Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Desafio tempera a rivalidade sul-americana


Analy Cristofani
Da Redaçao

19/10/2000 | 01:22


Embora apenas um torneio de exibiçao, o Desafio de Tênis Brasil x Argentina, que começa nesta quinta no ginásio do Ibirapuera, tem todos os ingredientes para temperar a rivalidade entre os dois países. Nos confrontos diretos da Copa Davis, os argentinos levam vantagem e venceram cinco contra apenas duas disputas dos brasileiros. Os tenistas, no entanto, garantem que sao amigos e que isso só existe no futebol. "Lá (futebol) sim, com certeza, somos os melhores", cutuca o argentino Pablo Albano, que vai disputar apenas os jogos de duplas ao lado de Lucas Arnold.

O argentino naturalizado brasileiro, Fernando Meligeni, nao se mostra na corda-bamba. Fininho nao pensa duas vezes em responder a provocaçao de seu ex-compatriota. "Vai ser legal fazer eles correrem um pouquinho", brinca. Em clima de descontraçao, apenas o capitao da equipe brasileira, Ricardo Acioly, assume a rivalidade. "É uma briga normal. Sao todos amigos, mas aqui ninguém quer perder", confessa.

A disputa começa nesta quinta e prossegue até sábado, com transmissao ao vivo pela TV Record. O Desafio foi feito nos mesmos moldes da Copa Davis, com quatro partidas de simples e uma de duplas. A rodada desta noite será aberta às 19h, entre Meligeni (90º na Corrida dos Campeoes) e Franco Squillari (13º). O jogo de fundo, durante todo o torneio, será de Gustavo Kuerten (1º), que faz sua primeira partida contra Gaston Gaudio (30º), que está substituindo a Mariano Puerta, contundido. Amanha jogam Guga e Jaime Oncins contra Arnold e Albano e, no sábado, Meligeni x Gaudio e Guga x Squillari. A equipe do Brasil conta ainda com Alexandre Simoni, que fica na reserva.

"É legal a oportunidade de todo mundo ver que existe o tênis e a gente, principalmente a gurizada que está começando a se interessar pelo esporte. O brasileiro tem uma paixao maior pelo esporte, vibra mais, sente bastante as partidas. Hoje, o tênis está crescendo em disparada e a gente torce para que nao pare por aqui e cresça cada vez mais".

Além dos jogos do Desafio, o evento vai contar com outras atraçoes. Uma delas é a partida entre os dois melhores tenistas juvenis de cada país, que acontece amanha. Bruno Soares (20º colocado no ranking mundial da Associaçao dos Tenistas Profissionais) enfrenta Christian Villagran (17º). Outra exibiçao será de atletas de cadeira de rodas, jogo que será disputado em duplas. Também sexta, todos os tenistas participantes fazem clínica na escolinha de tênis do Banco do Brasil. Ao todo serao 200 alunos, orientados pela coordenadora Andréa Vieira, que vao bater bola com os ídolos.

Os ingressos para o Desafio já estao à venda, das 8h às 18h, na bilheteria do Ibirapuera (rua Manoel da Nóbrega s/n) e nas lojas World Tennis. Os preços para as arquibancadas sao R$ 20; cadeira superior R$ 35 e cadeira inferior R$ 50. Estudantes pagam meia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Desafio tempera a rivalidade sul-americana

Analy Cristofani
Da Redaçao

19/10/2000 | 01:22


Embora apenas um torneio de exibiçao, o Desafio de Tênis Brasil x Argentina, que começa nesta quinta no ginásio do Ibirapuera, tem todos os ingredientes para temperar a rivalidade entre os dois países. Nos confrontos diretos da Copa Davis, os argentinos levam vantagem e venceram cinco contra apenas duas disputas dos brasileiros. Os tenistas, no entanto, garantem que sao amigos e que isso só existe no futebol. "Lá (futebol) sim, com certeza, somos os melhores", cutuca o argentino Pablo Albano, que vai disputar apenas os jogos de duplas ao lado de Lucas Arnold.

O argentino naturalizado brasileiro, Fernando Meligeni, nao se mostra na corda-bamba. Fininho nao pensa duas vezes em responder a provocaçao de seu ex-compatriota. "Vai ser legal fazer eles correrem um pouquinho", brinca. Em clima de descontraçao, apenas o capitao da equipe brasileira, Ricardo Acioly, assume a rivalidade. "É uma briga normal. Sao todos amigos, mas aqui ninguém quer perder", confessa.

A disputa começa nesta quinta e prossegue até sábado, com transmissao ao vivo pela TV Record. O Desafio foi feito nos mesmos moldes da Copa Davis, com quatro partidas de simples e uma de duplas. A rodada desta noite será aberta às 19h, entre Meligeni (90º na Corrida dos Campeoes) e Franco Squillari (13º). O jogo de fundo, durante todo o torneio, será de Gustavo Kuerten (1º), que faz sua primeira partida contra Gaston Gaudio (30º), que está substituindo a Mariano Puerta, contundido. Amanha jogam Guga e Jaime Oncins contra Arnold e Albano e, no sábado, Meligeni x Gaudio e Guga x Squillari. A equipe do Brasil conta ainda com Alexandre Simoni, que fica na reserva.

"É legal a oportunidade de todo mundo ver que existe o tênis e a gente, principalmente a gurizada que está começando a se interessar pelo esporte. O brasileiro tem uma paixao maior pelo esporte, vibra mais, sente bastante as partidas. Hoje, o tênis está crescendo em disparada e a gente torce para que nao pare por aqui e cresça cada vez mais".

Além dos jogos do Desafio, o evento vai contar com outras atraçoes. Uma delas é a partida entre os dois melhores tenistas juvenis de cada país, que acontece amanha. Bruno Soares (20º colocado no ranking mundial da Associaçao dos Tenistas Profissionais) enfrenta Christian Villagran (17º). Outra exibiçao será de atletas de cadeira de rodas, jogo que será disputado em duplas. Também sexta, todos os tenistas participantes fazem clínica na escolinha de tênis do Banco do Brasil. Ao todo serao 200 alunos, orientados pela coordenadora Andréa Vieira, que vao bater bola com os ídolos.

Os ingressos para o Desafio já estao à venda, das 8h às 18h, na bilheteria do Ibirapuera (rua Manoel da Nóbrega s/n) e nas lojas World Tennis. Os preços para as arquibancadas sao R$ 20; cadeira superior R$ 35 e cadeira inferior R$ 50. Estudantes pagam meia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;