Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Japão: após primeira reunião, Suga e Kuroda prometem manter contato próximo



23/09/2020 | 08:48


O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, e o presidente do Banco do Japão (BoJ, pela sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, concordaram nesta quarta-feira (23) manter contato próximo e coordenar políticas fiscais e monetárias, depois de se reunirem pela primeira vez desde que Suga assumiu o cargo na semana passada, segundo a mídia japonesa.

Após a reunião, Kuroda declarou que "não há qualquer mudança" na postura do BC japonês em relação ao acordo de janeiro de 2013 fechado com o predecessor de Suga, Shinzo Abe. Pelo acordo, o BoJ deve implementar sua política monetária de forma a cumprir uma meta de inflação de 2%.

"Concordei com o primeiro ministro que o governo e o BoJ vão continuar se comunicando de forma suficiente e prosseguir com as políticas em firme coordenação", afirmou Kuroda.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Japão: após primeira reunião, Suga e Kuroda prometem manter contato próximo


23/09/2020 | 08:48


O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, e o presidente do Banco do Japão (BoJ, pela sigla em inglês), Haruhiko Kuroda, concordaram nesta quarta-feira (23) manter contato próximo e coordenar políticas fiscais e monetárias, depois de se reunirem pela primeira vez desde que Suga assumiu o cargo na semana passada, segundo a mídia japonesa.

Após a reunião, Kuroda declarou que "não há qualquer mudança" na postura do BC japonês em relação ao acordo de janeiro de 2013 fechado com o predecessor de Suga, Shinzo Abe. Pelo acordo, o BoJ deve implementar sua política monetária de forma a cumprir uma meta de inflação de 2%.

"Concordei com o primeiro ministro que o governo e o BoJ vão continuar se comunicando de forma suficiente e prosseguir com as políticas em firme coordenação", afirmou Kuroda.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;