Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Clássico do western é destaque no TCM



23/09/2020 | 07:29


Houve um tempo em que o western era considerado o gênero norte-americano por excelência. Essa época passou e hoje são raros os autores que ainda se dedicam ao gênero. Um dos mais regulares, Clint Eastwood, tem ido em outras direções. Em 2007, James Mangold valeu-se de dois astros - Christian Bale e Russell Crowe - para refazer Galante e Sanguinário.

O original de 1957 é a atração desta quarta, 23, às 14h02, no TCM. O filme de Delmer Daves inscreve-se numa tendência que marcou aquela década. Em 1952, Fred Zinnemann havia feito Matar ou Morrer, com Gary Cooper como o xerife que busca ajuda para enfrentar pistoleiros que chegarão no trem do meio-dia. Em 1958, John Sturges colocou frente a frente Kirk Douglas e Anthony Quinn num duelo de titãs, na estação em que deverá passar o último trem de Gun Hill.

Trens sempre representaram o destino, em inúmeros clássicos. O relógio - o tempo finito - virou referência. Na versão de Daves, o fazendeiro Van Heflin, em dificuldade financeira, aceita escoltar o pistoleiro Glenn Ford no trem que sai às 3h10 para Yuma, mesmo sabendo que seus amigos tentarão libertá-lo. Daves, o chamado documentarista do western, fez um belíssimo filme - melhor que o de Mangold, e com a balada (genial) de George Dunning, cantada por Ricky Laine.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Clássico do western é destaque no TCM


23/09/2020 | 07:29


Houve um tempo em que o western era considerado o gênero norte-americano por excelência. Essa época passou e hoje são raros os autores que ainda se dedicam ao gênero. Um dos mais regulares, Clint Eastwood, tem ido em outras direções. Em 2007, James Mangold valeu-se de dois astros - Christian Bale e Russell Crowe - para refazer Galante e Sanguinário.

O original de 1957 é a atração desta quarta, 23, às 14h02, no TCM. O filme de Delmer Daves inscreve-se numa tendência que marcou aquela década. Em 1952, Fred Zinnemann havia feito Matar ou Morrer, com Gary Cooper como o xerife que busca ajuda para enfrentar pistoleiros que chegarão no trem do meio-dia. Em 1958, John Sturges colocou frente a frente Kirk Douglas e Anthony Quinn num duelo de titãs, na estação em que deverá passar o último trem de Gun Hill.

Trens sempre representaram o destino, em inúmeros clássicos. O relógio - o tempo finito - virou referência. Na versão de Daves, o fazendeiro Van Heflin, em dificuldade financeira, aceita escoltar o pistoleiro Glenn Ford no trem que sai às 3h10 para Yuma, mesmo sabendo que seus amigos tentarão libertá-lo. Daves, o chamado documentarista do western, fez um belíssimo filme - melhor que o de Mangold, e com a balada (genial) de George Dunning, cantada por Ricky Laine.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;