Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Marinho: suplementação do Renda Cidadã permite que governo tenha força política



29/09/2020 | 19:45


O Ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Rogério Marinho, falou abertamente nesta terça-feira, 29, sobre a estratégia do governo de Jair Bolsonaro de fazer concessões a parlamentares e elevar a distribuição de renda via programas sociais com o objetivo de construir base de apoio e emplacar pautas que considera prioritárias.

Marinho afirmou que o aumento dos gastos com o programa Renda Cidadã (novo nome do Bolsa Família) em estudo pelo governo federal dará a "força política" necessária ao presidente Jair Bolsonaro para levar adiante as pautas que considera prioritárias para o País.

"A suplementação do Renda Cidadã vai permitir que o governo tenha força política para permitir que siga com as mudanças estruturais mais importantes", declarou há pouco Marinho, durante painel organizado pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

O ministro disse que é óbvio que "qualquer governo popular consegue fazer as mudanças necessárias, mesmo as mais difíceis", enquanto os governos que não têm "sinergia com o eleitor" enfrentam dificuldades.

O mesmo acontece com governos que não dão "conforto ao deputado e ao senador para votar pautas aparentemente desconfortáveis mas significam o crescimento do País", argumentou.

Ele ainda ponderou que parlamentares de quaisquer países ficam em zonas de conforto e precisam que o Poder Executivo tome à frente de mobilizações para votação de temas sensíveis, como novos marcos legais, combate ao corporativismo e definição de investimentos prioritários.

O ministro classificou ainda a popularidade do presidente Jair Bolsonaro como 'crescente" e em fase de consolidação. "Internamente, temos tido algumas dificuldades de avançar. Mas houve mudança extraordinária no governo nos últimos três meses. Tivemos a construção de base de apoio dentro do parlamento", destacou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Marinho: suplementação do Renda Cidadã permite que governo tenha força política


29/09/2020 | 19:45


O Ministro do Desenvolvimento Regional (MDR), Rogério Marinho, falou abertamente nesta terça-feira, 29, sobre a estratégia do governo de Jair Bolsonaro de fazer concessões a parlamentares e elevar a distribuição de renda via programas sociais com o objetivo de construir base de apoio e emplacar pautas que considera prioritárias.

Marinho afirmou que o aumento dos gastos com o programa Renda Cidadã (novo nome do Bolsa Família) em estudo pelo governo federal dará a "força política" necessária ao presidente Jair Bolsonaro para levar adiante as pautas que considera prioritárias para o País.

"A suplementação do Renda Cidadã vai permitir que o governo tenha força política para permitir que siga com as mudanças estruturais mais importantes", declarou há pouco Marinho, durante painel organizado pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

O ministro disse que é óbvio que "qualquer governo popular consegue fazer as mudanças necessárias, mesmo as mais difíceis", enquanto os governos que não têm "sinergia com o eleitor" enfrentam dificuldades.

O mesmo acontece com governos que não dão "conforto ao deputado e ao senador para votar pautas aparentemente desconfortáveis mas significam o crescimento do País", argumentou.

Ele ainda ponderou que parlamentares de quaisquer países ficam em zonas de conforto e precisam que o Poder Executivo tome à frente de mobilizações para votação de temas sensíveis, como novos marcos legais, combate ao corporativismo e definição de investimentos prioritários.

O ministro classificou ainda a popularidade do presidente Jair Bolsonaro como 'crescente" e em fase de consolidação. "Internamente, temos tido algumas dificuldades de avançar. Mas houve mudança extraordinária no governo nos últimos três meses. Tivemos a construção de base de apoio dentro do parlamento", destacou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;