Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Brasil tem prioridade no recebimento de vacina russa, diz fundo financiador



19/10/2020 | 12:33


O Brasil é o país "absolutamente prioritário" para recebimento da vacina russa contra a covid-19, a Sputinik V, afirmou nesta segunda-feira, 19, Kirill Dmitriev, CEO do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, na sigla em inglês), que financiou os estudos do imunizante.

A Sputinik V deve começar a ser distribuída em caráter preliminar no País em dezembro de 2020, segundo Dmitriev, com aplicação em massa nos primeiros meses de 2021. Em pronunciamento voltado à América Latina, o CEO do RDIF apontou que a vacina experimental está em fase de realização de estágios clínicos no Brasil, mas que espera aprovação "em breve". "A vacina provou 100% de eficácia", garantiu Dmitriev. "Uma pequena porcentagem de pessoas pode ter febre, mas até agora não tivemos complicações graves", acrescentou.

Brasil, Índia, China e Coreia do Sul são os países em que o RDIF espera produção em grande escala. México e Venezuela foram citados como outros parceiros na região, e Argentina e Peru, como alvos de possíveis expansões.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Brasil tem prioridade no recebimento de vacina russa, diz fundo financiador


19/10/2020 | 12:33


O Brasil é o país "absolutamente prioritário" para recebimento da vacina russa contra a covid-19, a Sputinik V, afirmou nesta segunda-feira, 19, Kirill Dmitriev, CEO do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, na sigla em inglês), que financiou os estudos do imunizante.

A Sputinik V deve começar a ser distribuída em caráter preliminar no País em dezembro de 2020, segundo Dmitriev, com aplicação em massa nos primeiros meses de 2021. Em pronunciamento voltado à América Latina, o CEO do RDIF apontou que a vacina experimental está em fase de realização de estágios clínicos no Brasil, mas que espera aprovação "em breve". "A vacina provou 100% de eficácia", garantiu Dmitriev. "Uma pequena porcentagem de pessoas pode ter febre, mas até agora não tivemos complicações graves", acrescentou.

Brasil, Índia, China e Coreia do Sul são os países em que o RDIF espera produção em grande escala. México e Venezuela foram citados como outros parceiros na região, e Argentina e Peru, como alvos de possíveis expansões.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;