Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fed: Rosengren defende necessidade de novo pacote fiscal e se diz 'pessimista'



23/09/2020 | 14:09


O presidente da distrital de Boston do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Eric Rosengren, reiterou hoje, durante seminário virtual, a necessidade de novas medidas de estímulos fiscais para acelerar a recuperação da atividade econômica dos Estados Unidos. No entanto, o dirigente destacou que não acredita que governo e Congresso devem concordar com um pacote nos próximos meses.

No evento, Rosengren salientou que o BC dos EUA tem buscado soluções criativas para lidar com os efeitos da recessão atual. "Contudo, minha opinião é de que ações adicionais na política fiscal provavelmente representam ferramenta mais eficaz neste momento, uma vez que pode alocar dinheiro diretamente para empresas e negócios mais impactados pela covid-19 sem exigir que eles assumam mais dívida", pontuou.

O líder do Fed de Boston, que não tem direito a voto nas decisões de política monetária este ano, apresentou um cenário pessimista para a maior economia do planeta. Segundo ele, embora os dados recentes apontem para uma melhora, o ritmo de retomada deve começar a desacelerar, sobretudo no mercado de trabalho.

"Embora eu espere que a economia se recupere com o tempo, minha expectativa é de que isso ocorrerá de forma mais gradual do que a mediana das projeções do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês)", destacou.

O economista acrescentou que considera que haverá uma segunda onda de casos de coronavírus. Para ele, a atividade só retornará aos níveis pré-pandemia quando houver uma vacina eficaz para a doença. Enquanto isso, o dirigente defende que a instituição mantenha uma política monetária acomodatícia. "A parte mais difícil da economia ainda está à frente", declarou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fed: Rosengren defende necessidade de novo pacote fiscal e se diz 'pessimista'


23/09/2020 | 14:09


O presidente da distrital de Boston do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Eric Rosengren, reiterou hoje, durante seminário virtual, a necessidade de novas medidas de estímulos fiscais para acelerar a recuperação da atividade econômica dos Estados Unidos. No entanto, o dirigente destacou que não acredita que governo e Congresso devem concordar com um pacote nos próximos meses.

No evento, Rosengren salientou que o BC dos EUA tem buscado soluções criativas para lidar com os efeitos da recessão atual. "Contudo, minha opinião é de que ações adicionais na política fiscal provavelmente representam ferramenta mais eficaz neste momento, uma vez que pode alocar dinheiro diretamente para empresas e negócios mais impactados pela covid-19 sem exigir que eles assumam mais dívida", pontuou.

O líder do Fed de Boston, que não tem direito a voto nas decisões de política monetária este ano, apresentou um cenário pessimista para a maior economia do planeta. Segundo ele, embora os dados recentes apontem para uma melhora, o ritmo de retomada deve começar a desacelerar, sobretudo no mercado de trabalho.

"Embora eu espere que a economia se recupere com o tempo, minha expectativa é de que isso ocorrerá de forma mais gradual do que a mediana das projeções do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês)", destacou.

O economista acrescentou que considera que haverá uma segunda onda de casos de coronavírus. Para ele, a atividade só retornará aos níveis pré-pandemia quando houver uma vacina eficaz para a doença. Enquanto isso, o dirigente defende que a instituição mantenha uma política monetária acomodatícia. "A parte mais difícil da economia ainda está à frente", declarou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;