Fechar
Publicidade

Domingo, 7 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Atila dá pontapé inicial no pleito à reeleição em Mauá com aglomeração

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sem limitação de participantes, evento reuniu cerca de 1.500 pessoas na Arena 40


Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

04/10/2020 | 07:00


Em evento ontem de lançamento de sua candidatura à reeleição, o prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), reiterou o discurso de resgate da cidade e de superação vivenciada nos últimos três anos após processo de prisões e cassação do cargo – revertida na Justiça. O ato, contudo, ficou marcado por grande aglomeração de pessoas, em desrespeito aos protocolos às normas sanitárias para evitar a proliferação do coronavírus. A atividade, no espaço denominado Arena 40 em referência à sigla, reuniu cerca de 1.500 pessoas.

A organização do encontro efetivou barreira com medição de temperatura, disponibilização de álcool em gel e obrigatoriedade de máscara na entrada do local, só que não estabeleceu limitação ao número de participantes. O resultado foi a lotação do espaço, sem qualquer distanciamento físico.

Atila minimizou a situação ao sustentar que Mauá é a segunda cidade em protocolo de Covid-19. “Todos os protocolos foram cumpridos. Qual cidade testou 35 mil pessoas da linha de exposição no Grande ABC? Qual município no Brasil tinha hospital de campanha de porta aberta? Qual o prefeito que saiu de porta a porta, esqueceu as lives e foi para as ruas entregar máscaras (de proteção). O que aconteceu aqui hoje foi a emoção de um povo, povo de coragem. Aqui não tem medo, mas há consciência. Estamos aqui movidos pela emoção”, disse o socialista, questionado sobre o acúmulo de pessoas.

O prefeito alegou, ao Diário, que “ninguém pode ser julgado pela emoção”, utilizando trechos de passagens bíblicas para amparar a declaração. “Jesus levou a emoção no coração do povo para que o seguissem na trajetória até chegar em Belém (Jerusalém). A mesma coisa a emoção que Moisés ficou por 40 anos (no deserto) para levar o povo à terra prometida. Como podemos julgar alguém? Sensacionalismo a essa hora não cabe aqui. O que cabe é a emoção do povo”, pontuou Atila, que ao fim do discurso no palco se jogou no meio da multidão e foi erguido nos ombros por apoiadores.

O socialista tem seis partidos na coligação – além do PSB, PL, Patriota, Avante, PCdoB e Solidariedade. Escolheu como vice o aliado de primeira hora Israel Aleixo, o Bell (PSB). Atila falou em confiança na vitória e que a eleição “começou a nascer quando estávamos atravessando o deserto”, em alusão ao período em que ficou detido e, posteriormente, com o impeachment. “A cidade sofreu comigo aqueles momentos de escuridão, mas nunca perdi a minha fé. Não tenho vergonha de nada. A cidade entendeu que o Atila sofreu foi grande golpe. A busca pelo poder por ganância não para em pé. Agora, se a busca pelo poder é pelo povo, permanece. Voltei nos braços do povo.”

Indagado em relação a quem considera o principal rival na disputa – são 11 registrados no total –, Atila sustentou que “o medo é o principal adversário”. “Mauá não quer de volta o passado e todos representam o passado”, sintetizou. Sobre os planos pós-Covid para eventual segundo mandato, ele frisou o projeto de implantação do Poupatempo da Saúde, entrega logo no primeiro mês de 2021 da nova maternidade, no Hospital Nardini, e briga para “acabar com o monopólio” do transporte público.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Atila dá pontapé inicial no pleito à reeleição em Mauá com aglomeração

Sem limitação de participantes, evento reuniu cerca de 1.500 pessoas na Arena 40

Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

04/10/2020 | 07:00


Em evento ontem de lançamento de sua candidatura à reeleição, o prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), reiterou o discurso de resgate da cidade e de superação vivenciada nos últimos três anos após processo de prisões e cassação do cargo – revertida na Justiça. O ato, contudo, ficou marcado por grande aglomeração de pessoas, em desrespeito aos protocolos às normas sanitárias para evitar a proliferação do coronavírus. A atividade, no espaço denominado Arena 40 em referência à sigla, reuniu cerca de 1.500 pessoas.

A organização do encontro efetivou barreira com medição de temperatura, disponibilização de álcool em gel e obrigatoriedade de máscara na entrada do local, só que não estabeleceu limitação ao número de participantes. O resultado foi a lotação do espaço, sem qualquer distanciamento físico.

Atila minimizou a situação ao sustentar que Mauá é a segunda cidade em protocolo de Covid-19. “Todos os protocolos foram cumpridos. Qual cidade testou 35 mil pessoas da linha de exposição no Grande ABC? Qual município no Brasil tinha hospital de campanha de porta aberta? Qual o prefeito que saiu de porta a porta, esqueceu as lives e foi para as ruas entregar máscaras (de proteção). O que aconteceu aqui hoje foi a emoção de um povo, povo de coragem. Aqui não tem medo, mas há consciência. Estamos aqui movidos pela emoção”, disse o socialista, questionado sobre o acúmulo de pessoas.

O prefeito alegou, ao Diário, que “ninguém pode ser julgado pela emoção”, utilizando trechos de passagens bíblicas para amparar a declaração. “Jesus levou a emoção no coração do povo para que o seguissem na trajetória até chegar em Belém (Jerusalém). A mesma coisa a emoção que Moisés ficou por 40 anos (no deserto) para levar o povo à terra prometida. Como podemos julgar alguém? Sensacionalismo a essa hora não cabe aqui. O que cabe é a emoção do povo”, pontuou Atila, que ao fim do discurso no palco se jogou no meio da multidão e foi erguido nos ombros por apoiadores.

O socialista tem seis partidos na coligação – além do PSB, PL, Patriota, Avante, PCdoB e Solidariedade. Escolheu como vice o aliado de primeira hora Israel Aleixo, o Bell (PSB). Atila falou em confiança na vitória e que a eleição “começou a nascer quando estávamos atravessando o deserto”, em alusão ao período em que ficou detido e, posteriormente, com o impeachment. “A cidade sofreu comigo aqueles momentos de escuridão, mas nunca perdi a minha fé. Não tenho vergonha de nada. A cidade entendeu que o Atila sofreu foi grande golpe. A busca pelo poder por ganância não para em pé. Agora, se a busca pelo poder é pelo povo, permanece. Voltei nos braços do povo.”

Indagado em relação a quem considera o principal rival na disputa – são 11 registrados no total –, Atila sustentou que “o medo é o principal adversário”. “Mauá não quer de volta o passado e todos representam o passado”, sintetizou. Sobre os planos pós-Covid para eventual segundo mandato, ele frisou o projeto de implantação do Poupatempo da Saúde, entrega logo no primeiro mês de 2021 da nova maternidade, no Hospital Nardini, e briga para “acabar com o monopólio” do transporte público.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;