Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

O colunista social vai ao Star


Ademir Médici

28/09/2020 | 07:34


Hoje é o Dia do Colunista Social do Grande ABC, uma homenagem prestada ao jornalista Chiquinho Palmério, em 1977, pelos clubes de serviço da região. Chiquinho era o titular da página social do Diário e já tinha recebido um prêmio ainda mais significativo: permanente para cortar o cabelo no salão de Carlos Wagner Stoppa.

Mineiro de Uberaba, Chiquinho nasceu em 28 de setembro de 1943. Carlos Wagner Stoppa nasceu em Santo André em 6 de dezembro de 1948.

Chiquinho trouxe a modernidade ao colunismo social do Grande ABC. Carlos, cabeleireiro, está na profissão há 57 anos. Um dia, já estabelecido com o seu salão próprio – o Star Cabeleireiros – foi notícia aqui no Diário, na coluna do Chiquinho. Ficou tão feliz que nunca mais cobrou para cortar o cabelo do jornalista.

Chiquinho recebeu a gentileza como reconhecimento ao seu trabalho e ao Diário. Os quatro diretores fundadores do jornal, Edson Dotto, Fausto Polesi, Maury Dotto e Angelo Puga, eram clientes do Star.

– Hoje divido a cadeira que foi do senhor Fausto – comenta Chiquinho, que, a pedido da Memória, permitiu ser fotografado ao lado de Carlos Stoppa no último corte, uma semana atrás, sob o clique de Carla Loureiro Stoppa, filha do cabeleireiro.

HISTÓRIA DE VIDA
Carlos Stoppa foi engraxate no salão de Evaristo Maximiano (irmão do ex-vereador Belarmino Maximiano) e de Lavinio Frealdo, num salão da Vila Humaitá. Ali aprendeu a profissão de barbeiro.

– A primeira barba que fiz foi a do senhor Mário, pai do Lavinio, em 3 de janeiro de 1963. Trabalhei no salão até 1968.

O emprego seguinte de Carlos Stoppa foi no Salão Itamarati, na Rua Bernardino de Campos, 153, 1º andar, de Ermelindo Agnello e Irineu.

Em 1973, Carlos abre o Star Cabeleireiros, em sociedade com Nilson e Nilo. Hoje é sócio único e entre seus clientes estão o ex-deputado Duílio Pisaneschi, Aladino Pisaneschi, Afonso Dias (pai de Sandro Dias, o Mineirinho, skatista campeão mundial, andreense como ele). Clodoaldo, o ex-volante do Santos FC, campeão mundial com o Brasil em 1970, subia a serra para frequentar o Star.

Muitos engraxates que trabalhavam no salão hoje são cabeleireiros e têm seus próprios salões, nos bairros, nas cidades vizinhas.

– É legal ser cabeleireiro? – perguntamos.

– É excelente. Sinto-me muito feliz. Em todas as profissões isto é possível, desde que você goste do que faz – responde Carlos.

Sendo assim: felicidades, Chiquinho! Que por muitos anos mais você possa frequentar o Star, sentando na cadeira onde sentou o doutor Fausto, sempre pelas mãos mágicas do Carlos cabeleireiro.

O testemunho dos Benvenga
Texto: Antonio de Andrade
Neste trabalho sobre a história da TV, registramos o depoimento de dois irmãos gêmeos, Ronaldo e Miguel Benvenga. Eles testemunharam a chegada das imagens da televisão em Santo André.

Do depoimento de Ronaldo Benvenga:
Eu e o Miguel ficamos sabendo que na loja do Sr. Castro, no Centro (Cemes Radio Técnica), tinha uma televisão funcionando.

Fomos lá num fim de tarde e tinha muita gente olhando para um aparelho colocado em cima de uma pequena plataforma e que estava ligado a uma antena de arame improvisada pelo proprietário.

Do depoimento de Miguel Benvenga:

Ficava muita gente na frente da loja, às vezes tinham até que isolar o trânsito perto. O sinal que chegava não era dos melhores, mas dava para ver desenhos e filmes curtos.

Lembro de ter visto dois apresentadores, Rui Rezende e Paulo Salomão, lendo notícias.

Uma coisa que ficou marcada na minha memória foi um pequeno documentário sobre o famoso jogador de beisebol norte-americano Babe Ruth (continua).

Em 28 de setembro de...
1956 – Inaugurada a unidade da Mercedes-Benz do Brasil, em São Bernardo, na Vila Paulicéia, onde permanece.
1985 – Alvarenga e Jardim Laura, bairros de São Bernardo, recebem rede de água.
Definido o vale-transporte em Mauá.
Centralizado o serviço odontológico em Ribeirão Pires.
Escola Estadual Professor José Prado Silveira, do bairro Sacadura Cabral, em Santo André, lança o seu primeiro jornal, O Pradinho.

Hoje
Dia do Hidrógrafo
Dia da Lei do Sexagenário
Dia da Lei do Ventre Livre (sancionada em 28-9-1871)

Santos do dia
Lourenço Ruiz
Júlia Eustóquio ou Eustóquia 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O colunista social vai ao Star

Ademir Médici

28/09/2020 | 07:34


Hoje é o Dia do Colunista Social do Grande ABC, uma homenagem prestada ao jornalista Chiquinho Palmério, em 1977, pelos clubes de serviço da região. Chiquinho era o titular da página social do Diário e já tinha recebido um prêmio ainda mais significativo: permanente para cortar o cabelo no salão de Carlos Wagner Stoppa.

Mineiro de Uberaba, Chiquinho nasceu em 28 de setembro de 1943. Carlos Wagner Stoppa nasceu em Santo André em 6 de dezembro de 1948.

Chiquinho trouxe a modernidade ao colunismo social do Grande ABC. Carlos, cabeleireiro, está na profissão há 57 anos. Um dia, já estabelecido com o seu salão próprio – o Star Cabeleireiros – foi notícia aqui no Diário, na coluna do Chiquinho. Ficou tão feliz que nunca mais cobrou para cortar o cabelo do jornalista.

Chiquinho recebeu a gentileza como reconhecimento ao seu trabalho e ao Diário. Os quatro diretores fundadores do jornal, Edson Dotto, Fausto Polesi, Maury Dotto e Angelo Puga, eram clientes do Star.

– Hoje divido a cadeira que foi do senhor Fausto – comenta Chiquinho, que, a pedido da Memória, permitiu ser fotografado ao lado de Carlos Stoppa no último corte, uma semana atrás, sob o clique de Carla Loureiro Stoppa, filha do cabeleireiro.

HISTÓRIA DE VIDA
Carlos Stoppa foi engraxate no salão de Evaristo Maximiano (irmão do ex-vereador Belarmino Maximiano) e de Lavinio Frealdo, num salão da Vila Humaitá. Ali aprendeu a profissão de barbeiro.

– A primeira barba que fiz foi a do senhor Mário, pai do Lavinio, em 3 de janeiro de 1963. Trabalhei no salão até 1968.

O emprego seguinte de Carlos Stoppa foi no Salão Itamarati, na Rua Bernardino de Campos, 153, 1º andar, de Ermelindo Agnello e Irineu.

Em 1973, Carlos abre o Star Cabeleireiros, em sociedade com Nilson e Nilo. Hoje é sócio único e entre seus clientes estão o ex-deputado Duílio Pisaneschi, Aladino Pisaneschi, Afonso Dias (pai de Sandro Dias, o Mineirinho, skatista campeão mundial, andreense como ele). Clodoaldo, o ex-volante do Santos FC, campeão mundial com o Brasil em 1970, subia a serra para frequentar o Star.

Muitos engraxates que trabalhavam no salão hoje são cabeleireiros e têm seus próprios salões, nos bairros, nas cidades vizinhas.

– É legal ser cabeleireiro? – perguntamos.

– É excelente. Sinto-me muito feliz. Em todas as profissões isto é possível, desde que você goste do que faz – responde Carlos.

Sendo assim: felicidades, Chiquinho! Que por muitos anos mais você possa frequentar o Star, sentando na cadeira onde sentou o doutor Fausto, sempre pelas mãos mágicas do Carlos cabeleireiro.

O testemunho dos Benvenga
Texto: Antonio de Andrade
Neste trabalho sobre a história da TV, registramos o depoimento de dois irmãos gêmeos, Ronaldo e Miguel Benvenga. Eles testemunharam a chegada das imagens da televisão em Santo André.

Do depoimento de Ronaldo Benvenga:
Eu e o Miguel ficamos sabendo que na loja do Sr. Castro, no Centro (Cemes Radio Técnica), tinha uma televisão funcionando.

Fomos lá num fim de tarde e tinha muita gente olhando para um aparelho colocado em cima de uma pequena plataforma e que estava ligado a uma antena de arame improvisada pelo proprietário.

Do depoimento de Miguel Benvenga:

Ficava muita gente na frente da loja, às vezes tinham até que isolar o trânsito perto. O sinal que chegava não era dos melhores, mas dava para ver desenhos e filmes curtos.

Lembro de ter visto dois apresentadores, Rui Rezende e Paulo Salomão, lendo notícias.

Uma coisa que ficou marcada na minha memória foi um pequeno documentário sobre o famoso jogador de beisebol norte-americano Babe Ruth (continua).

Em 28 de setembro de...
1956 – Inaugurada a unidade da Mercedes-Benz do Brasil, em São Bernardo, na Vila Paulicéia, onde permanece.
1985 – Alvarenga e Jardim Laura, bairros de São Bernardo, recebem rede de água.
Definido o vale-transporte em Mauá.
Centralizado o serviço odontológico em Ribeirão Pires.
Escola Estadual Professor José Prado Silveira, do bairro Sacadura Cabral, em Santo André, lança o seu primeiro jornal, O Pradinho.

Hoje
Dia do Hidrógrafo
Dia da Lei do Sexagenário
Dia da Lei do Ventre Livre (sancionada em 28-9-1871)

Santos do dia
Lourenço Ruiz
Júlia Eustóquio ou Eustóquia 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;