Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas da Europa fecham em alta com dados fortes da indústria; Lisboa é exceção



23/09/2020 | 13:39


As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quarta-feira, à exceção de Lisboa, impulsionadas por dados mais fortes do que o esperado do setor industrial do continente. O índice pan-europeu Stoxx 600 registrou ganho de 0,55%, aos 359,53 pontos.

Embora o mau humor em Wall Street tenha contido os ganhos, e levado todas as principais praças europeias, exceto Londres, a fechar o pregão nas mínimas, a resiliência apresentada pela indústria europeia em dados divulgados hoje deu espaço para a tomada de risco.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria da zona do euro subiu de 51,7 em agosto para 53,7 em setembro, segundo a IHS Markt, maior nível em 25 meses, superando a previsão de analistas, de 51,9. A High Frequency Economics diz que os números não foram ideais, mas "mistos" na região, com recuo no setor de serviços.

Na Alemanha, o indicador da indústria foi de 52,2 para 56,6 no mesmo intervalo, também cima da projeção de 52,6. Com isso, o índice Dax, de Frankfurt, fechou ao dia em alta de 0,39%, aos 12.642,97 pontos.

No Reino Unido, o PMI composto recuou a 55,7 em setembro, mais do que o previsto, mas o PMI industrial caiu menos do que o esperado. Após os dados mistos, a bolsa londrina ganhou força. O índice FTSE 100 fechou em alta de 1,20%, em 5.899,26 pontos. A Capital Economics diz em relatório que, apesar do ganho de hoje, uma segunda onda da covid-19 e os riscos de falta de acordo com a União Europeia no Brexit têm pressionado a Bolsa de Londres.

Em Paris, o índice CAC 40 subiu 0,62%, a 4.802,26 pontos. Société Générale caiu 1,18% e BNP Paribas, 2,37%, entre os bancos franceses.

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, avançou 0,18%, a 18.929,89 pontos. Tiscali foi o papel mais negociado, em alta de 2,06%, mas Intesa Sanpaolo caiu 1,80%.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX registrou alta de 0,08%, a 6.654,20 pontos. Santander teve baixa de 1,46%, mas Nyesa Valores avançou 7,14, entre as ações mais negociadas. Em Lisboa, por fim, o índice PSI 20 recuou 0,84%, a 4.087,51 pontos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas da Europa fecham em alta com dados fortes da indústria; Lisboa é exceção


23/09/2020 | 13:39


As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quarta-feira, à exceção de Lisboa, impulsionadas por dados mais fortes do que o esperado do setor industrial do continente. O índice pan-europeu Stoxx 600 registrou ganho de 0,55%, aos 359,53 pontos.

Embora o mau humor em Wall Street tenha contido os ganhos, e levado todas as principais praças europeias, exceto Londres, a fechar o pregão nas mínimas, a resiliência apresentada pela indústria europeia em dados divulgados hoje deu espaço para a tomada de risco.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria da zona do euro subiu de 51,7 em agosto para 53,7 em setembro, segundo a IHS Markt, maior nível em 25 meses, superando a previsão de analistas, de 51,9. A High Frequency Economics diz que os números não foram ideais, mas "mistos" na região, com recuo no setor de serviços.

Na Alemanha, o indicador da indústria foi de 52,2 para 56,6 no mesmo intervalo, também cima da projeção de 52,6. Com isso, o índice Dax, de Frankfurt, fechou ao dia em alta de 0,39%, aos 12.642,97 pontos.

No Reino Unido, o PMI composto recuou a 55,7 em setembro, mais do que o previsto, mas o PMI industrial caiu menos do que o esperado. Após os dados mistos, a bolsa londrina ganhou força. O índice FTSE 100 fechou em alta de 1,20%, em 5.899,26 pontos. A Capital Economics diz em relatório que, apesar do ganho de hoje, uma segunda onda da covid-19 e os riscos de falta de acordo com a União Europeia no Brexit têm pressionado a Bolsa de Londres.

Em Paris, o índice CAC 40 subiu 0,62%, a 4.802,26 pontos. Société Générale caiu 1,18% e BNP Paribas, 2,37%, entre os bancos franceses.

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, avançou 0,18%, a 18.929,89 pontos. Tiscali foi o papel mais negociado, em alta de 2,06%, mas Intesa Sanpaolo caiu 1,80%.

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX registrou alta de 0,08%, a 6.654,20 pontos. Santander teve baixa de 1,46%, mas Nyesa Valores avançou 7,14, entre as ações mais negociadas. Em Lisboa, por fim, o índice PSI 20 recuou 0,84%, a 4.087,51 pontos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;