Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Fittipaldi promete pagar todas as dívidas e critica notícias: 'Foi diabólico'



04/10/2020 | 04:30


Enquanto acompanha o filho Emmo pelas competições de kart na Europa, Emerson Fittipaldi diz seguir de perto a difícil situação financeira que vive. Em entrevista ao Estadão, o bicampeão mundial de Fórmula 1 afirmou que vai "liquidar tudo" e diz estar trabalhando para isso. Ao mesmo tempo, criticou a publicação recente de notícias sobre suas dívidas.

No mês passado, o banco Safra disse à Justiça que Fittipaldi estaria escondendo seu patrimônio através de fraudes e empresas de fachada para não saldar o que deve. A instituição financeira cobra R$ 776,4 mil do ex-piloto, segundo o jornal Folha de S. Paulo.

Na entrevista, o ídolo do automobilismo nacional diz ser vítima de notícias que buscam apenas audiência. "Primeiro, nunca escondi nenhum patrimônio. Já paguei muita dívida de volta e estou pagando e vou liquidar tudo. Os caras inventaram esse negócio, me deixou com uma imagem péssima, foi algo diabólico, e que não tem nada a ver com a realidade. Infelizmente, usaram a minha imagem para ter audiência e estão destruindo a minha imagem", disse Fittipaldi.

"Não falaram com ninguém da minha equipe, ninguém me ligou. Só me detonaram. São irresponsáveis. O que posso fazer? A verdade sempre vai vencer, sempre vai vir à tona, é uma questão de tempo. Estou muito tranquilo", completou.

O ex-piloto revelou que está usando o próprio patrimônio para quitar suas dívidas. "Vou pagar os credores no Brasil. Já paguei alguns em dinheiro mesmo. E estou pagando também com o meu patrimônio."

Questionado sobre o valor atual da dívida, Fittipaldi se esquivou. "Acho que não é o momento de falar. Vou liquidar tudo, não tenho medo. Estou trabalhando muito", declarou. "O pessoal que rouba o governo brasileiro e faz tramoia leva o dinheiro para fora. Eu ganhei dinheiro honestamente trabalhando lá fora e levei dinheiro para o Brasil."

Ele admitiu que suas dívidas surgiram na época em que investiu em etanol. "Investi no programa que o governo tinha feito de usina de etanol e foi onde perdi muito dinheiro, assim como grandes grupos internacionais. E eu entrei numa usina lá no Mato Grosso do Sul. Foi a minha grande dificuldade. E o que o governo tinha prometido, não cumpriu. Entrei em banco para pegar empréstimo e na época os juros eram um absurdo e foi absorvendo (meus recursos) aos poucos."



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;