Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 14 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

São Caetano descarta retomar aulas presenciais da educação infantil e do fundamental 1 em 2020

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Decisão sobre ensinos fundamental 2 e médio será anunciada no fim de outubro ou começo de novembro


Do Diário do Grande ABC

13/10/2020 | 19:58


A Prefeitura de São Caetano anunciou, nesta terça-feira (13), que as aulas presenciais não serão retomadas mais neste ano na rede municipal, pelo menos para as turmas da educação infantil e do ensino fundamental 1 (1º ao 5º ano).

“As atividades continuam remotas e só voltarão quando tiver segurança. Para ensinos fundamental 2 e médio, no fim de outubro ou começo de novembro, com a sequência do inquérito epidemiológico, vamos nos manifestar sobre a retomada ou não”, disse Fabrício Coutinho, secretário de Educação da cidade.

As aulas em Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra também não voltam em 2021. Das sete cidades do Grande ABC, apenas São Bernardo e Diadema ainda não se pronunciaram.

INQUÉRITO

O inquérito epidemiológico realizado na comunidade escolar pela Prefeitura de São Caetano, em parceria com o Inpes/USCS (Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano do Sul), com amostra de estudantes e funcionários do Ensino Infantil ao Superior, estimou a quantidade de pessoas infectadas pelo coronavírus. O relatório apontou baixa prevalência tanto entre os estudantes, que variou de 1,9% no Ensino Superior a 6,7% no Infantil, quanto entre funcionários, que ficou em torno de 4,4%. A amostra composta por 1.624 estudantes e 521 funcionários, representativos de uma população de 27.038 estudantes e 5.038 funcionários, foi aleatoriamente selecionada por nível de ensino: Infantil, Fundamental I, Fundamental II, Médio e Superior.

“São Caetano é uma das primeiras cidades a estudar e apresentar resultados com a comunidade escolar. Hoje sabemos que a prevalência em escolares está muito próxima ao relatado nos inquéritos populacionais realizados no município, nos quais os valores são inferiores a 7%”, explicou a Secretária de Saúde, Regina Maura Zetone. Estudo semelhante divulgado pela Prefeitura de São Paulo, em setembro, apontou que, entre os paulistanos, esse percentual é de 18,4%.

A pesquisa apontou que a falta de sintomas está mais presente nas crianças menores de 10 anos. Apenas 12% das crianças do Ensino Infantil e nenhuma do Fundamental I, com resultado reagente, relataram saber da infecção antes do exame. Outro dado apontado na pesquisa foi a proporção de estudantes em grupo de risco, que é baixa até o Ensino Médio (menos de 3,1%). Entretanto, verificou-se que entre 10 e 22% deles tem contato frequentemente com pessoas em grupo de risco.

PESQUISA

Há uma semana, o Paço, por meio da Seeduc (Secretaria Municipal de Educação), realizou nova pesquisa de opinião com os pais ou responsáveis dos alunos matriculados na rede municipal acerca da possibilidade de retorno às aulas presenciais em 2020.  Dentre os pais de alunos da Educação Infantil, 70,8% disseram que não enviariam seus filhos para a escola em 2020. Essa porcentagem sobre para 79,8% entre os pais de alunos do Ensino Fundamental, Médio, EPT (Educação Profissional e Técnica) e EJA (Educação de Jovens e Adultos).

No total, 77% responderam que não enviariam seu filho para a escola em 2020, caso as aulas presenciais retornassem ainda este ano.  Participaram da pesquisa 12.895 pais ou responsáveis, que representam cerca de 60% do número total de matriculados.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

São Caetano descarta retomar aulas presenciais da educação infantil e do fundamental 1 em 2020

Decisão sobre ensinos fundamental 2 e médio será anunciada no fim de outubro ou começo de novembro

Do Diário do Grande ABC

13/10/2020 | 19:58


A Prefeitura de São Caetano anunciou, nesta terça-feira (13), que as aulas presenciais não serão retomadas mais neste ano na rede municipal, pelo menos para as turmas da educação infantil e do ensino fundamental 1 (1º ao 5º ano).

“As atividades continuam remotas e só voltarão quando tiver segurança. Para ensinos fundamental 2 e médio, no fim de outubro ou começo de novembro, com a sequência do inquérito epidemiológico, vamos nos manifestar sobre a retomada ou não”, disse Fabrício Coutinho, secretário de Educação da cidade.

As aulas em Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra também não voltam em 2021. Das sete cidades do Grande ABC, apenas São Bernardo e Diadema ainda não se pronunciaram.

INQUÉRITO

O inquérito epidemiológico realizado na comunidade escolar pela Prefeitura de São Caetano, em parceria com o Inpes/USCS (Instituto de Pesquisa da Universidade Municipal de São Caetano do Sul), com amostra de estudantes e funcionários do Ensino Infantil ao Superior, estimou a quantidade de pessoas infectadas pelo coronavírus. O relatório apontou baixa prevalência tanto entre os estudantes, que variou de 1,9% no Ensino Superior a 6,7% no Infantil, quanto entre funcionários, que ficou em torno de 4,4%. A amostra composta por 1.624 estudantes e 521 funcionários, representativos de uma população de 27.038 estudantes e 5.038 funcionários, foi aleatoriamente selecionada por nível de ensino: Infantil, Fundamental I, Fundamental II, Médio e Superior.

“São Caetano é uma das primeiras cidades a estudar e apresentar resultados com a comunidade escolar. Hoje sabemos que a prevalência em escolares está muito próxima ao relatado nos inquéritos populacionais realizados no município, nos quais os valores são inferiores a 7%”, explicou a Secretária de Saúde, Regina Maura Zetone. Estudo semelhante divulgado pela Prefeitura de São Paulo, em setembro, apontou que, entre os paulistanos, esse percentual é de 18,4%.

A pesquisa apontou que a falta de sintomas está mais presente nas crianças menores de 10 anos. Apenas 12% das crianças do Ensino Infantil e nenhuma do Fundamental I, com resultado reagente, relataram saber da infecção antes do exame. Outro dado apontado na pesquisa foi a proporção de estudantes em grupo de risco, que é baixa até o Ensino Médio (menos de 3,1%). Entretanto, verificou-se que entre 10 e 22% deles tem contato frequentemente com pessoas em grupo de risco.

PESQUISA

Há uma semana, o Paço, por meio da Seeduc (Secretaria Municipal de Educação), realizou nova pesquisa de opinião com os pais ou responsáveis dos alunos matriculados na rede municipal acerca da possibilidade de retorno às aulas presenciais em 2020.  Dentre os pais de alunos da Educação Infantil, 70,8% disseram que não enviariam seus filhos para a escola em 2020. Essa porcentagem sobre para 79,8% entre os pais de alunos do Ensino Fundamental, Médio, EPT (Educação Profissional e Técnica) e EJA (Educação de Jovens e Adultos).

No total, 77% responderam que não enviariam seu filho para a escola em 2020, caso as aulas presenciais retornassem ainda este ano.  Participaram da pesquisa 12.895 pais ou responsáveis, que representam cerca de 60% do número total de matriculados.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;