comportar até 15 mil espectadores. No entanto, ainda não está definido se torcedores terão permissão para entrar nas instalações durante os Jogos de Tóquio, remarcados para julho do próximo ano.

O evento contou com a presença de centenas de funcionários e teve um tom de esperança. Koike fez questão de enfatizar que o Centro Aquático, construído com um investimento de US$ 523 milhões (aproximadamente R$ 3 bilhões) vai beneficiar não só os atletas olímpicos, como também os moradores de Tóquio.

A cerimônia foi seguida por exibições de mergulho e natação de atletas japoneses, incluindo a nadadora Rikako Ikee, cuja luta contra a leucemia foi vista como um reflexo da própria tentativa dos Jogos de ressurgir. "Aconteceram coisas inesperadas, como o adiamento, mas precisamos realizar os Jogos com sucesso", disse a governadora Koike.

Todas as instalações olímpicas de Tóquio foram construídas ou reformadas de acordo com o cronograma para os Jogos, e teriam ficado prontas a tempo se o megaevento não tivesse sido adiado. O Comitê Organizador está concentrado em como organizar o maior evento esportivo do mundo em meio a uma pandemia.

O Japão relatou, desde o início do surto de covid-19, mais de 96 mil casos de coronavírus e 1.700 mortes. Apesar de alguns picos da doença, o país teve relativo sucesso na condução do combate ao vírus.

No momento, turistas de 159 países estão proibidos de entrar no Japão, mas nas normas vigentes para a Olimpíada, essa proibição deve ser derrubada.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Centro Aquático é inaugurado em Tóquio para disputa dos Jogos Olímpicos em 2021


24/10/2020 | 15:10


A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, inaugurou neste sábado o Centro Aquático para os Jogos Olímpicos. O local deveria ter sido inaugurado oficialmente em 22 de março, mas o evento foi postergado devido à pandemia de covid-19. Dias depois, veio a confirmação de que a Olimpíada seria adiada para 2021.

O Centro Aquático estava pronto desde o fim de março, mas só agora foi possível realizar a cerimônia de abertura do complexo esportivo, mesmo que sem a presença de público.

A arena tem capacidade para comportar até 15 mil espectadores. No entanto, ainda não está definido se torcedores terão permissão para entrar nas instalações durante os Jogos de Tóquio, remarcados para julho do próximo ano.

O evento contou com a presença de centenas de funcionários e teve um tom de esperança. Koike fez questão de enfatizar que o Centro Aquático, construído com um investimento de US$ 523 milhões (aproximadamente R$ 3 bilhões) vai beneficiar não só os atletas olímpicos, como também os moradores de Tóquio.

A cerimônia foi seguida por exibições de mergulho e natação de atletas japoneses, incluindo a nadadora Rikako Ikee, cuja luta contra a leucemia foi vista como um reflexo da própria tentativa dos Jogos de ressurgir. "Aconteceram coisas inesperadas, como o adiamento, mas precisamos realizar os Jogos com sucesso", disse a governadora Koike.

Todas as instalações olímpicas de Tóquio foram construídas ou reformadas de acordo com o cronograma para os Jogos, e teriam ficado prontas a tempo se o megaevento não tivesse sido adiado. O Comitê Organizador está concentrado em como organizar o maior evento esportivo do mundo em meio a uma pandemia.

O Japão relatou, desde o início do surto de covid-19, mais de 96 mil casos de coronavírus e 1.700 mortes. Apesar de alguns picos da doença, o país teve relativo sucesso na condução do combate ao vírus.

No momento, turistas de 159 países estão proibidos de entrar no Japão, mas nas normas vigentes para a Olimpíada, essa proibição deve ser derrubada.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;