Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 27 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Mercedes-Benz abre PDV e mira adesão de 400 trabalhadores

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

GM quer reabrir programa; ao todo, quatro montadoras apostam na demissão voluntária


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

24/09/2020 | 00:07


A Mercedes-Benz abriu PDV (Programa de Demissão Voluntária) na sua unidade de São Bernardo e pretende conseguir a adesão de cerca de 400 trabalhadores até o fim do ano. Embora não divulgue os atrativos oferecidos para o incentivar o desligamento espontâneo, a montadora informou que os pacotes variam conforme o período em que for aceito, dessa forma, quem o fizer em outubro terá mais benefícios do que aquele que deixar para novembro ou dezembro, quando o prazo se encerra.

Hoje, a fabricante de caminhões e ônibus alemã emprega em torno de 8.500 profissionais no Grande ABC. Caso atinja sua meta com o PDV, haverá redução de quase 5% em seu efetivo. O programa é aberto a toda a empresa.

A companhia, que no início do mês encerrou o contrato temporário de 189 operários – que, segundo a Mercedes, eram para ter sido findados em maio –, não abre as condições oferecidas para o PDV. Questionado, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC disse que essa iniciativa não foi definida em conjunto com a entidade e, portanto, desconhece os benefícios oferecidos. Informou ainda que a montadora está negociando a data-base deste ano, o que ocorreria, tradicionalmente, em abril, mas, devido à pandemia do novo coronavírus, passou para este mês.

A Mercedes-Benz não é a única a adotar a ferramenta para ajustar seu quadro de funcionários em meio à crise desencadeada pela Covid-19. Das cinco montadoras da região, quatro lançam mão da medida.

A General Motors, inclusive, pretende reabrir o PDV em São Caetano, onde encerrou programa no fim de agosto com a adesão de 293 profissionais, o que estaria abaixo da expectativa, uma vez que a fábrica possui 700 trabalhadores em lay-off (suspensão do contrato de trabalho) atualmente. Foi oferecido, a quem tinha mais de 11 anos de firma, um Onix Joy Black, que custa R$ 55.990, além de até sete salários adicionais e dois anos de plano de saúde. A planta emprega cerca de 8.000 trabalhadores.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, empresa e entidade iniciam hoje conversas acerca da possibilidade de nova proposta para incentivar a demissão voluntária. Nos dias 28 e 29 (segunda e terça-feira), haverá day-off (dia sem trabalho com desconto no banco de horas) para ajustes na produção.

A Volkswagen vai abrir na fábrica da Anchieta, até o fim do mês, PDV com a oferta de até 35 salários adicionais à tabela base, além da rescisão, ou seja, considerando o maior rendimento dos horistas e indiretos (que trabalham na produção), de R$ 11.230, e tempo de casa acima de 30 anos, o valor pode chegar a R$ 393,050 mil. Para quem está na companhia a até dez anos e recebe o piso de R$ 5.730, o bônus é de R$ 143.750, considerando 25 salários a mais.

Embora a montadora não informe o número de adesões pretendidas ao PDV, o excedente na unidade de São Bernardo chega a 1.900 profissionais – correspondente a 22% do total da região, de aproximadamente 8.600 colaboradores. Negociação, que veio acompanhada de redução de benefícios em troca de estabilidade de cinco anos, se deu após a empresa avisar que teria de demitir 35% de seus 15 mil trabalhadores, ou seja, 5.250 funcionários poderiam ser desligados em todo o País, caso não houvesse uma saída à crise.

A Toyota planeja dispensar 300 colaboradores do setor administrativo em todo o País, incluindo a região, por meio de adesões ao programa. As condições estão sendo acordadas com o sindicato e a previsão é que o pacote seja definido até amanhã.

A divulgação da medida veio junto com a notícia de que a sede administrativa da montadora, assim como o Centro de Pesquisa Aplicada, onde é desenvolvida tecnologia de ponta, serão transferidos para Sorocaba no início de 2021, a fim de tornar a montadora mais enxuta e competitiva. A produção de componentes e motores continua em São Bernardo. Ao todo, a unidade emprega hoje cerca de 1.700 profissionais.

CRISE

O cenário reflete as dificuldades trazidas pelo novo coronavírus, que atingiu em cheio o setor automotivo. Dados da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) mostram que, de janeiro a agosto, a produção em todo o País caiu pela metade, para 1,110 milhão de unidades, patamar que retrocede 20 anos. As vendas, por sua vez, recuaram em 35%, aos 183,4 mil veículos. Segundo a associação, é como se o segmento tivesse perdido quatro meses de produção e três de vendas.

Quanto ao emprego, nos oito meses de 2020 foram demitidos 4.100 trabalhadores, totalizando 121,8 mil em atividade nas montadoras de veículos do País.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mercedes-Benz abre PDV e mira adesão de 400 trabalhadores

GM quer reabrir programa; ao todo, quatro montadoras apostam na demissão voluntária

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

24/09/2020 | 00:07


A Mercedes-Benz abriu PDV (Programa de Demissão Voluntária) na sua unidade de São Bernardo e pretende conseguir a adesão de cerca de 400 trabalhadores até o fim do ano. Embora não divulgue os atrativos oferecidos para o incentivar o desligamento espontâneo, a montadora informou que os pacotes variam conforme o período em que for aceito, dessa forma, quem o fizer em outubro terá mais benefícios do que aquele que deixar para novembro ou dezembro, quando o prazo se encerra.

Hoje, a fabricante de caminhões e ônibus alemã emprega em torno de 8.500 profissionais no Grande ABC. Caso atinja sua meta com o PDV, haverá redução de quase 5% em seu efetivo. O programa é aberto a toda a empresa.

A companhia, que no início do mês encerrou o contrato temporário de 189 operários – que, segundo a Mercedes, eram para ter sido findados em maio –, não abre as condições oferecidas para o PDV. Questionado, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC disse que essa iniciativa não foi definida em conjunto com a entidade e, portanto, desconhece os benefícios oferecidos. Informou ainda que a montadora está negociando a data-base deste ano, o que ocorreria, tradicionalmente, em abril, mas, devido à pandemia do novo coronavírus, passou para este mês.

A Mercedes-Benz não é a única a adotar a ferramenta para ajustar seu quadro de funcionários em meio à crise desencadeada pela Covid-19. Das cinco montadoras da região, quatro lançam mão da medida.

A General Motors, inclusive, pretende reabrir o PDV em São Caetano, onde encerrou programa no fim de agosto com a adesão de 293 profissionais, o que estaria abaixo da expectativa, uma vez que a fábrica possui 700 trabalhadores em lay-off (suspensão do contrato de trabalho) atualmente. Foi oferecido, a quem tinha mais de 11 anos de firma, um Onix Joy Black, que custa R$ 55.990, além de até sete salários adicionais e dois anos de plano de saúde. A planta emprega cerca de 8.000 trabalhadores.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, empresa e entidade iniciam hoje conversas acerca da possibilidade de nova proposta para incentivar a demissão voluntária. Nos dias 28 e 29 (segunda e terça-feira), haverá day-off (dia sem trabalho com desconto no banco de horas) para ajustes na produção.

A Volkswagen vai abrir na fábrica da Anchieta, até o fim do mês, PDV com a oferta de até 35 salários adicionais à tabela base, além da rescisão, ou seja, considerando o maior rendimento dos horistas e indiretos (que trabalham na produção), de R$ 11.230, e tempo de casa acima de 30 anos, o valor pode chegar a R$ 393,050 mil. Para quem está na companhia a até dez anos e recebe o piso de R$ 5.730, o bônus é de R$ 143.750, considerando 25 salários a mais.

Embora a montadora não informe o número de adesões pretendidas ao PDV, o excedente na unidade de São Bernardo chega a 1.900 profissionais – correspondente a 22% do total da região, de aproximadamente 8.600 colaboradores. Negociação, que veio acompanhada de redução de benefícios em troca de estabilidade de cinco anos, se deu após a empresa avisar que teria de demitir 35% de seus 15 mil trabalhadores, ou seja, 5.250 funcionários poderiam ser desligados em todo o País, caso não houvesse uma saída à crise.

A Toyota planeja dispensar 300 colaboradores do setor administrativo em todo o País, incluindo a região, por meio de adesões ao programa. As condições estão sendo acordadas com o sindicato e a previsão é que o pacote seja definido até amanhã.

A divulgação da medida veio junto com a notícia de que a sede administrativa da montadora, assim como o Centro de Pesquisa Aplicada, onde é desenvolvida tecnologia de ponta, serão transferidos para Sorocaba no início de 2021, a fim de tornar a montadora mais enxuta e competitiva. A produção de componentes e motores continua em São Bernardo. Ao todo, a unidade emprega hoje cerca de 1.700 profissionais.

CRISE

O cenário reflete as dificuldades trazidas pelo novo coronavírus, que atingiu em cheio o setor automotivo. Dados da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) mostram que, de janeiro a agosto, a produção em todo o País caiu pela metade, para 1,110 milhão de unidades, patamar que retrocede 20 anos. As vendas, por sua vez, recuaram em 35%, aos 183,4 mil veículos. Segundo a associação, é como se o segmento tivesse perdido quatro meses de produção e três de vendas.

Quanto ao emprego, nos oito meses de 2020 foram demitidos 4.100 trabalhadores, totalizando 121,8 mil em atividade nas montadoras de veículos do País.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;