Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 27 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Brasileiros reduzem adesão às medidas de isolamento social, diz Pnad Covid

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Aproximadamente 86,4 milhões de pessoas ficaram em casa e só saíram por necessidade básica na primeira semana de setembro, o equivalente a 40,9% da população



25/09/2020 | 10:21


A população brasileira diminuiu a adesão às medidas de isolamento social na primeira semana de setembro, aponta a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid-19) semanal divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira. Aproximadamente 86,4 milhões de pessoas ficaram em casa e só saíram por necessidade básica na primeira semana de setembro, o equivalente a 40,9% da população. O resultado representa cerca de 2,2 milhões de pessoas a menos em distanciamento social em apenas uma semana.

A parcela da população que ficou rigorosamente isolada somou 37,3 milhões na primeira semana de setembro, 1,6 milhão de pessoas a menos em isolamento social em apenas uma semana.

Outros 5,9 milhões disseram que não adotaram qualquer tipo de restrição de contato em função da pandemia do novo coronavírus na primeira semana de setembro, 900 mil pessoas a mais nessa condição que na semana anterior.

Uma fatia de 80,7 milhões de pessoas declarou ter reduzido o contato social, mas continuou saindo de casa ou recebendo visitas, 3,6 milhões a mais que na semana anterior.

Na semana de 30 de agosto a 5 de setembro, 9,9 milhões de pessoas, o equivalente a 4,7% da população brasileira, apresentavam pelo menos um dos 12 sintomas associados à síndrome gripal investigados pela pesquisa: febre, tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar, dor de cabeça, dor no peito, náusea, nariz entupido ou escorrendo, fadiga, dor nos olhos, perda de olfato ou paladar e dor muscular.

Cerca de 2,4 milhões de pessoas procuraram estabelecimento de saúde em busca de atendimento. Entre os que procuraram atendimento em hospital, 127 mil (18,9%) foram internados.

Estudantes na escola

Na primeira semana de setembro, o Brasil tinha cerca de 46 milhões de estudantes que frequentavam escolas ou universidades, mas 7,3 milhões deles (15,8% do total) não tiveram atividades escolares. O resultado representa uma ligeira piora em relação à semana anterior, quando 7,2 milhões de estudantes não tiveram atividades educacionais, diz a Pnad Covid do IBGE. Entre os 38 milhões de estudantes que tiveram atividades escolares na primeira semana de setembro, 25 milhões (65,6% deles) tiveram atividades em cinco dias da semana.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Brasileiros reduzem adesão às medidas de isolamento social, diz Pnad Covid

Aproximadamente 86,4 milhões de pessoas ficaram em casa e só saíram por necessidade básica na primeira semana de setembro, o equivalente a 40,9% da população


25/09/2020 | 10:21


A população brasileira diminuiu a adesão às medidas de isolamento social na primeira semana de setembro, aponta a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid-19) semanal divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira. Aproximadamente 86,4 milhões de pessoas ficaram em casa e só saíram por necessidade básica na primeira semana de setembro, o equivalente a 40,9% da população. O resultado representa cerca de 2,2 milhões de pessoas a menos em distanciamento social em apenas uma semana.

A parcela da população que ficou rigorosamente isolada somou 37,3 milhões na primeira semana de setembro, 1,6 milhão de pessoas a menos em isolamento social em apenas uma semana.

Outros 5,9 milhões disseram que não adotaram qualquer tipo de restrição de contato em função da pandemia do novo coronavírus na primeira semana de setembro, 900 mil pessoas a mais nessa condição que na semana anterior.

Uma fatia de 80,7 milhões de pessoas declarou ter reduzido o contato social, mas continuou saindo de casa ou recebendo visitas, 3,6 milhões a mais que na semana anterior.

Na semana de 30 de agosto a 5 de setembro, 9,9 milhões de pessoas, o equivalente a 4,7% da população brasileira, apresentavam pelo menos um dos 12 sintomas associados à síndrome gripal investigados pela pesquisa: febre, tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar, dor de cabeça, dor no peito, náusea, nariz entupido ou escorrendo, fadiga, dor nos olhos, perda de olfato ou paladar e dor muscular.

Cerca de 2,4 milhões de pessoas procuraram estabelecimento de saúde em busca de atendimento. Entre os que procuraram atendimento em hospital, 127 mil (18,9%) foram internados.

Estudantes na escola

Na primeira semana de setembro, o Brasil tinha cerca de 46 milhões de estudantes que frequentavam escolas ou universidades, mas 7,3 milhões deles (15,8% do total) não tiveram atividades escolares. O resultado representa uma ligeira piora em relação à semana anterior, quando 7,2 milhões de estudantes não tiveram atividades educacionais, diz a Pnad Covid do IBGE. Entre os 38 milhões de estudantes que tiveram atividades escolares na primeira semana de setembro, 25 milhões (65,6% deles) tiveram atividades em cinco dias da semana.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;