Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Em sabatina, Kassio Nunes Marques evita prisão em 2ª instância e inquérito das fake news

Marcos Oliveira/Agência Senado Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


21/10/2020 | 15:37


Durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado na manhã desta quarta, 21, o desembargador Kassio Nunes Marques evitou se posicionar diretamente sobre a prisão após condenação em segunda instância e o inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga fake news contra integrantes da corte.

Quando perguntado sobre segunda instância, Marques afirmou que o tema agora está com o Congresso Nacional. A possibilidade de prisão após condenação em segundo grau foi derrubada recentemente no Supremo Tribunal Federal (STF). O Legislativo discute uma revisão na lei, mas há resistência de líderes políticos.

O magistrado declarou que somente se posicionaria concretamente sobre o tema se fosse convidado para uma audiência específica sobre o assunto. Em relação às prisões, ele disse ser necessário que as detenções decididas pela Justiça tenham decisão fundamentada. O magistrado defendeu, por exemplo, diferenciar casos de agressão de acusados sem antecedentes criminais.

O inquérito das fake news, por sua vez, fez parte de uma pergunta do senador Lasier Martins (Pode-RS), que emendou outros questionamentos na fala. O magistrado, porém, deixou sem resposta seu posicionamento sobre o processo.

Como integrante do Tribunal Regional Federal da 1ª Região e indicado para o Supremo, Marques afirmou que não poderia descumprir regras internas e comentar sobre processos em andamento na Justiça, sobre os quais pode ser responsável por julgar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em sabatina, Kassio Nunes Marques evita prisão em 2ª instância e inquérito das fake news


21/10/2020 | 15:37


Durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado na manhã desta quarta, 21, o desembargador Kassio Nunes Marques evitou se posicionar diretamente sobre a prisão após condenação em segunda instância e o inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga fake news contra integrantes da corte.

Quando perguntado sobre segunda instância, Marques afirmou que o tema agora está com o Congresso Nacional. A possibilidade de prisão após condenação em segundo grau foi derrubada recentemente no Supremo Tribunal Federal (STF). O Legislativo discute uma revisão na lei, mas há resistência de líderes políticos.

O magistrado declarou que somente se posicionaria concretamente sobre o tema se fosse convidado para uma audiência específica sobre o assunto. Em relação às prisões, ele disse ser necessário que as detenções decididas pela Justiça tenham decisão fundamentada. O magistrado defendeu, por exemplo, diferenciar casos de agressão de acusados sem antecedentes criminais.

O inquérito das fake news, por sua vez, fez parte de uma pergunta do senador Lasier Martins (Pode-RS), que emendou outros questionamentos na fala. O magistrado, porém, deixou sem resposta seu posicionamento sobre o processo.

Como integrante do Tribunal Regional Federal da 1ª Região e indicado para o Supremo, Marques afirmou que não poderia descumprir regras internas e comentar sobre processos em andamento na Justiça, sobre os quais pode ser responsável por julgar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;